Resumo de Biologia - Doenças Ocupacionais

As doenças ocupacionais estão relacionadas ao conjunto de patologias desenvolvidas ou adquiridas no ambiente trabalhista que podem afetar a saúde física e/ou mental do trabalhador, impedindo a continuidade da realização do trabalho ou interferindo na qualidade das atividades laborativas.

Em casos mais extremos, o trabalhador necessita de afastamento das suas funções, sendo tratadas, de acordo com as leis trabalhistas brasileiras, da mesma forma que os casos de acidentes de trabalho, sendo atribuídos os mesmos direitos e benefícios.

De acordo com a gravidade da doença, o profissional poderá ficar afastado até a devida recuperação ou ser submetido à aposentadoria permanente por meio de invalidez ou auxílio doença, concedido pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Essas enfermidades são adquiridas, geralmente, quando os trabalhadores são submetidos a uma exposição inadequada de reagentes químicos, efeitos biológicos, físicos e ergonômicos, sem a devida proteção.

Essa segurança é garantida através de Equipamento de Proteção Coletiva ou Equipamento de Proteção Individual, conhecidos como EPC e EPI, respectivamente.

Tipos de Doenças Ocupacionais

Há vários tipos de anomalias que podem ser desenvolvidas por fatores externos ou práticas de atividades repetitivas. Conheça as principais:

  • LER ou Dort: essas duas designações estão relacionadas a alterações causadas por movimentos repetidos ou posturas inadequadas utilizadas durante a execução do trabalho.

Lesões por Esforços Repetitivos (LER) e Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (Dort) atingem diretamente os nervos, ligamentos e tendões. Ambas atingem pescoço e membros superiores.

  • Doenças Respiratórias: são causadas pelo acúmulo de partículas nos pulmões, principalmente metais e fibras. Na maioria dos casos são irreversíveis e, apesar do tratamento e controle, não possuem cura.

As mais comuns são silicose, siderose e asma. O uso de máscara de respiração ajuda a combater esses tipos de infecções pulmonares.

  • Doenças de Pele: As principais são dermatose e câncer de pele. Geralmente ocorrem por causa da exposição exacerbada a agentes prejudiciais ao funcionamento do corpo e agridem a camada mais superficial da pele, causando lesões.

O acesso a lugares limpos e roupas higienizadas ajudam a prevenir esses tipos de lesões.

  • Alterações Psicossociais: além das alterações físicas, a carga excessiva de trabalho atrelado a outros fatores no desempenho das funções também podem afetar a saúde mental.

São os casos da síndrome do pânico, depressão, síndrome do Burnout, isolamento social, dentre outras. Todas elas estão associadas ao cumprimento de metas inatingíveis, expectativas frustradas, assédio moral e acúmulo de funções.

  • Deficiência Auditiva: são resultantes da exposição do trabalhador ao excesso de ruído no ambiente de trabalho. Essas interferências podem causar redução da capacidade de audição ou, em casos mais graves, surdez.

O uso de fones e protetores auriculares ajudam a amenizar o barulho e reduzir os riscos de perda auditiva.

  • Dorsalgias: são mais conhecidas como dores de coluna. Esse problema é causado pela postura inadequada ou sobrecarga no tronco no momento de levantar um peso na execução do trabalho.

Em algumas situações, esses traumas podem ser desencadeados pela obesidade ou sedentarismo. O uso da ergonomia e ambiente de trabalho adequado podem evitar tais problemas.

  • Problemas Circulatórios: os mais comuns são trombose e varizes, principalmente para quem trabalha mais tempo sentado, com pouca movimentação.Operadores de telemarketing, por exemplo.

Assim como no caso das dorsalgias, a obesidade e o sedentarismo também potencializam o efeito agravante da doença.

Uma alternativa para amenizar os sintomas são alternar a movimentação no posto de trabalho e verificar a ergonomia do trabalhador.

Principais doenças respiratórias

Dentro do quando das doenças ocupacionais que mais acometem os trabalhadores, as infecções respiratórias são as que mais os afastam das atividades de rotina. Abaixo, estão listadas cada tipo e as principais características.

  • Silicose: é uma doença que afeta os pulmões, causada pela inalação do pó de sílica, um elemento que compõe a areia. O maior número de vítimas está entre os profissionais que utilizam minérios, cortadores de granito, operários de fundição e oleiros.

Também atingem em grande quantidade pessoas que trabalham na construção de túneis e fabricação de sabões, atividades que exigem uso de quantidade excessiva de pó de sílica.

  • Asma pulmonar: é uma inflamação crônica que atinge, como o próprio nome diz, os pulmões.  Suas principais características são dificuldade de respiração, ruídos no peito, semelhantes a chiados e respiração curta e ofegante.

Os fatores externos, como poeira, ácaros e mudanças climáticas podem agravar os sintomas. Evitar o acúmulo de poeira e manter o ambiente limpo ajudam a amenizar os sintomas da doença.

  • Siderose:  também conhecida como “pulmão do soldador”, é um dos tipos de doenças ocupacionais ocasionada por uma intoxicação causada pelo acúmulo de poeira no tecido pulmonar.

Essa doença é caracterizada pela inalação do minério de ferro, usado por trabalhadores de siderúrgicas, por isso popularmente como “pulmão do soldador”.

Doenças ocupacionais e do trabalho: entenda a diferença

As doenças do trabalho e as doenças ocupacionais estão relacionadas a aspectos e características diferentes. Apesar de serem desenvolvidas no mesmo local, a primeira está atribuída às condições em que o trabalhador está submetido, o contexto do ambiente de trabalho.  Já as doenças ocupacionais estão diretamente ligadas à função exercida.

Voltar

Questões