Resumo de Biologia - Neoplasia

Neoplasia é o nome dado a uma massa formada pela produção descontrolada e desordenada de células em tecidos do corpo humano. Essa condição provoca anomalias que são mais conhecidas como tumores. Isso acontece quando a produção excessiva de células tende a invadir outros espaços além do seu próprio.

A neoplasia pode se apresentar nas formas benigna, potencialmente maligna ou maligna. A forma maligna da neoplasia é mais conhecida como o câncer. Existem mais de cem formas de tumores malignos que podem atingir os animais, inclusive os seres humanos.

A multiplicação de células é comum nos animais. Essa produção serve, entre outras coisas, para regenerar tecidos ou fazê-los crescer, por exemplo. Mas o próprio corpo tem um controle sobre essa produção. A neoplasia surge justamente quando, por algum motivo, ele perde essa capacidade.

Vale ressaltar que tumor é o nome dado a toda forma de inchaço, como sinal de inflamação. O próprio nome significa “inchaço” em latim. Portanto, nem todo tumor é sinal de neoplasia. A palavra neoplasma deriva do grego antigo. Ela é a junção dos termos "neo", que significa novo, com o termo "plasma", que quer dizer formação.

Neoplasia benigna e maligna

Conforme explicado, a produção excessiva de células, denominada de neoplasia, pode se apresentar nas formas benigna, potencialmente maligna ou maligna. Vamos entender essa categorização.

A neoplasia benigna é caracterizada pela produção excessiva de células em um só lugar, quando essa produção não ameaça outros espaços do corpo. A produção mais lenta é outra característica da forma benigna da neoplasia.

Geralmente essa região onde ela acontece é cercada por um tecido fibroso. Isso torna a neoplasia possível de ser removida, sem ameaça de metástase.

A metástase é justamente a produção de células desenfreada que excede o seu lugar original. Quando isso acontece, a neoplasia é considerada maligna, ou seja, é formado o câncer.

Neoplasia maligna então, é caracterizada pela formação de um novo tumor, derivado de uma produção de célula que vem de outra região do corpo sem necessariamente terem uma ligação.

Já a neoplasia potencialmente maligna recebe esse nome quando é difícil identificar sua probabilidade de ser benigno ou maligno, pois tem características de ambos.

As neoplasias benignas recebem o sufixo “oma” nos nomes, com algumas exceções como mieloma, melanoma e linfoma, que são malignos. Já as neoplasias malignas recebem o sufixo “sarcoma” ou, quando tem origem no tecido epitelial, “carcinoma”. São exemplos a fibrossarcoma e a osteossarcoma.

Em seres humanos, os tipos de câncer não são transmissíveis. Porém, em algumas espécies de animais isso pode acontecer. Por exemplo, nos cães e outras espécies de canídeos, como lobos e coiotes, podem transmitir uns para os outros uma doença chamada Tumor de Sticker.

A doença, também conhecida como tumor venéreo transmissível (TVT), Sarcoma Venéreo Transmissível Canino ou Sarcoma Infeccioso, pode ser transmitida durante o coito ou através de mordidas, arranhões e até no ato de cheirar o outro.

Câncer

O câncer, ou a neoplasia maligna, envolve um grupo abrangente de doenças provocadas pela produção excessiva de células no corpo. Essa doença pode afetar tanto os seres humanos como outros seres vivos.

Não se sabe exatamente quando a doença surgiu, mas existe um maxilar humano com sinais de um tumor maligno que data de 4.000 a.C. Entretanto, em escritos de povos antigos, como persas e egípcios, já existia a menção de tumores malignos.

Porém, a primeira vez que o câncer foi definido como um tumor duro que poderia voltar após a remoção foi na Grécia Antiga. Isso aconteceu na escola de medicina de Hipócrates, considerado por muitos como o pai da medicina.

Vários fatores externos podem contribuir para o desenvolvimento da neoplasia maligna. Isso acontece quando danos adicionais causados por fatores externos são acometidos ao DNA.

Por exemplo, o uso do tabaco, uma substância tóxica presente no cigarro, pode causar câncer no pulmão, na laringe, no estômago, na bexiga, nos rins e em outras áreas do corpo.

Outro fator que pode provocar a neoplasia maligna é a exposição a radioatividade. Isso pode acontecer desde a exposição a material radioativo até a exposição demasiada ao sol.

A hereditariedade também pode ser um dos fatores que causam a doença. Uma má formação no DNA passada de geração para geração pode causar diferentes tipos de câncer e em lugares variados do corpo.

Como os tipos de neoplasmas malignos são muitos e surgem com a influência de vários fatores, internos e externos, não existe uma única forma de prevenção para esse problema. Mas algumas atitudes podem evitar certos tipos de neoplasmas malignos.

Por exemplo, ter um estilo de vida saudável pode ajudar a evitar uma variedade de problemas. Isso inclui além da alimentação saudável, a prática de atividades.

O uso abusivo de bebidas alcoólicas também é um dos fatores externos que podem provocar a forma maligna do neoplasma. Com isso, pode-se evitar, por exemplo, câncer de fígado, intestino e esôfago.

Existem alguns tipos de tratamentos para os tipos de câncer. Esse tratamento pode depender do tipo de câncer, da sua localização ou do seu estágio. São tipos de tratamento a quimioterapia, a terapia hormonal, a radioterapia, os cuidados paliativos e a terapia-alvo.

Voltar

Questões