Resumo de Biologia - Educação Ambiental

Educação Ambiental, segundo a Política Nacional de Educação Ambiental (ProNEA), são ações individuais e coletivas que visam a construção de valores sociais, conhecimentos, habilidades, atitudes e competências voltadas para a conservação do Meio Ambiente.

Uma vez que o homem é beneficiário dos recursos extraídos da natureza, cabe a ele a minimização dos impactos negativos e preservação do meio ambiente. Dito isso, a Educação Ambiental envolve esferas da sociedade como o governo, as empresas e o cidadão. Cada um com a sua responsabilidade. 

Contexto

O homem e o Meio Ambiente possuem uma relação de interdependência. Desde os primórdios, os recursos naturais satisfaziam necessidades básicas de alimentação, moradia e vestimenta. Na medida do tempo que o homem evoluiu, ele descobriu que tais recursos também podiam lhe proporcionar conforto.

Do fogo à eletricidade, com o avanço da tecnologia o homem esqueceu que ele não só depende da natureza, mas faz parte dela. Como consequência disso surgiram problemas ligados à industrialização, às mudanças climáticas (como o Efeito Estufa), ao crescimento populacional, entre outros.

Em 1972, aconteceu na Suécia a Conferência de Estocolmo, organizada pela Organização das Nações Unidas (ONU). O evento discutiu as consequências da degradação do Meio Ambiente e propôs a criação de políticas para preservação dos recursos naturais.

Como resultado dos debates foi elaborada a Declaração sobre o Meio Ambiente Humano, com 26 princípios a serem observados pelas nações. O princípio 19 refere-se à Educação Ambiental:

“É indispensável um esforço para a educação em questões ambientais, dirigida tanto às gerações jovens como aos adultos e que preste a devida atenção ao setor da população menos privilegiado, para fundamentar as bases de uma opinião pública bem informada, e de uma conduta dos indivíduos, das empresas e das coletividades inspirada no sentido de sua responsabilidade”.

Política Nacional de Educação Ambiental

Em atenção às questões ambientais no Brasil, a Política Nacional de Educação Ambiental foi criada a partir da Lei n.º 9 795 de 27 de abril de 1999 com propósito de promover a Educação Ambiental de forma interdisciplinar. São alguns objetivos do ProNEA:

  • Estimular e apoiar processos de educação ambiental voltados para valores humanistas;
  • Estimular entidades de classe, instituições públicas e privadas a desenvolverem programas destinados à capacitação de trabalhadores;
  • Ampliar a participação da população nos processos decisórios sobre a gestão dos recursos ambientais nos territórios;
  • Estimular a cultura de redes de educação ambiental, valorizando essa forma de organização;
  • Incentivar, valorizar e qualificar a participação individual e coletiva em conselhos escolares, diretórios acadêmicos, grêmios estudantis, entre outros;
  • Dinamizar o acesso a informações sobre a temática socioambiental.

Escolas

Assim como a família, a escola é responsável pela formação da criança. Então quanto mais cedo o jovem tem contato com temas como respeito, Meio Ambiente e sustentabilidade, maior a chance de ser formado um cidadão consciente dos seus direitos e deveres.

A Educação Ambiental pode ser abordada de diferentes maneiras na sala de aula. São exemplos: debates, palestras, apresentações, exibição de filmes, criação de espaços verdes, oficinas de reciclagem, coletas seletivas, etc.

Nos Parâmetros Curriculares Nacionais (1997), elaborado pelo Ministério da Educação (MEC), indica que temática meio ambiente deve ser tratada de forma transversal:

“É fundamental, na sua abordagem, considerar os aspectos físicos e biológicos e, principalmente, os modo de interação do ser humano com a natureza, por meio de suas relações sociais, do trabalho, da ciência, da arte e da tecnologia”.

Empresas

As empresas são as maiores responsáveis pela degradação ambiental. Deste modo, cabe a elas reconhecerem seu impacto ambiental, bem como promover a responsabilidade socioambiental para a preservação, recuperação e manutenção das condições ambientais adequadas.

Ao inserir a Educação Ambiental no seu ambiente interno, a empresa pode ser beneficiada com:

  • Redução das chances de acidentes ambientais;
  • Boa imagem perante clientes, fornecedores e sociedade em geral;
  • Vantagem competitiva em relação aos concorrentes;

5 R’s

Um dos grandes problemas encontrados dos centros urbano é o lixo sólido, resultado de uma sociedade que a cada vez mais consumista. Estima-se que no Brasil cerca de 240 mil toneladas de lixo são produzidas diariamente, contudo apenas 2% desse lixo é reciclado.

Os 5 R’s, no âmbito da Educação Ambiental, visa justamente a mudança de hábitos no cotidiano dos cidadãos por meio da redução do consumo e o reaproveitamento dos materiais utilizados. Mas você sabe o que significa cada R?

  • Repensar: antes de comprar algo é muito importante refletir sobre a real necessidade do produto;
  • Reduzir: busca diminuir o consumo de bens e serviço, sempre utilizando o necessário e tentar evitar o desperdício;
  • Recusar: consiste em deixar de consumir produtos que gerem impactos significados no meio ambiente; 
  • Reciclar: nada mais é que a transformação produtos já utilizados como matéria-prima para fins industriais ou artesanais;
  • Reutilizar: é a forma de evitar o descarte de produtos em bom estado de conservação. Com o uso da criatividade é possível conferir diferentes usos ao mesmo produto;

Consequentemente, com a adoção dos 5 R’s acontece:

  • Redução na extração de recursos naturais;
  • Redução dos resíduos nos aterros e o aumento da sua vida útil;
  • Redução dos gastos do poder público com o tratamento do lixo;
  • Redução do uso de energia nas indústrias e intensificação da economia local.
Voltar

Questões