Resumo de Biologia - Dopamina

Fundamental para a performance do corpo humano, a Dopamina é um neurotransmissor monoaminérgico presente no cérebro, responsável pela transmissão de informações entre um neurônio e outro.

Em outras palavras, ela é uma substância química produzida pelos neurônios, que tem a função de coordenar atividades celulares.

Atua em áreas específicas do cérebro auxiliando na regulação motora dos movimentos do corpo humano e ajudando ainda na memória, no aprendizado, no humor, na atenção, no prazer, na alegria, e em várias outras áreas.

Também considerada como um “hormônio”, ela é produzida pelo próprio corpo, mas pode ser encontrada em diversos alimentos de origem animal e vegetal.

A dopamina faz parte ainda da família da Feniletilamina, conhecida também como "hormônio da paixão”. Pode ser conhecida também como um dos “hormônios do prazer”.

Ela ainda é precursora natural da adrenalina, que é outro composto orgânico, com função estimulante do sistema nervoso central.

Uma das várias vias dopaminérgicas do cérebro é a chamada via mesolímbica, às vezes chamada de via de recompensa. Essa via integra os estímulos comportamentais da sensação de premiação.

Dessa forma, ela auxilia na sensação da motivação, o que ajuda na função do aprendizado e do reforço, além da contribuição na sensação do prazer.

Existem remédios à base da dopamina que prometem soluções para problemas como falta de concentração, motivação, alegria, foco e outras dificuldades que podem ser causadas pela baixa produção do chamado hormônio. Mas, vale ressaltar que o corpo humano funciona sempre com muito equilíbrio, ou seja, dependendo sempre de vários fatores.

Excesso ou falta da dopamina

Apesar de necessária para o corpo humano, a dopamina pode causar males quando produzida em excesso ou quando a produção é baixa, acarretando inclusive transtornos neuropsiquiátricos. Nesses casos, a pessoa é afetada com doenças como Mal de Parkinson ou esquizofrenia.

A sua baixa produção é uma das causadoras do Mal de Parkinson, doença degenerativa crônica que atinge o sistema nervoso central, afetando, principalmente, a coordenação motora.

Apesar de não ter uma causa definida, a doença pode ter ainda influência de fatores como antecedentes familiares, fatores ambientais, exposição a determinados pesticidas e até lesões na cabeça.

Com a diminuição da dopamina, os movimentos do corpo tendem a ficar mais difíceis, originando a doença.

Outro mal que a baixa produção desse hormônio pode acarretar é a depressão. Como ela contribui para a sensação de alegria e bem-estar, uma baixa na sua produção pode afetar o os sentimentos e o comportamento humano. Pessoas com Parkinson, inclusive, tendem a desenvolver depressão ou ansiedade.

Já a alta produção da dopamina pode estar ligada à esquizofrenia, um transtorno psiquiátrico que dificulta a compreensão da realidade, e que, ao contrário do que muitos acham, não desencadeia múltiplas personalidades.

Alguns estudos mostraram que na estrutura do sistema nervoso de pessoas com a doença, que atinge 1% da população mundial, os níveis do neurotransmissor eram baixos, quando comparado a de pessoas saudáveis.

Alimentação rica em dopamina

  • Carnes vermelhas;
  • Aves;
  • Peixes;
  • Abacate;
  • Banana;
  • Maçã;
  • Derivados do leite;
  • Aveia;
  • Beterraba;
  • Vegetais verdes folhosos;
  • Chá verde;
  • Feijão-de-lima;
  • Café;
  • Algas;
  • Feijão fava;
  • Amêndoa;
  • Sementes de gergelim;
  • Açafrão-da-terra;
  • Sementes de abóbora;
  • Melancia;
  • Gérmen de trigo;
  • Chucrute cru;
  • Chocolate;
  • Amendoim.

Atividades

Algumas atividades ajudam a aumentar o nível de produção da dopamina. Os exercícios físicos praticados com regularidade são bons exemplos.

É importante ressaltar que essa produção não está ligada à intensidade da prática das atividades. O nível dos exercícios deve respeitar os limites do corpo, aumentando a intensidade aos poucos e, sempre que possível, com o auxílio de um profissional.

Além das atividades físicas, outros fatores auxiliam no aumento da produção. Ter contato com a luz solar, por exemplo, auxilia no humor. É importante observar os horários mais indicados para essa prática como, por exemplo, antes das 10h. Mas, dicas como abrir janelas, clarear o ambiente e fazer caminhadas ao sol ameno já ajudam na produção do hormônio.

A meditação também é um bom auxílio, pois promove concentração, melhorando o foco, a produtividade e a criatividade. Além disso, pensar em coisas positivas também colabora para uma boa a produção. Ter lembranças felizes, encontrar amigos, praticar hobbies, ouvir música ou ver filmes, são fatores que exercem influência.

Contraindicações médicas

A dopamina é utilizada no tratamento do choque cardiogênico e do choque bacteriêmico. É utilizada ainda no tratamento da hipotensão intensa seguida a remoção do feocromocitoma, tumores que se desenvolvem nas glândulas suprarrenais em casos raros.

Entretanto, existem restrições para alguns pacientes. Ela é contraindicada para aqueles que já são portadores da feocromocitoma. Além disso, não devem ser usadas na presença de taquiarritmias ou de fibrilação ventricular.

Também não é aconselhável o seu uso a mulheres grávidas, a não ser sob aconselhamento médico, e não deve ser administrada com soluções alcalinas intravenosas, como o bicarbonato de sódio. A Junção com esses medicamentos os tornam inativos.

Voltar

Questões