Questões de Parâmetros Nacionais de Qualidade para a Educação Infantil (Pedagogia)

Limpar Busca
Sobre a organização do espaço/ambiente em creches e pré-escolas, especificamente no que diz respeito à arquitetura das instituições de educação infantil, é correto afirmar que:
  • A A arquitetura não tem nenhuma relação com a educação das crianças já que expressa apenas os conceitos estéticos dos arquitetos;
  • B A arquitetura, seja ela como for, consiste em um elemento formativo das creches e pré-escolas, ou seja, é um elemento educador do currículo oculto;
  • C O espaço não é elemento essencial às aprendizagens e ao desenvolvimento infantil, já que o que importa são as aulas das professoras e as interações e as brincadeiras, as relações entre as pessoas;
  • D O desenvolvimento de projetos pedagógicos das instituições de educação infantil não é impactado pela arquitetura dos prédios onde funcionam, já que o que importa é a interrelação entre educadores/as, pais, gestores/as e crianças;
  • E A localização da escola, suas relações com as populações locais, o desenho arquitetônico que manifesta padrões culturais e pedagógicos não é de interesse da criança e não interfere na educação delas.
Sobre conceitos e concepções de criança e de infância, podemos afirmar que:
  • A O conceito de criança pura e inocente é universal. Assim, as devem ser educadas de forma diferenciada, pois necessitam ser protegidas dos malefícios do mundo adulto. Assim, não importa o momento e tempo sócio-histórico em que se vive, é preciso cuidar e educar as crianças da mesma forma, com sabedoria e sensibilidade;
  • B Para Ariès (1981), na Idade Média, já se conhecia o universo infantil e as especificidades infantis eram consideradas na educação e na escola. As crianças eram vistas como seres de direitos e, desse modo, os pais e os professores estudavam sobre a infância para poder educar de forma apropriada as crianças, com o cuidado de preservá-las da promiscuidade do mundo adulto;
  • C Para Rousseau (1999), as especificidades das crianças não deveriam ser respeitadas, já que suas formas de viver, pensar, sentir e de interagir com o mundo físico e social seriam inconsistentes, não devendo ser levadas em conta no processo educativo. A infância significaria um período de preparação para a vida adulta;
  • D Para Froebel (2001), em sua filosofia espiritualista e seu ideal político de liberdade, as crianças seriam como sementes que, se adubadas e expostas a condições favoráveis adequadamente, desabrochariam sua divindade interior em um clima de amor, para aprenderem sobre si e sobre o mundo físico e social;
  • E Para Piaget (2001), numa perspectiva interacionista, a criança seria um ser ativo em seu meio circundante, capaz de interagir e resolver problemas, pois é sujeito epistêmico. Mas, isso só seria possível a partir do ensino direto e sistemático dos/as professores/as que necessitariam planejar muito bem as suas aulas para que as crianças assimilem tudo com de forma adequada.
Sobre rotinas na educação infantil, Maria Carmem Silveira Barbosa (2006), no livro Por amor e por força: rotinas na Educação Infantil diz que:
  • A Rotina é sinônimo de planejamento, de plano de aula, de projeto pedagógico. As rotinas, portanto, significam os projetos pedagógicos educacionais realizados nas escolas. Em geral, a rotina é teorizada, problematizada, sendo assunto amplamente discutido em creches e pré-escolas com o propósito de se garantir que todas as crianças aprendam os conteúdos socialmente relevantes;
  • B As rotinas são tecnologias de alienação pois consistem em uma sucessão de eventos, de pequenas ações, prescritas de maneira precisa, levando as pessoas a agir e a repetir gestos e atos em uma sequência de procedimentos que não lhes pertence nem está sob seu domínio, mas sim dos gestores da escola e da secretaria de educação que as prescrevem;
  • C Em nome dos direitos de aprendizagem das crianças, a rotina trata de garantir a disciplina e o respeitos aos horários e momentos de ensino e aprendizagem. Buscase com isso, a uniformidade para que todas as crianças aprendam os conteúdos socialmente relevantes, que é direito dela. Assim, as creches e pré-escolas precisam formar hábitos e instalar a uniformidade de conduta;
  • D Rotina é uma categoria pedagógica que os responsáveis pela educação infantil estruturaram para desenvolver o trabalho cotidiano nas instituições educacionais. Elas sintetizam os projetos pedagógicos da escola, proporcionando organização dos tempos, dos espaços e das atividades, garantindo-se, assim, que não haja surpresas e acontecimentos inesperados que podem estragar tudo o que foi planejado;
  • E Rotina é apenas um dos elementos que compõem o cotidiano. É produto cultural, produzido e reproduzido no dia-a-dia, tendo como objetivo a organização da cotidianidade. O cotidiano é mais abrangente que a rotina e refere-se a um espaço-tempo fundamental para a vida humana, pois nele tanto acontecem as atividades repetitivas, rotineiras, como é nele que ocorre o inesperado, onde há margem para inovação.

O ambiente escolar representa muito mais do que um espaço físico que abriga e educa crianças, é preciso ter estrutura física, objetos e até mesmo uma decoração condizente com as atividades ali desenvolvidas. Por que isso é importante?

  • A Para proporcionar atividades que possibilitem o desenvolvimento integral da criança, atraindo e conquistando sua atenção e seu envolvimento nas práticas.
  • B Para que se transmita a impressão de um ambiente favorável à aprendizagem, mesmo que as atividades não tenham este objetivo.
  • C Para que os pequenos possam brincar livremente.
  • D Para que a criança não queira ir embora da escola.

A educação infantil visa o desenvolvimento integral da criança, ou seja, cognitivo, motor, psíquico, social e emocional. A abrangência de todos estes fatores não pode se dar por meio de uma metodologia tradicional e também não é uma tarefa fácil fazer com que a criança se prenda a uma atividade monótona. Assim, qual das alternativas indica a metodologia mais eficiente na educação infantil?

  • A A interdisciplinaridade, que envolve todos os conteúdos estudados em um só programa.
  • B A resolução de problemas, fazendo com que a criança desenvolva o pensamento crítico.
  • C A ludicidade, ou seja, a aprendizagem por meio de jogos e brincadeiras.
  • D A contextualização, levando a realidade da criança para o processo educacional.