Questões de Fisioterapia Neurológica (Fisioterapia)

Limpar Busca
Em diversas patologias as alterações do tônus muscular são frequentes e merecem especial avaliação, sendo que assim que forem identificadas torna-se possível definir a conduta terapêutica necessária. Leia a descrição a seguir e assinale a alternativa que apresenta o distúrbio motor descrito. “É um fenômeno motor involuntário e indesejado que ocorre quando o paciente tenta realizar um movimento ativo de uma extremidade ou o examinador produz um movimento passivo. Trata-se de um distúrbio motor caracterizado pelo aumento dos reflexos tônicos de estiramento, velocidade dependente, com exacerbação dos reflexos miotendinosos secundária à perda da inibição suprassegmentar causada pelas lesões dos neurônios motores superiores. Clinicamente, se traduz pela cocontração agonista/antagonista com conseguinte enrijecimento e lentidão de movimentos do membro acometido.”
  • A Ataxia.
  • B Coréia.
  • C Espasticidade.
  • D Atetose.

Muitas são as condições que podem acometer o indivíduo, bem como alterar seus movimentos e postura, portanto é necessário ao fisioterapeuta conhecer a fisiopatologia e características de diversas condições para poder promover o melhor atendimento a seus pacientes. Leia a descrição a seguir e assinale a alternativa que apresenta o nome da patologia descrita.

“É uma doença neuro-degenerativa progressiva dos gânglios basais, na maior parte dos casos sua etiologia é idiopática, mas há aqueles em que pode ter sido causado por danos aos gânglios basais em consequência de toxicidade, encefalite, doença vascular, tumor, causas metabólicas e outras perturbações degenerativas. A taxa de progressão para pessoas com essa patologia varia, mas costuma ser mais rápida nos casos de surgimento tardio e em pessoas com instabilidade postural. Não há́ exame diagnóstico definitivo, dessa forma, o diagnóstico é feito com base na apresentação clínica do paciente. Existem quatro sinais principais: tremor em repouso, bradicinesia (e a forma extremada, acinesia), rigidez e instabilidade postural.”

  • A Doença de Alzheimer.
  • B Doença de Parkinson.
  • C Doença de Chagas.
  • D Meningite.

Há inúmeras alterações cognitivas que podem acometer indivíduos que sofreram acidente vascular encefálico (AVE), dentre essas alterações há a apraxia que consiste na incapacidade de executar, sob solicitação, tarefas que exijam combinação de atos motores em sequência lógica, para sua completa realização. Analise as definições abaixo, relacione com o tipo de apraxia a qual se refere, e assinale a alternativa que apresenta a sequência correta.


1. Caracteriza-se pela falta de memória dos padrões cinestésicos necessários à execução da tarefa solicitada e é observada em lesões do giro pré-central.

2. Caracteriza-se pela falta de alcance e fixação da finalidade dos movimentos que compõem a tarefa solicitada e é notada em lesões difusas.

3. Caracteriza-se pela incapacidade de execução de determinada tarefa, embora os movimentos desse ato estejam presentes em ações automáticas, esse tipo de apraxia é observado geralmente em lesões do hemisfério dominante, envolvendo o giro supramarginal.

4. Denota uma perturbação da transferência inter-hemisférica pela secção calosa, o que provoca a ignorância de um hemicorpo em relação ao outro, é caracterizada clinicamente por um comportamento conflitante intermanual.

5. Designa, num doente não parético, a incapacidade de usar os membros inferiores, sendo que o sujeito não consegue avançar os membros de forma alternada ou faz isso de maneira rudimentar, com tendência a retropulsão, é observada nas lesões frontais ou nos casos de demência.


A. Apraxia magnética.

B. Apraxia ideomotora.

C. Apraxia de marcha.

D. Apraxia motora.

E. Apraxia ideatória.

  • A 1B - 2C - 3D - 4E - 5A.
  • B 1C - 2D - 3A - 4B - 5E.
  • C 1D - 2E - 3B - 4A - 5C.
  • D 1E - 2A - 3C - 4D - 5B.

A criança com paralisia cerebral (PC) pode ser classificada com relação ao tipo de tônus muscular ou disfunção motora, à topografia por comprometimento corpóreo e à gravidade. Sendo assim, essas crianças, em razão das lesões cerebrais, não podem controlar os movimentos normalmente e a maneira como é afetada depende da localização da lesão no sistema nervoso e do tipo resultante do tônus muscular. Leia a descrição a seguir e assinale a alternativa que apresenta o tipo de paralisia cerebral (PC) classificado segundo a localização da lesão encefálica.

“É resultado de lesões nas vias extrapiramidais – núcleos da base – e caracteriza-se por contrações musculares involuntárias, sustentadas ou intermitentes, causando torção e movimentos repetitivos e posturas anormais. Pode ser subdivido em distônica, atetose e, coreia.”

  • A Hemiparesia.
  • B Discinética.
  • C Espástica.
  • D Hipotônica.

Em idosos com lesão encefálica que atinja os tratos descendentes moduladores, há liberação do reflexo de estiramento, determinando aspectos característicos da espasticidade e limitação funcional.


São aspectos característicos da espasticidade dessa lesão durante a avaliação fisioterapêutica, exceto:

  • A Exagero dos reflexos exteroceptivos.
  • B Redução do tônus muscular.
  • C Padrões de movimento em massa.
  • D Co-contração inadequada.