Resumo de Biologia - Miopia

A miopia é uma doença oftalmológica que faz com que o indivíduo tenha dificuldade de enxergar nitidamente objetos que estão distantes, causando uma impressão de borrão na visão. Contudo, objetos próximos são vistos normalmente.

De modo simplificado, a miopia acontece por um erro refrativo, ou seja, um defeito de convergência faz com que os raios luminosos se formem antes da retina e não nela.

Consequentemente, a luz que entra no olho não é focalizada de forma correta e os objetos distantes parecem borrados. A visão de um míope é semelhante a imagem ao lado. 

Acredita-se que a miopia é causada, principalmente, por duas condições: diâmetro ântero-posterior do globo ocular mais longo que o normal e cristalino com uma distância focal curta.

Os principais sinais dessa doença são:

  • Dificuldade de enxergar nitidamente objetos distantes;
  • Necessidade de apertar os olhos para enxergar claramente;
  • Dores de cabeça e cansaço visual
  • Dificuldade de dirigir veículos à noite;

Também são considerados fatores de risco da doença questões genéticas, ambientais e comportamentais. Por exemplo, na miopia parental, quando ambos genitores são míopes, há grande probabilidade dos filhos também desenvolverem a doença.

Os erro refrativo são bastantes comuns, o que inclui o astigmatismo e a hipermetropia. Em relação especificamente à miopia,estima-se que cerca de 1,5 bilhões de pessoas, aproximadamente 22% da população mundial, tenham a doença e a tendência é que esse número cresça.

Mas antes de conhecer os tipos de miopia e os tratamentos, devemos entender como funciona o olho e o processo de visão. Acompanhe a explicação abaixo e boa leitura!

Olho e visão

Os olhos são órgãos responsáveis pelo sentido da visão. Apesar de pequenos, são formados por várias estruturas sensíveis e que trabalham em conjunto:   

  • Córnea: estrutura transparente com função de focar a luz através da pupila para a retina, atuando como uma espécie de lente fixa;
  • Esclera: parte “branca” do olho que é responsável pela proteção do globo ocular e da forma firme e regular;
  • Retina: formada por milhões de fotorreceptores, que são sensores que convertem a luz em impulsos eléctricos;
  • Pupila: corresponde ao buraco “negro” no meio do olho. É ele que possibilita a passagem da luz;
  • Íris: parte colorida do olho que controla a quantidade de luz que passa pela pupila;
  • Cristalino: espécie de disco transparente localizado atrás da íris.  
  • Nervo óptico: envia os sinais da retina até ao cérebro;
  • Conjuntiva: fina membrana que protege e reveste o interior da pálpebra e a superfície do globo ocular, além de ajudar a mantê-lo úmido.  
  • Humor aquoso: líquido transparente localizado entre a íris e a córnea, cuja função é manter a pressão ocular e conferir formato redondo ao olho;
  • Humor vítreo: substância gelatinosa que preenche todo o espaço interno do olho, o que lhe garante sua forma e volume. 

A formação da imagem em um míope

O processo de formação de uma imagem se inicia quando a luz atravessa a córnea, em seguida o humor aquoso, o cristalino, humor vítreo e se dirige para a retina, onde forma-se uma imagem invertida.

Ainda invertida, a imagem é enviada ao cérebro pelo nervo óptico. Nesse órgão acontece uma serie de fenômenos químicos capazes de deixar a imagem na posição correta, de modo que o objeto seja enxergado nitidamente. 

Em um indivíduo com miopia a luz atravessa a córnea e segue o caminho correto, contudo a imagem se forma antes de chegar na retina, desfocando os objetos que estão em uma posição mais longe.

Tipos de miopia

Diversos sistemas de classificação foram criados para tipificar a miopia. Os mais conhecidos são:

Graus – os graus são medidos em dioptrias. Então, quanto maior for o grau da miopia maior é a dificuldade em enxergar de longe. Os principais graus são: miopia ligeira (até 3 dioptrias), miopia moderada (3 a 6 dioptrias) e miopia alta (mais de 6 dioptrias);98

Aspecto clínico – a categoria mais básica é chamada de miopia simples, geralmente, com menos de 6 dioptrias. Nessa condição, o indivíduo possui o olho normal, contudo longo para a sua potência óptica ou muito poderoso para seu comprimento axial.

A miopia noturna ocorre somente em condições ambientais com iluminação fraca, manifestando-se essencialmente pelo aumento da resposta adaptativa junto aos baixos níveis de luz.

A maioria dos casos dessa doença são saudáveis. Contudo, a miopia degenerativa ou maligna pode resultar, por exemplo, na redução da acuidade visual e em alterações no campo de visão. Esse tipo da doença é uma das principais causas de cegueira.

Já a miopia induzida ou adquirida é consequência do uso de vários agentes fármacos, alterações nos níveis de açúcar no sangue e outras condições anômalas. Ela ainda pode acontecer em duas situações:

  • Miopia índice: variações no índice de refração
  • Miopia de privação: limitação da visão causada pela iluminação ou uso de lentes artificiais.

Prevenção e tratamento

Ainda não existe uma maneira específica para prevenir a doença. Contudo, alguns estudos sugerem que passar de duas a três horas ao ar livre pode ser eficaz contra o surgimento da miopia em crianças.

Já o tratamento varia de acordo com o tipo da doença. Por exemplo, o uso de medicamentos tópicos em crianças menores de dezoito anos pode retardar o agravamento da miopia.

As lentes de correção, um dos métodos mais utilizados, são capazes de diminuir a potência ótica do olho, fazendo com que a imagem foque da maneira correta na retina. Já a correção cirúrgica só é indicada após os 20 anos.

Voltar

Questões