Resumo de Geografia - Mar de Bering

O Mar de Bering tem um formato triangular e fica localizado entre o extremo leste da Ásia e o extremo oeste da América, sendo caracterizado principalmente, pelo fato de ser um mar de águas muito geladas, cujo a temperatura de suas águas superficiais tem uma variação entre 1 °C e 5 °C.

As Características do Mar de Bering

Entre as principais características do mar de Bering está o fato de que é uma extensão marítima que fica no extremo norte do Oceano Pacífico e mede mais de 2 milhões de quilômetros quadrados e aproximadamente 3.936 metros de profundidade.

Além de possuir um formato triangular, o mar de Bering mede cerca de 2.400 quilômetros na região mais extensa e somente 85 quilômetros no local mais estreito, conhecido como Estreito de Bering.

O mar de Bering está limitado ao norte pelo AlascaEstados Unidos, com o estreito de Bering que liga o Oceano Pacífico ao Oceano Ártico e fica entre a Rússia e os Estados Unidos. Ao noroeste se limita com a Sibéria e ao sul com a Península do Alasca e ilhas Aleutas.

O mar de Bering foi nomeado com o mesmo nome do seu descobridor, o oficial, explorador e navegador dinamarquês Vitus Jonassen Bering (1681 – 1741).

No decorrer da última era glacial (era do gelo), o nível do mar baixou suficientemente para possibilitar que seres humanos e alguns animais emigrassem por terra, da Ásia para a América do Norte. Esse fenômeno foi chamado de “Ponte Terrestre de Bering”.

A Ponte Terrestre de Bering também era chamada de Beríngia, foi uma porção de terra firme que tinha cerca de 1.600 km do norte ao sul, em sua extensão máxima que uniu o Alasca e a Sibéria no decorrer das glaciações (fenômenos climáticos). Essa ponte estava situada no local onde se encontra o estreito de Bering.

No período da Rússia Imperial, as terras do Alasca eram do Império Russo. No ano de 1867, os Estados Unidos compraram as terras da Ásia e tomaram conta das rochas ocidentais do estreito de Bering.

A Teoria de Bering

A teoria de Bering é uma das teorias que explicam como se deu o povoamento das Américas. Ela argumenta que os seres humanos teriam começado a povoar o continente americano há cerca de 50 mil anos a partir da travessia do estreito de Bering.

Conforme essa teoria, no decorrer de um dos períodos de glaciação, quando o nível de água do oceano estava resumido, se formou de forma natural, uma ponte entre a América e a Ásia e isso permitiu que os povos habitassem a Ásia.

Foi a partir desse período que os seres humanos começaram a povoar todo território do continente americano, originando assim a diversidade de povos originários da América.

O Clima

O clima existente no mar de Bering é muito rigoroso. As correntes de água quente originadas da região equatorial atingem de maneira fraca o norte do Oceano Pacífico e isso faz com que as zonas costeiras daquela região apresentem baixas temperaturas e invernos severos, com temperaturas que podem atingir aproximadamente menos 45 graus centígrados (- 45 °C).

Trata-se de uma característica importante, que faz com que o mar de Bering seja considerado um mar muito perigoso para a navegação de embarcações, por causa da existência constante de icebergs.

Os navios que costumam trafegar naquela região concentram as suas atividades em meses considerados menos frio, que geralmente são do mês de maio ao mês de outubro. O objetivo dessa medida é evitar a colisão dos navios com os incontáveis blocos de gelo existentes naquelas águas geladas.

A Economia

No mar de Bering é possível encontrar cerca de trezentas espécies de peixes, entre eles é possível citar o arenque, o bacalhau e o linguado. Existem ainda, alguns peixes que possuem um interesse comercial bem alto, a exemplo do salmão, que é encontrado em grandes quantidades na Rússia e no Alasca, onde atingem a vida adulta.

A região do mar de Bering também é rica em crustáceos, a pesca de caranguejos na área por exemplo, é considerada como sendo uma das atividades econômicas mais lucrativas, mundialmente falando.

As focas e as lontras costumam utilizar as ilhas do mar de Bering como locais de reprodução, além de uma grande quantidade de espécies de pássaros aquáticos que também vivem nesse mar ou nas suas proximidades.

A indústria da pesca e as atividades que estão relacionadas a ela são as principais atividades econômicas daquela região. O mar de Bering oferece mais da metade da demanda dos frutos do mar que são consumidos nos Estados Unidos e cerca de um terço dos frutos do mar consumidos na Rússia. Esses países juntos controlam mais de 90% da superfície desse mar.

Tanta biodiversidade acaba estimulando a pesca predatória na região e coloca em risco todo o ecossistema local. O problema afeta, principalmente os grandes mamíferos marinhos, a exemplo das baleias, que são animais muito sensíveis às perturbações provocadas pela indústria pesqueira.

 

No vídeo, um detalhamento sobre o Estreito de Bering:

Voltar

Questões