Resumo de Biologia - Sangue

Todos os animais vertebrados, mamíferos, répteis, anfíbios, aves e peixes têm uma complexa rede de tubos na qual circulam seu sangue. Impulsionado pelo coração, ele é transportado de forma rápida e contínua pelas artérias, veias e capilares.

Se fosse possível juntar de ponta a ponta todos os capilares encontrados no corpo humano, eles dariam duas vezes a volta no planeta Terra. O sangue circula pelo sistema inteiro com velocidade suficiente para levar todas as substâncias que ele contém, com muita eficácia para cada parte do corpo.

Funções do Sangue

Ele possui várias funções. Em primeiro lugar ele carrega oxigênio dos pulmões para todas as partes do corpo, recolhendo de volta o dióxido de carbono, além de ser usado como meio transporte de substâncias nutritivas, que são absorvidas pelas células.

O sangue também possui a missão de transportar hormônios das glândulas, onde eles são produzidos, para os tecidos do corpo. São os hormônios que governam e controlam o bom funcionamento de muitas funções do organismo.

O movimento constante do sangue distribui calor pelo corpo, ajudando assim a manter uma temperatura constante. Além disso, ele representa uma barreira contra uma possível invasão de corpos estranhos.

Sangue Humano

O sangue humano é um líquido denso, vermelho e viscoso. Uma pessoa adulta possui em média cinco litros de sangue, com a temperatura de aproximadamente 37°C. Ele é feito de um líquido chamado plasma e de outros elementos de origem celular.

O plasma é um líquido amarelado que é composto de 90% de água. Além dela, ele contém sais minerais e proteínas como a hemoglobina e o fibrinogênio. Quando o plasma não possui fibrinogênio, ele é chamado de soro.

Um dos elementos celulares que compõem o sangue são os glóbulos vermelhos ou hemácias. Os glóbulos vermelhos dos mamíferos não possuem núcleo, perdendo-o durante a sua criação, por esse motivo não podem se reproduzir e tem uma vida média de 120 dias.

As hemácias contêm um pigmento chamado de hemoglobina, que serve para transportar o oxigênio para todas as partes do corpo e recolher o gás carbônico para leva-lo aos pulmões. Quando há insuficiência desses glóbulos no sangue ocorre uma doença chamada anemia.

O ser humano possui uma grande quantidade de hemácias no sangue, chegando a cerca de 125 milhões. Normalmente, elas são destruídas no fígado.

Já os leucócitos ou glóbulos brancos, com sua estrutura celular completa, são as verdadeiras células sanguíneas. Eles podem se movimentar livremente para dentro e fora dos vasos sanguíneos, em qualquer parte do corpo. A sua missão principal é destruir bactérias e outros invasores.

Outro elemento importante do sangue são as plaquetas, que têm origem na fragmentação de células maiores que existem na medula óssea. Elas vivem pouco tempo, chegando a apenas alguns dias.

As plaquetas sanguíneas desempenham um papel importante nos casos de hemorragias. Quando se abre uma ferida na pele, as plaquetas formam um coágulo, de maneira que o fluxo sanguíneo é estancado e o sangue pode seguir sua circulação normal.

A composição do sangue é bem precisa e qualquer alteração indica que há algo de errado no organismo. Exatamente por isso que a maioria dos exames médicos precisam de uma análise sanguínea.

Transfusão

Antigamente, acreditava-se que todos os sangues eram iguais e que a transfusão de sangue poderia ser feita livremente entre espécies diferentes. Porém, essas experiências não foram satisfatórias.

Antes de se fazer uma transfusão é necessário realizar uma análise do sangue do doador e do receptor, para determinar se os tipos sanguíneos são compatíveis. Cerca de 85% da espécie humana possui uma proteína nas hemácias que determinam se o fator é Rh. Essas pessoas são chamadas de Rh positivo (RH+), os outros 15% são chamados de Rh negativo (RH-).  

Tipos Sanguíneos

O que se conhece como tipos de sangue na verdade se chama Sistema ABO. Em 1902, o médico austríaco Karl Landsteiner, juntamente com alguns cientistas, classificou o sangue em tipos, que são:

  • A
  • B
  • O
  • AB

Durante as pessoas, o cientista percebeu que os tipos sanguíneos, quando misturados, geravam reações graves como a destruição das hemácias. Os estudos mostraram que a reação ocorria devido a uma proteína no plasma, chamada aglutinina. Ela regia como uma outra proteína presente nas hemácias chamadas de aglutinogênio.

As análises concluíram que o sangue do tipo A possui uma aglutinina chamada anti-B, portanto, o plasma do tipo A não pode se juntar as hemácias do tipo B. O mesmo acontece com o sangue tipo B, que possui a aglutinina chamada anti-A.

Já o sangue AB não possui aglutinina no seu plasma, por isso é considerado o receptor universal, porém só pode ser doado para outros de sangue AB.

E o tipo O não possui aglutinogênios, porém ele possui os dois tipos de aglutininas, a anti-A e a anti-B, e só pode receber de outros sangues tipo O, no entanto, é considerado o doador universal.

Para facilitar a compreensão, confira a tabela abaixo:

Grupo Sanguíneo Pode receber de Pode doar para
A A , O A , AB
B B , O B , AB
AB A , B , AB , O AB
O O A , B , AB , O
Voltar

Questões