Resumo de Geografia - Índice de Desenvolvimento Humano (IDH)

O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é uma medida utilizada pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) para mensurar o nível de desenvolvimento humano dos países.

Criado pelo economista paquistanês Mahbub ul Haq com a colaboração do indiano Amartya Sen, o IDH baseia-se em três principais aspectos do desenvolvimento humano: educação, saúde e renda.

O IDH possui uma grande importância para os países de maneira geral por ser uma ferramenta que permite o estabelecimento de estratégias de desenvolvimento de uma localidade a partir de seus resultados.

Origem do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH)

O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) foi lançado por Mahbub ul Haq e Amartya Sen em 1990. O objetivo principal era desenvolver uma medida que tirasse o foco exclusivo da economia e que levasse em consideração também fatores sociais.

Dessa forma, o IDH rompe com a análise existente até então, baseada apenas em questões econômicas como industrialização, consumo, renda familiar e Produto Interno Bruto (PIB) e passa a ser um dos principais elementos do Relatório para o Desenvolvimento Humano (RDH), documento produzido pela ONU (Organização das Nações Unidas).

A partir dos dados do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), é possível estabelecer um grau de desenvolvimento socioeconômico de cada um dos países e as agências das Nações Unidas conseguem elaborar estratégias de ajuda humanitária para os locais mais necessitados.

Critérios de avaliação

O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) avalia os países nos seguintes critérios: saúde, educação e renda.

Saúde

Com relação à saúde, é analisada a taxa de expectativa de vida da população de cada país, acesso a recursos médicos, tratamentos e outros aspectos que demonstram as condições de bem-estar e qualidade de vida local.

Sendo assim, quanto maior a taxa, melhores são as condições de vida de seus habitantes. Para isso, influenciam ações como fornecimento de medicamentos, campanhas de vacinação, pré-natal, além de educativas sobre saúde. 

Educação

Esse critério está relacionado a quantidade média de anos de estudo de uma população, ou seja, o período que uma pessoa passou na escola. Quanto maior for esse tempo de permanência, maiores são as chances de desenvolvimento de um país.

A educação reflete também a atenção que os governantes dão ao futuro de sua nação, bem como as políticas com relação ao estudo de crianças e adolescentes. Esforços no sentido de reduzir as taxas de evasão ou repetência contribuem para melhorar a posição de um país nesse quesito.

Renda

Outro aspecto avaliado no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é a distribuição de renda. O valor médio de rendimento de um país baseado na média do Produto Interno Bruto (PIB), que é a soma dos bens e serviços produzidos em um país durante um período, dividido pelo número de habitantes.

Portanto, o poder aquisitivo, nível de consumo e taxa de desemprego são fatores que contribuem para a colocação de um país no IDH.

Escala do IDH

O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) varia numa escala de 0,000 (nenhum desenvolvimento humano) até 1 (nação muito desenvolvida). Portanto, países que apresentam índice superior a 0,800 possuem um IDH alto. Já os que se encontram entre 0,500 e 0,799, IDH mediano e de 0 a 0,499 são considerados países com IDH abaixo da média.

Importância

A capacidade de mensurar o nível de desenvolvimento das nações nos quesitos educação, saúde e renda fez com que o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) passasse a se tornar referência mundial, norteando os governantes com relação ao que deve ser melhorado nos seus países.

O IDH permitiu também a criação do Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M) que avalia as condições de vida no interior de um mesmo país, contribuindo também na orientação das políticas públicas.

Críticas

Por outro lado, muitos especialistas têm criticado nos últimos anos por considerarem a abordagem do índice limitada, excluindo outras questões de ordem ambiental, como a sustentabilidade. Alguns, inclusive, consideram-no redundante por medir aspectos já exaustivamente estudados.

IDH dos países

Dados de 2018 apontam os países com os maiores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH). Os dez primeiros colocados são:

  1. Noruega – 0.953
  2. Suíça – 0.944
  3. Austrália – 0.939
  4. Irlanda – 0.938
  5. Alemanha – 0.936
  6. Islândia – 0.935
  7. Hong Kong – 0.933
  8. Suécia – 0.933
  9. Singapura – 0.932
  10. Holanda – 0.931

Já os dez países que apresentam as menores taxas de IDH, ocupando as posições 180 a 189 são:

  • Moçambique – 0.437
  • Libéria – 0.435
  • Mali – 0.427
  • Burkina Faso – 0.423
  • Serra Leoa – 0.419
  • Burundi – 0.417
  • Chade – 0.404
  • Sudão do Sul – 0.388
  • República Centro-Africana – 0.367
  • Níger – 0.354

IDH no Brasil

O Brasil ocupa atualmente o 79º lugar no IDH, com um índice de 0,759, no grupo considerado “Alto desenvolvimento humano”, por demonstrar avanços socioeconômicos.

Dados do PNUD de 2010 apontam que os estados do Distrito Federal (0,874), Santa Catarina (0,840) e São Paulo (0,833) da região centro-oeste, região sudeste e região sul, respectivamente, apresentam os melhores IDH’s ocupando as três primeiras colocações.

Entre os municípios, São Caetano do Sul/SP (0,862), Águas de São Pedro/ SP (0,854) e Florianópolis/ SC (0,847) destacam-se nos três primeiros lugares.

Voltar

Questões