Resumo de Biologia - Sistema Excretor

Conheça os órgãos que o compõe e seu funcionamento 


O sistema excretor é formado pelo conjunto de órgãos que atuam no processo de “limpeza” do organismo. Esses órgãos atuam de modo a eliminar as substâncias tóxicas ou que estão em nível elevado na circulação sanguínea. O processo de excreção acontece através do líquido denominado urina. Por isso, o sistema excretor também é conhecido como sistema ou aparelho urinário
A excreção garante a homeostase - equilíbrio interno do organismo. Ela faz isso por meio do controle do volume de água, eliminação dos resíduos resultantes da quebra de proteínas e do ácido nucleico. A principal excreta presente na urina é a ureia. Contudo, outras substâncias podem ser identificadas neste líquido. Uma vez que o sistema excretor também elimina as substâncias que estão em excesso no organismo, a análise da urina é utilizada para identificar distúrbios no funcionamento do organismo. 
No corpo humano, a excreção acontece por conta da atuação coordenada dos rins, ureteres, bexiga e uretra. Outros animais também possuem sistema excretor, cada um com sua respectiva especificidade. Contudo, neste artigo, nos dedicamos somente ao funcionamento, estruturas e patologias associadas ao aparelho urinário humano. 


Os órgãos 


O sistema excretor dos mamíferos é composto por um par de rins, um par de ureteres, uma bexiga e uma uretra. Esses órgãos filtram as substâncias tóxicas em circulação no organismo, armazenam e eliminam. Vamos conhecer um pouco mais sobre a estrutura e características de cada um deles! 
Rins 
Esses são os órgãos responsáveis pela produção da urina. Eles possuem o formato de um feijão e, aproximadamente, 10 centímetros de comprimento e 150 gramas. Cada um dos rins fica situado de um lado da coluna vertebral protegido pelas últimas costelas. Externamente, os rins possuem uma borda côncava e uma convexa. 
É na parte côncava que fica a área chamada de hilo. Nessa região, temos a entrada e saída de vasos sanguíneos, a entrada dos nervos e saída dos ureteres. Internamente, na parte cortical, fica o maior percentual de néfrons (85%). É nessas estruturas que acontece a filtragem do sangue e formação da urina. 
Ureteres 
A partir de cada um dos rins existe um ducto que leva a urina para a bexiga. Esses canais são denominados ureteres e possuem, aproximadamente, 30 cm de comprimento e 5mm de diâmetro. Sua função é conduzir a urina recém-produzida até o local onde será armazenada até a excreção. 
Bexiga 
É uma espécie de bolsa onde a urina é armazenada até a excreção. Como se trata de um órgão muscular oco, conforme o nível de urina aumenta, a bexiga distende-se. E, com as contrações, ela realiza o processo de eliminação do líquido. Em condições normais, uma bexiga humana pode comportar, em média, 300 mL de urina. Contudo, quando o volume chega à metade, o organismo começa dar sinais de que precisa fazer a micção. 
Uretra 
Esse órgão é responsável por eliminar a urina do corpo. Trata-se de um canal que parte da bexiga e termina no final do pênis ou da vulva. No sistema excretor masculino, a uretra é um órgão com comprimento médio de 20 cm e é dividida em três partes: prostática, membranosa e cavernosa. Além disso, ela também serve como via de transporte do sêmen. No aparelho urinário masculino, o comprimento médio é de 4cm. 

Como a urina é produzida 


A produção da urina acontece nos néfrons em três etapas: filtração, reabsorção e secreção. Por meio das artérias renais, o sangue chega aos rins e são submetidos ao processo de filtragem nos glomérulos - uma região dos néfrons que são membranas semipermeáveis. Essas membranas retêm os nutrientes, sais minerais, água e resíduos tóxicos presentes no sangue e deixa passar as células sanguíneas e as moléculas de proteínas. 
Em seguida, o filtrado passa para a etapa de reabsorção, que é feita nos túbulos renais. Lá, os nutrientes, a água e alguns minerais são reabsorvidos e voltam a circular na corrente sanguínea. Já no estágio de secreção, algumas substâncias que não foram extraídas do plasma sanguíneo são acrescentadas ao filtrado. Entre eles estão o ácido úrico e alguns medicamentos. 

Doenças associadas ao sistema excretor 


Como adiantamos, o exame de urina pode ser um importante instrumento de auxílio no diagnóstico de distúrbios no organismo que, não necessariamente, estão associadas ao aparelho urinário. Um exemplo disso é a presença de glicose na urina, dado que pode estar associado a problemas renais, mas também pode ser um sinal de diabetes
No que diz respeito aos órgãos do aparelho urinário, as doenças renais são as que apresentam maior incidência. Muitas vezes, elas são causadas pelo excesso de substâncias tóxicas ou bactérias que são filtradas pelo órgão e causam seu mal funcionamento. Um bom exemplo desse tipo de distúrbio são os cálculos renais. Eles são causados pelo acumulo de cristais que podem estar associados ao consumo excessivo de sal. 
Ainda nos rins, vírus e bactérias podem desencadear um processo inflamatório nos glomérulos causando uma condição patológica denominada nefrite. A pessoa afetada por esse quadro de saúde pode apresentar aumento da pressão arterial e sangue na urina. O sangue na urina também pode ser indicativo da infecção urinária causada por bactérias. Essa doença é comum em mulheres devido à proximidade do canal da uretra com o ânus. 

Voltar

Questões