Questões de Imunização (Enfermagem)

Limpar Busca
Conforme o calendário de vacinação do ministério de saúde a aplicação da vacina pentavalente (DTP+HiB+HepB) é feita aos 2, 4 e 6 meses, seu reforço é feito com DTP na idade de 15 meses, sendo que da 3º dose de penta para o primeiro reforço de DTP, há um intervalo mínimo que é de:
  • A 8 meses.
  • B 6 meses.
  • C 9 meses.
  • D 12 meses.
  • E Nenhuma das alternativas anteriores.
A vacina BCG deve ser administrada em dose única, o mais precocemente possível, de preferência na maternidade, logo após o nascimento. Porém, quando houver contato prolongado com portadores de hanseníase, acontecerá a vacinação seletiva em menores de 1 ano de idade, nas seguintes situações, exceto:
  • A Não vacinados, administrar 1 (uma) dose de BCG.
  • B Comprovadamente vacinados que apresentem cicatriz vacinal, não administrar outra dose de BCG.
  • C Comprovadamente vacinados que não apresentem cicatriz vacinal, administrar 1 (uma) dose de BCG, seis meses após a última dose.
  • D Vacinados com 2 (duas) doses, não administrar outra dose de BCG.

A vacina pentavalente deve ser administrada 3 (três) doses, aos 2 (dois), 4 (quatro) e 6 (seis) meses de idade, com intervalo de 60 dias entre as doses, mínimo de 30 dias. Contudo, a terceira dose não deverá ser administrada antes dos 6 (seis) meses de idade. Quanto às suas particularidades, é incorreto afirmar:
  • A Criança a partir dos 15 meses de idade a menor de 7 (sete) anos de idade [6 (seis) anos, 11 meses e 29 dias], deve receber 2 (dois) reforços.

  • B Na rotina dos serviços, a vacina está disponível para crianças até 6 (seis) anos, 11 meses e 29 dias.
  • C Crianças até 6 (seis) anos, 11 meses e 29 dias, sem comprovação, ou com esquema vacinal incompleto, iniciar, ou complementar esquema.

  • D A vacina está contraindicada para crianças a partir de 7 (sete) anos de idade.
Quando ocorre interrupção após a primeira dose da vacina Hepatite B (recombinante), a segunda dose deverá ser administrada assim que for possível, e deve-se programar a terceira dose para 6 meses, após a primeira dose, mantendo o intervalo de pelo menos 8 semanas, entre a segunda e a terceira doses. Sendo assim, para gestantes em qualquer faixa etária e idade gestacional, administra-se:
  • A Na rotina dos serviços, a vacina não está indicada para gestantes e para mulheres no período de amamentação. No entanto, diante do risco de contrair a doença, a relação risco-benefício deve ser avaliada.
  • B A vacinação está contraindicada para as gestantes, no entanto, na impossibilidade de adiar a vacinação, como em situações de emergência epidemiológica, vigência de surtos, ou epidemias, o serviço de saúde deverá avaliar a pertinência da vacinação.
  • C 3 (três) doses da vacina, considerando o histórico de vacinação anterior e os intervalos preconizados entre as doses. Caso não seja possível completar o esquema durante a gestação, deverá concluir após o parto.
  • D A vacina é contraindicada para gestantes, mesmo em situações de surto.
A vacina varicela deve ser administrada uma dose aos 4 (quatro) anos de idade. Corresponde à segunda dose da vacina varicela, considerando a dose de tetra viral, aos 15 meses de idade. Quanto às particularidades da vacina: I- Crianças não vacinadas, oportunamente, aos 4 (quatro) anos de idade, poderão ser vacinadas com até 6 (seis) anos, 11 meses e 29 dias, incluindo as crianças indígenas, nessa faixa etária. II- Criança a partir de 7 (sete) anos de idade, adolescente não vacinado, ou sem comprovação vacinal, administrar 3 (três) doses com intervalo de 60 dias entre elas, mínimo de 30 dias. III- Na gestante a vacina pode ser administrada a partir da comprovação da gravidez, em qualquer período gestacional. Completar o esquema vacinal, preferencialmente, até 20 dias, antes da data provável do parto. Verificar o período da gestação e indicação da vacina, considerando que toda gestante deve receber pelo menos 1 (uma) dose, durante a gestação. IV- Indígenas a partir dos 7 (sete) anos de idade não vacinados, ou sem comprovação vacinal, administrar 1 (uma), ou duas doses de vacina, a depender do laboratório produtor. V- Profissionais de saúde não vacinados e que trabalham na área assistencial, especialmente, em contato com pessoas imunodeprimidas e os da área de pediatria, devem receber uma, ou duas doses de vacina, a depender do laboratório produtor. Está correto o que se afirma apenas em:
  • A I, II e III.
  • B I, IV e V.
  • C II, III e IV.
  • D II, III e V.