Questões de Conjunções: Relação de causa e consequência (Português)

Limpar Busca

Na construção “... mas e a aparência dela, filho...”, a conjunção destacada expressa significação de:

  • A adição.
  • B conclusão.
  • C alternância.
  • D explicação.
  • E adversidade.

Assinale a alternativa correta sobre a conjunção “como”, em destaque no primeiro parágrafo do texto.

  • A Trata-se de uma conjunção comparativa que pode ser substituída por “assim como”.
  • B Trata-se de uma conjunção conformativa que pode ser substituída por “contanto que”.
  • C Trata-se de uma conjunção causal que pode ser substituída por “visto que”.
  • D Trata-se de uma conjunção concessiva que pode ser substituída por “embora”.

Com base na interpretação da tirinha, assinale a resposta incorreta.

  • A A conjunção “mas”, presente no terceiro quadrinho, é uma conjunção adversativa.
  • B A palavra “pedagógica" é uma proparoxítona, pois possui a antepenúltima sílaba tônica.
  • C Há o uso do ponto de exclamação após a interjeição “ei” na fala do diretor da escola.
  • D O termo “classe” está sendo usado no sentido figurado, pois se refere aos alunos, quando seu sentido literal é o ambiente escolar.

Considere o trecho: “Há infinitas definições. Mas vamos partir da seguinte: felicidade é um estilo de vida, ou seja, está muito mais ligada à forma como se vive o dia a dia.” (Linhas 4-5)

Sobre a organização sintática do trecho, é CORRETO afirmar que

  • A o sinal indicativo de crase foi usado porque ocorre a fusão de uma preposição “a” com o artigo feminino “a”, exigidos, respectivamente, pelos termos regente e regido.
  • B o verbo “haver” foi usado facultativamente no singular; poderia ser flexionado para o plural, concordando com o seu sujeito “infinitas definições”.
  • C a conjunção “mas” insere no trecho uma ideia de conclusão, portanto introduz uma oração coordenada sindética conclusiva.
  • D as vírgulas que separam a expressão explicativa “ou seja” são facultativas, pois se trata de um adjunto adverbial curto.
  • E a posição enclítica ocupada pelo pronome oblíquo átono “se” é facultativa, uma vez que não ocorre palavra atrativa que obrigue esse pronome a estar nessa posição.

Considere o trecho: “Se perdemos a cabeça e gritamos, eles nos perdoam sem pestanejar, sem nos julgar, sem guardar rancor.” (Linhas 13-14) A conjunção “Se”, que introduz o trecho, insere nele uma ideia de

  • A causa.
  • B consequência.
  • C condição.
  • D concessão.
  • E tempo.