Resumo de Biologia - Diafragma

O diafragma é um músculo com aspecto estriado, que possui tendões periféricos, localizados nas extremidades do músculos, sendo um dos principais responsáveis pela respiração humana.

Auxiliado por músculos localizados nas proximidades das costas e outros órgãos, o diafragma é um tipo de barreira entre as cavidades torácicas e abdominais, coberto por uma membrana que reveste os órgãos do sistema digestivo, chamada de peritônio na região da sua face inferior.

A partir das fitas fibrosas que percorrem a extensão da coluna vertebral, são desencadeados feixes de músculos que se agrupam no centro do tendão – uma articulação que permite movimento nas articulações.

Esse conjunto muscular forma uma espécie de lâmina, considerando que o diafragma é dividido em três partes, cada uma com funções específicas bem definidas. São elas:

  • A região esternal, localizada na região posterior de uma cartilagem próxima ao osso situado na parte vertebral do tórax, chamado de esterno.
  • A parte costal, onde ficam situados os conjuntos de músculos. Esse agrupamento muscular nas costas se organiza de forma que sua estrutura apresenta um formato semiesférico, como se fosse uma concha, formando as cúpulas diafragmáticas da direita e da esquerda.
  • A terceira parte que constitui o músculo do sistema respiratório é a lombar.  Essa região liga as três vértebras lombares e formam os pilares diafragmáticos, uma estrutura de sustentação do músculo.

Ainda de acordo com a anatomia humana, acima do diafragma estão localizados os ligamentos, que fazem a conexão da base da membrana que envolve o coração até a parte superior do músculo respiratório. A estrutura diafragmática da esquerda é levemente mais baixa do que a direita por causa do peso do coração.

Estrutura do Diafragma

Ao longo da anatomia do órgão existem algumas fissuras para viabilizar sua interligação com o tórax, caso contrário este seria totalmente isolado.

Essas aberturas permitem também a passagem de determinadas estruturas, chamadas de hiatos diafragmáticos.

Veia cava inferior: fica localizada no centro do tendão do diafragma

Hiato aórtico: uma estrutura que passa atrás do ligamento central do diafragma.

Esse hiato, especificamente, não perfura a estrutura do músculo.

Ele passa intercalado entre as vértebras do tórax inferiores e o próprio diafragma.

Hiato esofágico: essa estrutura fica geralmente localizada do lado direito do músculo responsável pela respiração.

Essa musculatura tem a função de envolver o esôfago, exatamente na região que corta o diafragma, formando um orifício que retém o suco gástrico no estômago.

Movimentos diafragmáticos

No processo de inspiração, a estrutura chamada de cúpula diafragmática, um tipo músculo em forma de côncava, se contrai e desce, reduzindo a pressão no interior do tórax e comprimindo as vísceras da região do abdômen.

Esse movimento auxilia a entrada do ar nos pulmões e também a circulação sanguínea na veia cava inferior, passando para veia cava dentro do diafragma. A descida do diafragma resulta também no aumento do diâmetro vertical da área torácica.

Na expiração, quando ocorre a expulsão do ar, o processo é inverso. Nessa ação respiratória, o diafragma relaxa e sobe, aumentando a pressão dentro do tórax, expulsando o ar dos pulmões.

Todos os seus movimentos são de extrema importância, desde o momento de uma simples tosse e espirros até o momento da defecação e o parto.

Essa musculatura também interfere em alguns tipos de desordens respiratórias como o soluço.

Muito comum, esse mecanismo consiste em espasmos involuntários realizados pelo diafragma com consequente entrada rápida de ar nas vísceras respiratórias, ocasionando no fechamento da glote – área de abertura da laringe, gerando o som e movimento bastante característicos.

Distúrbios do diafragma

Na maioria dos casos, as doenças do trato respiratório tendem a limitar seus movimentos, reduzindo a capacidade de ação ventilatória dos pulmões.

Nos principais tratamentos, os profissionais atuam no intuito de reconfigurar os movimentos diafragmáticos através de fisioterapia respiratória.  

Em alguns casos, o estômago ou intestino podem penetrar através desses pontos de passagem, originando-se as hérnias diafragmáticas.

As doenças que mais afetam ao diafragma são a asma brônquica e o enfisema pulmonar, problemas agravados por fumantes.

Saiba mais sobre sistema respiratório  

O sistema completo do processo respiratório nos seres humanos é o conjunto de órgãos responsáveis pelas interações gasosas entre o organismo dos animais e o meio ambiente, viabilizando a respiração das células.

Nos seres vertebrados terrestres, esse sistema é composto por dois pulmões. Diferente dos aquáticos, como peixes e moluscos que possuem brânquias. Nos artrópodes terrestres, entretanto, quem faz o processo ocorrer são as traqueias.

Os órgãos do sistema de respiração do ser humano, além dos dois pulmões é composto pela boca, faringe, fossas nasais, laringe, brônquios, alvéolos e sacos alveolares.

Sendo a principal função do sistema a realização de trocas gasosas, elas ocorrem no pulmão, convertendo dióxido de carbono em oxigênio, mecanismo conhecido como hematose pulmonar, auxiliando também no equilíbrio da temperatura do corpo, controle do pH do sangue e liberação de água.

Tanto a inspiração quanto a expiração são processos que acontecem independente da atuação dos pulmões, sendo, neste caso, uma ação mais intensa do diafragma, dos músculos intercostais, além da expansão da caixa do tórax.  

No movimento respiratório, em si, o ar inspirado, sendo rico em oxigênio, percorre as vias respiratórias sendo filtrado e aquecido, torna-se úmido e é levado aos pulmões.

Já dentro dos pulmões, o oxigênio proveniente do ar entra na circulação sanguínea e o dióxido de carbono é dispensado através dos alvéolos.

Após todo esse processo, o ar expirado pobre em oxigênio, rico em dióxido de carbono, faz o percurso inverso ao trato respiratório, diferente do oxigênio, fundamental para sobrevivência das espécies.

Voltar

Questões