Resumo de Português - Metalinguagem

Metalinguagem é uma das funções linguísticas identificadas pelo linguista Roman Jakobson. No início dos anos 1960, Jakobson criou um modelo em que cada elemento da comunicação (emissor, receptor, mensagem, referente, código e canal) tinha uma função.

As funções definidas por ele são: função emotiva, função conativa, função poética, função referencial, função metalinguística e função fática.

A metalinguagem é a função da linguagem que se refere ao código.É quando a linguagem (código) se volta sobre si mesma transformando-se em seu próprio referente. Ou seja, é o código usado para esclarecer, explicar, abordar o próprio código.

A função e o código são as principais características presentes em um texto metalinguístico. A função tem como finalidade a explicação, enquanto o código é autoexplicativo.

A metalinguagem também tem variações como metadiscurso, metaliteratura, metapoema e metanarrativa. Vale ressaltar que um dos primeiros a usar essa função foi a poesia.

  • Metadiscurso: é o discurso que fala do discurso.
  • Metaliteratura: é a literatura sendo usada para falar da literatura.
  • Metapoema: é um poema falando de como fazer um poema.
  • Metanarrativa: é uma narrativa falando da própria narrativa.

Tipos de metalinguagem

A metalinguagem é um conceito linguístico que pode ser considerado um estilo de escrita.Por esse motivo, há diversas formas de praticá-la. As três mais conhecidas são as “incorporadas”, “ordenadas” e “aninhadas”, também chamada de “hierárquicas”.

Metalinguagem incorporada

Consiste na explicação que está contida na própria linguagem. Isto é, a linguagem é integrada a uma linguagem objeto.

Por exemplo, ao dizer que a neve é branca configura-se uma metalinguagem incorporada, pois o adjetivo “branca” já  exemplifica que a neve é branca. 

Metalinguagem ordenada

Consiste na criação de uma linguagem para mencionar outra linguagem. Esse processo de criar uma metalinguagem explicando outra linguagem acaba se tornando sem fim.

Metalinguagem aninhada (hierárquica)

Consiste em uma lógica não comutativa,apresentando-se  vários níveis acima e abaixo.

Por exemplo: a classificação biológica dos seres vivos. Cada nível incorpora o que está abaixo. Ou seja, o nível de gênero também descreve espécie, o nível ordem também descreve gênero e assim até chegar ao nível dos reinos.

Exemplos

  • Programa que fala de programa: exemplo do “Vídeo Show”, transmitido pela Rede Globo, que fala de programas de televisão;
  • A pintura de um pintor pintando;
  • Um filme falando sobre um filme;
  • O poema falando de um poema;
  • Sinais de trânsitos;
  • Livros de gramática;
  • Dicionários.

Importante ressaltar que a metalinguagem não se limita apenas a linguagem verbal. Essa função linguística também pode ser encontrada na linguagem não-verbal.

Exemplos na poesia

Teus poemas, não os date nunca… Um poema
Não pertence ao Tempo… Em seu país estranho
Se existe hora, é sempre a hora extrema
Quando o anjo Azrael nos estende ao sedento
Lábio o cálice inextinguível…
Um poema é de sempre, Poeta:
O que tu fazes hoje é o mesmo poema.

(Mário Quintana).

“[…] Chega mais perto e contempla as palavras.
Cada uma
tem mil faces secretas sob a face neutra
e te pergunta, sem interesse pela resposta,
pobre ou terrível, que lhe deres:
Trouxeste a chave? […]”

(Trecho do poema Procura da poesia, de Carlos Drummond de Andrade)

Autopsicografia
O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.
E os que leem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.
E assim nas calhas de roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama coração.

Fernando Pessoa

Na música

Música: Samba de uma nota só, de Tom Jobim.

Eis aqui este sambinha
Feito numa nota só,
Outras notas vão entrar
Mas a base é uma só.
Essa outra é consequência
Do que acabo de dizer
Como sou a consequência inevitável de você.
Quanta gente existe por aí
Que fala fala e não diz nada,
Ou quase nada.
Já me utilizei de toda escala
E no final não sobrou nada,
Não deu em nada.
E voltei pra minha nota
Como eu volto pra você
Vou dizer em uma uma nota como eu gosto de você.
E quem quer todas as notas
Ré-Mi-Fá-Só-Lá-Si-Dó
Fica sempre sem nenhuma
Fique numa nota só.
Eis aqui esse sambinha
Feito numa nota só,
Outras notas vão entrar
Mas a base é uma só.
Esta outra é consequência
Do que acabo de dizer
Como sou a consequência, inevitável de você.
Quanta gente existe por aí
Que fala tanto e não diz nada,
Ou quase nada.
Já me utilizei de toda escala
E no final não sobrou nada,
Não deu em nada.
E voltei pra minha nota
Como eu volto pra você,
Vou dizer em uma uma nota como eu gosto de você.
E quem quer todas as notas
Ré-Mi-Fá-Só-Lá-Si-Dó
Fica sempre sem nenhuma
Fique numa nota só.

A música “Emoções”, de Roberto Carlos, é a música falando da própria experiência de fazer música, das mais diversas sensações que o cantor sente ao cantar.

Quando eu estou aqui
Eu vivo esse momento lindo
Olhando pra você
E as mesmas emoções sentindo
São tantas já vividas
São momentos que eu não esqueci
Detalhes de uma vida
Histórias que eu contei aqui
Amigos eu ganhei
Saudades eu senti, partindo
E às vezes eu deixei
Você me ver chorar, sorrindo
Sei tudo que o amor
É capaz de me dar
Eu sei já sofri
Mas não deixo de amar
Se chorei
Ou se sorri
O importante
É que emoções eu vivi
São tantas já vividas
São momentos que eu não esqueci
Detalhes de uma vida
Histórias que eu contei aqui
Mas eu estou aqui
Vivendo esse momento lindo
De frente pra você
E as emoções se repetindo
Em paz com a vida
E o que ela me traz
Na fé que me faz
Otimista demais[…]

O videoclipe “Rain”, da cantora americana Madonna, é sobre um videoclipe que conta a história da filmagem de um videoclipe. Assim como o videoclipe “Torn”, de Natalie Imbruglia, em que é possível até ver o cenário usado na filmagem sendo desmontando.

No cinema

O filme “Birdman” é uma produção metalinguística, pois aborda a produção de uma peça. Assim como o filme Cinema Paradiso, de 1988, em que o filme tem o intuito de explicar a linguagem da produção do próprio cinema.

A mesma função aparece em filmes como “A rosa púrpura do Cairo” (The purple rose of Cairo), “A malvada” (Al about Eve), “Saneamento Básico”, “A invenção de Hugo Cabret”, entre outros.

Metalinguagem versus intertextualidade

Cuidado para confundir os dois conceitos. Como já mencionado, a função metalinguística é quando a linguagem é usada para abordar a própria linguagem. Já a intertextualidade é quando um texto faz referência a outro de forma a estabelecer um diálogo entre eles.

Voltar

Questões