Resumo de Português - Interjeição

A interjeição é uma palavra ou expressão utilizada, costumeiramente na língua falada, para expressar estados emotivos.

A gramática da língua portuguesa concebe a interjeição como verdadeiras orações. A razão disso é porque constitui-se como unidades linguísticas semanticamente autônomas.

O sentido de cada interjeição dependerá do contexto textual ou do contexto de fala em que foi utilizada. No caso da oralidade do dia a dia o que contribui para a correta interpretação é a pronúncia.

Leia abaixo o lindo poema da literatura brasileira “Meus oito anos” do poeta brasileiro Casimiro de Abreu e observe as palavras negritadas.

Oh! que saudades que tenho
Da aurora da minha vida,
Da minha infância querida
Que os anos não trazem mais!
Que amor, que sonhos, que flores,
Naquelas tardes fagueiras
À sombra das bananeiras,
Debaixo dos laranjais!
Como são belos os dias
Do despontar da existência!
— Respira a alma inocência
Como perfumes a flor;
O mar é — lago sereno,
O céu — um manto azulado,
O mundo — um sonho dourado,
A vida — um hino d’amor!
Que aurora, que sol, que vida,
Que noites de melodia
Naquela doce alegria,
Naquele ingênuo folgar!
O céu bordado d’estrelas,
A terra de aromas cheia
As ondas beijando a areia
E a lua beijando o mar!
Oh! dias da minha infância!
Oh! meu céu de primavera!
Que doce a vida não era
Nessa risonha manhã!
Em vez das mágoas de agora,
Eu tinha nessas delícias
De minha mãe as carícias
E beijos de minha irmã!
Livre filho das montanhas,
Eu ia bem satisfeito,
Da camisa aberta o peito,
— Pés descalços, braços nus
— Correndo pelas campinas
A roda das cachoeiras,
Atrás das asas ligeiras
Das borboletas azuis!
Naqueles tempos ditosos
Ia colher as pitangas,
Trepava a tirar as mangas,
Brincava à beira do mar;
Rezava às Ave-Marias,
Achava o céu sempre lindo.
Adormecia sorrindo
E despertava a cantar!
Oh! que saudades que tenho
Da aurora da minha vida,
Da minha infância querida
Que os anos não trazem mais!
— Que amor, que sonhos, que flores,
Naquelas tardes fagueiras
A sombra das bananeiras
Debaixo dos laranjais!

O eu-lírico demostra claramente no poema alguns sentimentos sobre as lembranças da sua infância. A expressão “Oh!” é som vocálico que no poema exprime e reforça o sentimento de saudade, conforme expressa o próprio eu-lírico no trecho “que saudades que tenho”. E ao longo do poema é utilizado com essa finalidade.

Observe ainda que no poema tem um grupo de palavras que unidas expressam o estado emotivo do eu-lírico. Na expressão “um hino d’amor!”, por exemplo, transmite o sentimento de afetividade pela vida.

Quando ocorre a expressão de estado emotivo através de um grupo de palavras recebe o nome de locução interjetiva. É importante destacar que tanto a interjeição quanto a locução interjetiva são acompanhadas por um ponto de exclamação, que é o sinal de pontuação usado para expressar sentimentos.

Tipos de interjeição

A interjeição é uma palavra ou expressão solta que não tem uma classificação gramaticalmente estática. Logo, o contexto é o principal fator de interpretação. Mas, de modo geral, existem os tipos de interjeição mais comuns. Veja:

  • Alívio
    Exemplo 1: Ufa! Quase cair na lagoa.
    Exemplo 2: Ah! Que bom Pedrinho chegou em casa, porque estávamos preocupados.
  • Chamamento
    Exemplo 3: Alô! O drº Fernando está na clínica?
    Exemplo 4: Psiu! O nome da senhora é Catarina?
  • Despedida
    Exemplo 5: Dona Júlia amanhã estaremos de volta. Tchau!
    Exemplo 6: Papai ficarei com saudades. Adeus!
  • Dor
    Exemplo 7: Ah! Estou com muita dor no dente.
    Exemplo 8: Ui! O cachorro da vovô mordeu meu pé.
  • Satisfação
    Exemplo 9: Viva! Ganhamos o prêmio da loja.
    Exemplo 10: Vamos para o piquenique hoje. Oba!
  • Contrariedade
    Exemplo 11: Droga! Tirei nota baixa na prova de matemática.
    Exemplo 12: Perdemos o trem das 9h e agora vamos andar muito até o parque. Porcaria!
  • Estímulo
    Exemplo 13: Vamos vencer o campeonato campeões. Força!
    Exemplo 14: Turma, avante! Esse semestre teremos muitos trabalhos.
  • Medo
    Exemplo 15: Cruzes! Vimos um animal feioso na mata.
    Exemplo 16: Socorro! Chamem os bombeiros civis.
  • Aplauso
    Exemplo 17: Apoiado! Vamos começar hoje o projeto.
    Exemplo 18: Bravo! Vocês passaram de ano.
  • Espanto
    Exemplo 19: Júlia, você apareceu de repente. Caramba!
    Exemplo 20: Quê! O local da prova já está fechado.
  • Silêncio
    Exemplo 21: Silêncio! Precisamos de concentração na sala de aula.
    Exemplo 22: Maria e Julinha parem a bagunça. Chega!
  • Dúvida
    Exemplo 23: Joãozinho, conseguiu terminar toda tarefa da escola. Hum?
    Exemplo 24: Hã? Somente os meninos ganharam as gincanas da escolas?

Fique sabendo:
A interjeição que é acompanhada pelo ponto de interrogação é chamada de interjeição interrogativa. Exemplos: Oi?, Hein?, Quê?, Hã?, Será?, Sério?, Como?, Mesmo?.

Locução interjetiva

As locuções interjetivas têm a mesma finalidade linguística que as interjeições, ou seja, expressam estados emotivos. A diferença é que são formadas por um grupo de palavras, conforme dito anteriormente. Leia abaixo alguns exemplos:

  • Ainda bem! Vamos chegar mais cedo em casa.
  • Conseguimos adquirir o produto com menor preço. Nossa Senhora!
  • Tenha uma boa noite, Dona Maria. Até amanhã!
  • Até logo! Nos vemos em breve.
  • Estamos torcendo por vocês nessa tarefa. Vai nessa!
  • Jesus Maria e José! O acidente aéreo foi terrível.
  • A rua está muito deserta nesse horário. Que medo!
  • Meu Deus! Vocês chegaram em casa de madrugada?
  • Crê em Deus pai! Os preços dessa loja são muito caros.
  • Quero vocês sentados aqui. Bico fechado!

Interjeição na música

A interjeição é escrita em muitas músicas. Na letra de “Baila Comigo,” da cantora brasileira Rita Lee,  a locução interjetiva “Se Deus quiser” expressa o sentimento de desejo, e a interjeição “Ah” expressa alívio.

Leia abaixo essa música dos anos 80, observe os sentidos das interjeições negritadas e aproveite para cantar:

Se Deus quiser!
Um dia eu quero ser índio
Viver pelado, pintado de verde
Num eterno domingo
Ser um bicho preguiça
Espantar turista

E tomar banho de sol
Banho de sol!
Banho de sol!
Sol!

Se Deus quiser!
Um dia acabo voando
Tão banal assim como um pardal
Meio de contrabando
Desviar do estilingue
Deixar que me xingue

E tomar banho de sol
Banho de sol!
Banho de sol!
Banho de sol!

Baila comigo, como se baila na tribo
Baila comigo, lá no meu esconderijo
Baila comigo, como se baila na tribo
Baila comigo, lá no meu esconderijo

Se Deus quiser!
Um dia eu viro semente
E quando a chuva molhar o jardim
Ah! Eu fico contente
E na primavera
Vou brotar na terra

E tomar banho de sol
Banho de sol!
Banho de sol!
Banho de sol!

Se Deus quiser
Um dia eu morro bem velha
Na hora H, quando a bomba estourar
Quero ver da janela
E entrar no pacote
De camarote

E tomar banho de sol
Banho de sol!
Banho de sol!
Banho de sol!

Baila comigo, como se baila na tribo
Baila comigo, lá no meu esconderijo
Baila comigo, como se baila na tribo
Baila comigo, lá no meu esconderijo

Voltar

Questões