Resumo de Português - Semântica

Semântica é a parte da gramática que estuda o significado linguístico, ou seja, é a ciência que analisa os significados das palavras, das orações, das frases, dos símbolos e imagens, entre outros.

Além disso, estuda as diferentes mudanças de sentido das palavras que podem ocorrer dentro de variados contextos.

A semântica está muito relacionada à sintaxe, pois em qualquer mudança sintática ocorrida em uma oração, mesmo que seja de apenas sinais de pontuação, todo o sentido também se transforma.

Também conhecimento como “estudo do significado”, a finalidade da semântica é explicar o conceito do que é transmitido (a mensagem).

A definição da mensagem através da análise semântica pode ser feita diante das frases ou das palavras que as formam. 

Há duas vertentes que estão relacionadas a semântica:

  • Semântica Sincrônica: é a semântica descritiva que estuda os significados das palavras na contemporaneidade/atualidade.
  • Semântica Diacrônica: é a semântica histórica que observa o significado das palavras em um determinado período.

Conceitos básicos da Semântica

Para fazer o estudo dos significados, existem conceitos bases que estão ligados a semântica.

Denotação ou denotativo

Denotação é a palavra ou sentença no sentido original, literal. É a definição registrada em dicionário.

Conotação ou conotativo

Conotação é a aplicação das palavras em seu sentido figurado e está relacionado ao contexto em que a palavra está inserida.

Exemplos:

  • O muro foi construído com pedras. (Denotativo)
  • Você tem um coração de pedra. (Conotativo)

Sinonímia

É um termo derivado da palavra sinônimo, mas não é a mesma coisa, pois os sinônimos são expressões que possuem o mesmo sentido.

Na semântica, sinonímia é quando duas palavras, que não são sinônimas, mantêm uma relação de mesmo sentido dentro de um determinado contexto.  Isto é, comportam-se como sinônimos dentro do mesmo contexto.

Então, sinonímia é a relação estabelecida entre duas ou mais palavras que possuem significados parecidos ou iguais dentro de um conteúdo.

Exemplos:

  • A paz e a tranquilidade reinava naquela residência.
  • A ponte construída era fraca e frágil.

Observação: Os substantivos “paz“, “tranquilidade“, “fraca” e “frágil” dentro dos exemplos acima estão estabelecendo uma relação de sinonímia, mas se retiradas e analisadas separadamente não terão o mesmo sentido.   

Antonímia

Termo derivado da palavra antônimo, por isso, para estabelecer uma relação dessa categoria, basta ter sentido de antônimo dentro de um contexto.

Então, na semântica, antonímia é a relação estabelecida entre duas ou mais palavras que possuem significados diferentes dentro do contexto.

Exemplos:

  • Juliana era uma pessoa bondosa, já sua irmã Daniela era tinhosa.
  • Daniela é uma pessoa má, já Juliana é uma pessoa boa.

Observação: no primeiro caso as palavras “bondosa” e “tinhosa” não são palavras antônimas, mas dentro dessa configuração assumem o papel de antonímia.

Enquanto que no segundo exemplo o “” e “boa” são palavras antônimas e também estão estabelecendo uma relação de antonímia.

Hiperônimo

São palavras que pertencem ao mesmo grupo semântico, ou seja, expressões com sentido mais abrangente que agrupam um conjunto de elementos.

Exemplos:

  • Animais: é um hiperônimo, pois dentro desse campo há várias outras palavras. Como bicho, cachorro, gato, etc.
  • Automóvel: também hiperônimo de carro, moto, caminhão, etc.
  • Frutas: hiperônimo de manga, pera, uva, etc.

Hipônimo

O hipônimo é um vocabulário mais especifico, se “hiper” é mais amplo, “hipo” é mais restrito, ou seja, elementos que estão dentro do conjunto de hiperônimos.

Exemplos:

  • Morango e abacaxi são hipônimos de fruta.
  • Carro e moto são hipônimos de automóvel.
  • Mosca e barata são hipônimos de inseto.

Homonímia

É a relação estabelecida entre duas ou mais palavras que, mesmo tendo significados diferentes, possuem a mesma fonologia, ou seja, são homônimas.

Então, são palavras que têm a escrita igual, mas apresentam sentidos distintos. A homonímia apresentam as seguintes subdivisões:

  • Palavras homógrafas: aquelas que possuem a mesma escrita, mas apresentam significados diferentes. Exemplo: colher (verbo) e colher (substantivo).
  • Palavras homófonas: aquelas que possuem a escrita diferente, mas a pronúncia igual. Exemplos: Sessão, secção, seção ou cessão e acender (colocar fogo) e ascender (subir).
  • Perfeitas: palavras que são tanto homógrafas quanto homófonas. Isto é, possuem a mesma escrita e a mesma pronúncia, mas com significados diferentes. Exemplo: cedo (do verbo ceder) e cedo (advérbio de tempo). Almoço (substantivo, nome da refeição) e almoço (forma do verbo almoçar na 1ª pessoa do sing. do tempo presente do modo indicativo).

Paronímia

Quando palavras são parecidas na escrita e na pronúncia, contudo apresentam significados diferentes.

Ou seja, na semântica, parônima é a relação estabelecida entre duas ou mais palavras que possuem significados diferentes, porém são semelhantes na ortografia e na sonoridade.

Exemplos:

  • Comprimento (extensão) e cumprimento (saudação).
  • Precedente (que vem antes) e procedente (proveniente; que tem fundamento).
  • Osso (substantivo) e ouço (do verbo ouvir).

Polissemia

A polissemia caracteriza-se pela propriedade de um mesma palavra apresentar vários significados. Isto é, em sua estrutura é possível mais de uma leitura.

Exemplo 1: Uma frase.

  • Vendo a vista.

Observação: há mais de uma interpretação da sentença acima. Veja três delas:

  1. Pode ser alguém abrindo um janela e admirando a vista lá fora.
  2. Pode ser alguém vendendo a vista, ou seja, negociando os olhos.
  3. Pode ser alguém vedando, ou seja, tapando a visão.

Exemplo 2: Uma palavra

  1. Carla bate à porta da frente.
  2. Juliana bate o carro na garagem.
  3. O sino da escola bete duas vezes.
  4. O coração bate forte.

Observação: em todos os exemplos é usado o termo “bate”, contudo, cada um tem um significado diferente. Na primeira, é o ato de fechar. Na segunda, é uma colisão. Na terceira, é soar o sino e o quarto é relacionado ao verbo pulsar.

Então, isto é polissemia, muitas possibilidades de interpretação e sentidos para as palavras.

Ambiguidade

É bem parecido com polissemia, mas ambiguidade está relacionada a uma leitura com vários ângulos, vários focos.

Na semântica, ambiguidade é entendida como a possibilidade de uma palavra ou grupo de palavras terem mais de um significado. 

Exemplo:

  • O menino ver o incêndio do prédio.

Observação: Onde está o menino? Ele está dentro do prédio vendo um incêndio? Ele está em qualquer lugar vendo o incêndio em um prédio?

Logo, o exemplo trata-se de uma ambiguidade, pois pode ser interpretado de diversas formas.

Voltar

Questões