Resumo de Português - Sintaxe - Objeto Direto

®     Completa o sentido de um VTD, ou seja, vem diretamente ligado ao verbo, sem o auxílio de preposição.

Marta comeu o bolo.

Oferecemos um prêmio ao vencedor.

 

Objeto Direto Preposicionado

®     É uma subclassificação do objeto direto e surge quando o verbo é transitivo direto, mas o complemento aparece antecedido de uma preposição (que pode ser tirada sem prejuízo do sentido original do verbo), pois a preposição aparece apenas para maior clareza, melhor harmonia ou para dar ênfase à expressão:

§ Judas traiu a Cristo.

§ As bruxas beberam de suas porções.

§ Comeram do nosso bolo.

§ Nos exemplos dados, as preposições podem ser eliminadas e os verbos continuam­ com os mesmos sentidos

®     Em alguns casos o emprego da preposição antes do objeto direto é obrigatório:

o  antes dos pronomes oblíquos tônicos, ligados a verbos transitivos diretos:

§ Viu a mim no mercado.

§ O salva­-vidas observou a nós na piscina.

o  com o pronome relativo “quem”, funcionando como complemento na frase:

§ Chegou o João, a quem não esperávamos.

§ Ela é a mulher a quem eu amo.

o  Para evitar dúvida no entendimento da frase:

§ Venceram aos japoneses os canadenses.


Objeto Direto Pleonástico

®     É usado para enfatizar uma ideia contida no objeto direto com a repetição dele próprio. Para bem utilizá­-lo, devemos colocá­-lo no início da frase, depois repeti­-lo por meio de pronome oblíquo — ao qual daremos o nome de objeto direto pleonástico, pois pleonasmo é aquilo que se repete.

As rosas, dei­-as para Maria.

O bolo, nós não o comemos.

 

Objeto direto interno

®     Surge quando utilizamos um verbo intransitivo como transitivo direto, e seu complemento é da mesma família semântica do verbo:

Viver uma vida fácil.

Sonhou um sonho alegre.

Ria um riso forçado.

Chovia uma chuva fina.

Chorará um choro amargo!

Voltar

Questões