Resumo de Educação Física - Montanhismo

Montanhismo é a atividade que consiste em subir montanhas através de caminhadas ou escaladas. Para muitos, um estilo de vida. Mas dentro do contexto desportivo, o montanhismo se enquadra à prática de atividades especificamente em média montanha (até 2.500 m de altitude).

Comumente essa atividade é confundida com outros esportes radicais. São exemplos:  alpinismo – em referência à subida de montanhas nos Alpes; andinismo – em referência à subida de montanhas nos Andes e himalaísmo – em referência à subida de montanhas na Cordilheira do Himalaia.

Em uma definição mais ampla e atual, o montanhismo pode ser definido como toda atividade ligada à montanha. Tendo em vista que, etimologicamente, essa atividade é uma junção das palavras “Montanha” + “ismo” (designação de esportes).

Em relação ao sufixo “ismo”, ao contrário do que comumente se pensa, ele não é utilizado apenas para designar doenças. Geralmente a denominação dada a várias práticas esportivas carregam essa terminação: ciclismo, iatismo, atletismo, pugilismo, paraquedismo, etc.

História do montanhismo

A relação do homens com as montanhas é bem remota. Os escritos datam o período da História Antiga, quando o general Aníbal e seu exército atravessaram os Pirineus e os Alpes com o objetivo de conquistar o norte da Itália.

No período da Idade Média, a visão teocêntrica afastou os aventureiros das montanhas, uma vez que, era dissemina a história que monstros, dragões, alienígenas e outros seres místicos viviam nesses locais.

O italiano Francesco Petrarca, em 1336, subiu no Mont Ventoux, na França, para fazer reflexões filosóficas. Já em 1492, Antoine de Ville realizou uma escalada no Monte Aiguille e nos anos seguintes foram realizadas outros desbravamentos: Monte Titlis (1744), Monte Buet (1770) e Monte Velan (1779).

Mas a escalada realizada por Horace Benedict Saussureao, em 1760, ao Mont Blanc (ponto culminante dos Alpes) é considerada o marco zero do montanhismo, pois a partir daí foi abandonada a crença que as montanhas eram inabitáveis pelos humanos.

Ao longo do século XIX, o alpinismo consolidou-se como um esporte e floresceu em várias pessoas o desejo de “desbravar”, “conquistar” e “contemplar” locais diferentes, tornando-se também uma atividade recreativa.

Os aventureiros passaram a conquistar novos locais, saindo da região europeia e surgiram outras variações do montanhismo:

  • Alpinismo – considerado uma modalidade específica de ascensão a montanhas inferiores a 5000 m de altura acima do nível do mar;
  • Himalaísmo – praticado no Himalaia, utiliza técnicas e filosofias específicas para montanhas acima de 8000 m de altura acima do nível do mar;
  • Andinismo – praticado na Cordilheira dos Andes, utiliza técnicas e filosofias específicas para montanhas acima 7000 m de altura acima do nível do mar.

Vocabulário de escalada

Você sabia que os montanhistas têm uma vocabulário próprio? Confira abaixo alguns:

  • 8c,9ª, etc: grau de dificuldade de uma escalada em via. No Brasil há vias desde o 2º grau até o 11º;
  • Assegurador: profissional do staff que trava a queda do escalador usando a corda;
  • Bivaque: técnica de pernoite sem barraca;
  • Chaminé: fenda na rocha larga que permite ao escalador entrar nela por inteiro;
  • Crux: movimento mais difícil de uma via;
  • Estribo: acessório usado para escaladas artificiais, similar a uma escada;
  • Gri-gri: freio usado pelos asseguradores para conter a queda do montanhista;
  • Limpar a via: recolher o material de proteção instalado na via, geralmente realizado pelo último escalador;
  • Negativo: inclinação na rocha maior que 90º;
  • Retezar: recolher a folga da corda para evitar uma queda de grande impacto;
  • Solo: escalada sem corda de segurança;
  • V5, V8, etc.: grau de dificuldade de um boulder. No mundo há boulders de V0 até V15 ou V16.
  • Via: rota em uma parede de rocha por onde se escala.

Modalidades

Escalada em livre tradicional: subir por uma parede de rocha utilizando somente os apoios naturais, as agarras da pedra;

Escalada esportiva: em condições seguras, o desafio consiste em escalar com seu corpo a via (10 e 30 metros) sugerida sem se preocupar com a queda em si;

Escalada esportiva em estruturas artificiais: essa modalidade é praticada em muros artificiais (madeirite ou fibra), onde são fixadas agarras de resina, gerando inúmeras possibilidades de vias;

Escalada esportiva de competição: consistem em competições de velocidade realizadas em paredes rochosas naturais;

Boulder: compreende a realização de sequências de movimentos difíceis, sobre blocos de presa e sem a utilização de cordas de proteção;

Progressão artificial em rocha: ao contrário da escalada em livre, nessa modalidade o objetivo é utilizar o equipamento como apoio para progredir na via;

Big Wall: essa modalidade está associada com a técnica de escalada artificial, onde o montanhista sobre apoiando-se em equipamentos instalados na rocha. Essa escalada dura no mínimo dois dias;

Escalada alpina: consiste em escalar a montanha, em paredes inóspitas, da maneira mais rápida possível. Essa modalidade é realizada, preferencialmente, sem o uso de serviços, acampamentos, cordas fixas, etc.

Alta montanha: essa modalidade está diretamente relacionada com a altitude. A montanha quanto mais alta, menor a pressão atmosférica exercida, por volta dos 4000m de altitude o organismo humano já começa a perceber os efeitos como baixa pressão, dores de cabeça e enjoos.

Cascatas de gelo: como o nome sugere, essa modalidade é praticada em cascatas de gelo e envolve muita técnica, força física e controle psicológico;

Rapel: essa modalidade na verdade é considerada uma técnica básica de descida, mas ela não é simples, pois 75% dos acidentes em montanhas acontecem nas descidas de rapel.

Equipamentos utilizados

Para quem deseja apenas caminhar em montanhas, os equipamentos básicos são:

  • Tênis ou botas
  • Mochila
  • Barraca
  • Saco de dormir
  • Kit de primeiros socorros
  • Lanternas
  • Canivetes

Se a ideia for praticar atividades radicais como escalada ou rapel em montanhas , além dos equipamentos anteriores é necessário investir em outros específicos:

  • Sapatilha
    • Cadarço
    • Velcro
    • Slipper
  • Cordas
  • Capacete
  • Fita solteira
  • Mosquetões
  • Cadeirinhas
  • Freio

Locais para praticar

O Brasil possui vários locais propícios para o montanhismo com belíssimas paisagens. Confira alguns:

Região Norte

  • Monte Roraima, RR
  • Pico da Neblina – Santa Isabel do Rio Negro, AM

Região Nordeste

  • Pico do Itobira – Rio das Contas, BA
  • Pedra da Galinha Choca – Quixadá, CE

Região Sudeste

  • Pico do Cristal – Serra do Caparaó, MG
  • Pico de São Domingos – Cambuí, MG

Região Sul

  • Visual das Águas – Bragança Paulista, SP
  • Pedra Grande – Atibaia, SP

Voltar