Resumo de Biologia - Gravidez

Gravidez é o nome usado para definir todo o período de desenvolvimento do embrião dentro de uma mulher. Ela acontece quando o óvulo, gameta feminino fecundado pelo espermatozoide, origina o zigoto ou ovo.

A gravidez tem início a partir da nidação, que é o processo no qual, após várias mitoses, o zigoto transforma-se em embrião e é implantado na parede do útero, e vai até o dia do nascimento do bebê.

A gestação pode ser descoberta tanto com o uso de um teste de farmácia, no qual o resultado sai em até um minuto, quanto por meio do exame Beta HCG, que faz a coleta de sangue.

No vídeo abaixo, confira como acontece a formação de um bebê dentro da barriga da mãe.

Etapas da gravidez

Uma gestação considerada normal tem a duração de 40 semanas ou 9 meses, contados a partir da última menstruação. No entanto, quando o bebê nasce antes da data prevista ele é chamado de prematuro.

Esse tempo é dividido em três seções, os chamados trimestres. Os órgãos mais importantes do bebê começam a se desenvolver a partir do 1° trimestre. Após a oitava semana de gestação, deixa de ser embrião e vira feto.

Durante a quarta semana de gestação a mulher começa a sentir os sintomas comuns do início da gravidez,  como náuseas, vômitos, cansaço, dores nos seios e aumento do volume das mamas.

A partir do segundo trimestre,  o feto cresce e já apresenta uma aparência humana reconhecível, sendo possível o reconhecimento do sexo. 

Além disso, nesse período, a pressão sanguínea e o ritmo cardíaco da mulher aumentam para suprir as necessidades do feto. Já no terceiro e último trimestre, os órgãos do bebê amadurecem e as chances de sobrevivência aumentam.

Próximo a sétima semana de gestação será formado um tampão de muco no colo uterino. Ele serve para proteger o bebê, impedindo o contato do útero com o meio externo.

Para ter uma gestação saudável é importante que, antes de iniciar o preparo da gravidez, a mulher realize exames capazes de identificar algum tipo de doença sexualmente transmissível (DST). Assim,  estará preservando a sua saúde e a da criança.

Sintomas

É muito comum que no início da gravidez o corpo da mulher passe por inúmeras transformações, sejam elas físicas, hormonais ou psicológicas. Os sintomas mais comuns do início de uma gestação são:

  • Atraso menstrual;
  • Cólica e inchaço abdominal;
  • Corrimento vaginal, normalmente cor-de-rosa;
  • Cansaço fácil;
  • Mamas inchadas e sensíveis;
  • Aversão a cheiros fortes;
  • Variações no humor;
  • Vômitos, enjoos ou salivação excessiva;
  • Sono excessivo;
  • Aumento da vontade de urinar;
  • Pele oleosa e espinhas.

Contudo, estes sintomas devem ser observados principalmente após o atraso da menstruação, pois eles também podem ser confundidos com os sinas da Tensão Pré Menstrual (TPM).

Alimentos que devem ser evitados

Durante a gestação existem alguns alimentos que devem ser evitados pela mãe, uma vez que a alimentação interfere diretamente na saúde e desenvolvimento do bebê. Assim, é aconselhável evitar:

  • Peixes crus;
  • Carnes mal passadas;
  • Leite não pasteurizados;
  • Bebidas alcoólicas;
  • Açúcar em excesso;
  • Cafeína.

Hormônios

Na gravidez, os hormônios desempenham um papel muito importante. A maioria é secretada pela própria placenta. Dois deles são o estrogênio e a progesterona, hormônios sexuais femininos que são secretados pelos ovários durante o ciclo menstrual.

A grande função da progesterona é disponibilizar as quantidades adicionais de nutrientes que ficam armazenadas no endométrio e transferi-lo para o feto. Isso é feito para permitir que as células do endométrio armazenem glicogênio, gorduras e aminoácidos.

Além disso, a progesterona exerce potente efeito inibidor sobre a musculatura uterina, fazendo com que ela permaneça relaxada durante toda a gravidez.

O estrogênio, por sua vez, provoca rápida proliferação da musculatura uterina, aumento muito acentuado do  sistema vascular para o útero e dilatação dos órgãos sexuais externos.

 Existem outros dois hormônios que desempenham funções essenciais para a proteção da mãe e do bebê. Um é a gonadotrofina coriônica, que é produzido pelo embrião quando ele é implantado no útero. O segundo  é a somatomamotropina coriônica humana. Na mãe, esses hormônios ajudam a controlar as alterações do útero e das mamas.

Placenta

A placenta é um órgão que só existe durante a gravidez. Segurar o bebê, deixando-o confortável dentro do útero, transferir nutrientes e oxigênio provenientes do sangue da mãe e secretar hormônios fundamentais para esta fase são as suas principais funções. 

O crescimento inicial da placenta é bem rápido. No primeiro trimestre de gestação é maior que o bebê. Próximo de completar as 16 semanas ,  ela e o bebê têm o mesmo tamanho. Já no final da gestação, o bebê é 6 vezes mais pesado que a placenta.

Aborto

Embora seja motivo de grande felicidade para as famílias, a gravidez quando não planejada pode trazer diversas preocupações para a mãe. A maioria das gestações indesejadas acontece em bairros periféricos ou entre adolescentes, que, na maioria das vezes, não tem grande acesso à informação ou métodos contraceptivos.

Cuidar de uma criança, além da responsabilidade, requer um planejamento financeiro, uma vez que essa nova vida irá precisar de cuidados fundamentais para garantir o seu desenvolvimento como alimentação, acompanhamento médico, vestes, educação, dentre outros.

Contudo, a falta de alguns desses elementos e também o despreparo emocional faz com que muitas mães optem por uma prática considerada criminosa no Brasil, o aborto. No país, existem diversas clínicas clandestinas que fazem esse tipo de trabalho, colocando em risco a vida da mãe e do bebê. 

A fim de evitar o aumento dessa situação, é importante que sejam realizados investimentos em ações governamentais tais como palestras, distribuição de medicamentos e contraceptivos com a finalidade de orientar as mulheres sobre os riscos e consequências de uma gravidez indesejada, reduzindo consequentemente o número de casos de aborto.

Voltar

Questões