Resumo de Biologia - Seleção Natural

Seleção Natural é a teoria formulada por Charles Darwin (1809-1882) que explica um dos principais mecanismos da evolução.

De acordo com o naturalista, os indivíduos que compõem uma população e que se adaptam mais facilmente a um determinado ambiente são favorecidos por serem capazes de sobreviver e reproduzir. Dessa forma, os mais bem adaptados tem mais chances de sobreviver do que os menos adaptados.

Essa teoria e outras ideias desenvolvidas por Darwin são consideradas revolucionárias e de grande importância para o século XIX por desafiarem as escolas de pensamento racionalista e o fundamentalismo religioso que predominavam na Europa.

Portanto, para entender a importância da teoria da seleção natural e o impacto dela até os dias de hoje, é fundamental conhecer a história do seu mentor e o contexto em que ela foi elaborada.

Charles Darwin e a Teoria da Evolução

Charles Darwin nasceu em 1809, um período em que as ideias religiosas dominavam o pensamento humano. Até o início do século XIX, por exemplo, acreditava-se que a Terra e o ambiente natural haviam sido criados conforme relatado na Bíblia e permanecido praticamente os mesmos desde a sua origem.

Darwin graduou-se na Universidade de Cambridge e logo depois aceitou o cargo de naturalista numa expedição de pesquisa a bordo do navio HMS Beagle, que durou cinco anos e explorou a América do Sul, Austrália, Nova Zelândia e inúmeras ilhas por onde passou.

Em meio às suas observações, ele percebeu que em ilhas remotas, como Galápagos, as espécies eram muito diferentes das encontradas nos outros continentes, o que levou à conclusão de que ainda que essas espécies possuíssem um ancestral comum, o ambiente diferente levou-as a evoluir também de maneira diferente.

A partir dos resultados dessas e outras análises e pesquisas durante essa expedição, Darwin começou a desenvolver suas hipóteses sobre evolução e, 20 anos depois, completou sua teoria com a publicação de Origem das Espécies por Seleção Natural (1859). Esse livro revolucionou as teorias das ciências biológicas da época ao afirmar que “não são as espécies mais fortes que sobrevivem, nem as mais inteligentes, e sim as mais suscetíveis a mudanças”.

Essas ideias não foram bem recebidas na época e Darwin virou algo de caricaturas e sátiras. Somente em 1930, a teoria passou a ser aceita e hoje os estudos da biologia evolucionista baseia-se em seu trabalho.

Como ocorre a seleção natural

A seleção natural ocorre por conta da necessidade de sobrevivência das espécies. Ela depende dos seguintes fatores:

  • Variabilidade entre os indivíduos: são as variações existentes nas características de cada organismo de uma mesma espécie;
  • Reprodução diferenciada: os seres vivos mais adaptados ao ambiente possuem a capacidade de se reproduzir com uma frequência maior que os demais.
  • Hereditariedade: as características vantajosas de um organismo são transmitidas aos seus dependentes, o que aumenta sua frequência em uma população, enquanto que a característica desvantajosa torna-se rara.

Na prática, a seleção natural pode ocorrer na seguinte forma: em uma área existem insetos de uma mesma espécie de cor preta e outros marrom. Nos troncos das árvores os insetos de cor preta destacam-se mais do que os marrons.

Estes últimos conseguem se camuflar nos troncos por causa justamente da cor. Portanto, é possível concluir que os insetos marrons são mais adaptados para viver naquele ambiente do que os pretos, que são facilmente identificados pelos predadores.

Além disso, por sobreviverem por mais tempo, possuem uma capacidade maior também de se reproduzir em comparação com os pretos e, com isso, passam suas características vantajosas aos seus descendentes. Com esse aumento da população de insetos marrons, os pretos passam a ter sua população diminuída.

Outro exemplo muito conhecido da seleção natural refere-se à resistência de microrganismos aos antibióticos. Os antibióticos são utilizados para combater doenças causadas por bactérias desde 1928, com a descoberta da penicilina.

As populações naturais de bactérias possuem uma variação considerável em seu material genético, resultado de mutações gênicas. Em geral, quando expostas a antibióticos as bactérias morrem rapidamente, porém algumas podem possuir mutações, o que as tornam mais resistentes aos efeitos dos antibióticos. Portanto, essa eliminação seletiva de indivíduos mal adaptados de uma população é seleção natural.

As bactérias que sobreviverem irão se reproduzir criando assim uma nova geração desses organismos resistentes à ação de antibióticos.

Tipos de seleção

Afirma-se que a seleção natural é dividida em três maneiras:

  • Seleção direcional: é aquela que dá prioridade a indivíduos de um fenótipo (características observáveis de um organismo, como desenvolvimento, propriedades químicas, fisiológicas, entre outros) extremo.

Um exemplo são os salmões do noroeste do Oceano Pacífico, que vem apresentando uma redução em seu tamanho nos últimos anos. Isso tem ocorrido em decorrência do aumento da pesca com rede na região, que seleciona os indivíduos maiores e faz com que os menores apresentem vantagem sobre os grandes, já que não são capturados. O resultado disso é a diminuição no tamanho médio dessa espécie.

  • Seleção estabilizadora: é a mais comum, seleciona fenótipos intermediários e os extremos são eliminados.
  • Seleção disruptiva: nesse caso, os dois extremos são favorecidos e os organismos intermediários eliminados.
Voltar

Questões