Resumo de Biologia - Depressão

A depressão é uma doença caracterizada por um transtorno mental, que provoca sintomas físicos e psicológicos, interferindo diretamente no estado de humor do indivíduo. Ela pode atingir pessoas de qualquer idade, mas normalmente aparece em um público entre 20 e 40 anos.

A doença pode se desenvolver através de vários motivos que cercam o cotidiano de uma pessoa, podendo ser a perda de um emprego, o término de um relacionamento, a morte de um ente querido, problemas familiares, assédio no local de trabalho, entre outros.

Um dos sintomas mais preocupantes da doença é a vontade do indivíduo em praticar o suicídio. As pessoas depressivas pensam nisso como uma forma de aliviar a dor que estão sentindo, por isso ela exige um acompanhamento médico tanto para o seu diagnóstico quanto para o tratamento.

Segundo dados divulgados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), a doença atinge mais de 300 milhões de pessoas de todas as idades no mundo. No Brasil, estima-se que 5,8% da população seja afetada pela doença.

Depressão ou tristeza?

Existe uma grande diferença entre depressão e tristeza. A tristeza normalmente ocorre por um fato do cotidiano em que a pessoa, na maioria das vezes, não estava esperando e sofre até entender o que está acontecendo. A tristeza é considerada algo normal pelos médicos e leva em média de 15 a 20 dias.

A depressão, por sua vez, é causada por um sentimento profundo de tristeza que se instala e prejudica outros aspectos da vida de uma pessoa, podendo piorar e desenvolver quadros mais graves.

A pessoa depressiva pode apresentar os seguintes sintomas:

  • Irritabilidade;
  • Apatia;
  • Falta de apetite ou desejo compulsivo de comer;
  • Pensamentos negativos;
  • Dificuldade de concentração;
  • Auto estima baixa;
  • Medos;
  • Insônia ou sono excessivo;
  • Palpitações;
  • Dores e outros sintomas físicos não justificados por problemas médicos, como dores de barriga, má digestão, azia, diarreia, constipação, tensão na nuca e nos ombros, dor de cabeça ou no corpo, sensação de corpo pesado ou de pressão no peito, entre outros.

Além disso, existem alguns fatores que podem aumentar as chances de desenvolver uma depressão, como:

  • Morte ou perda: embora seja algo natural da vida humana, perder uma pessoa querida pode aumentar os riscos do transtorno;
  • Abuso: a pessoa que sofre abuso físico, sexual ou emocional pode aumentar a vulnerabilidade psicológica e, consequentemente, chances de desenvolver a doença. Além disso, o assédio em ambientes familiares ou profissional também são fatores que contribuem para o desenvolvimento da depressão;
  • Medicações específicas: apesar de aparecer contraditório, alguns elementos químicos, como a Isotretinoína (usada no tratamento da acne), o antiviral “Interferon Alfa” e o uso de corticoides aumentam as chances de desenvolver a doença;
  • Abuso de substâncias: cerca de 30% das pessoas com vícios em substâncias, como o álcool, remédios para perder ou ganhar peso, drogas ilícitas, etc., apresentam indícios de depressão clínica ou profunda;
  • Doenças graves: muitas vezes, a depressão pode estar associada a existência de alguma doença mais grave, como por exemplo, o câncer. Ou então, ser estimulada pelo surgimento de outro problema de saúde;
  • Estresse: em pessoas com predisposição genética, o estresse pode precipitar o desencadeamento da doença.

Tipos de depressão

Existem vários tipos de depressão, os mais comuns são:

  • Distimia: é um tipo de transtorno mais leve, apesar de ser uma forma crônica da depressão. No entanto os transtornos de humor e a vontade em se manter isolado são constantes. O paciente com distimia perde o interesse em atividades diárias normais, vive sem esperança, tem baixa produtividade, baixa autoestima e um sentimento geral de inadequação;
  • Depressão sazonal: esse tipo de depressão apresenta episódios de tristeza relacionados às estações do ano, como o inverno, por exemplo, onde há baixa exposição à luz solar. Além disso, ela pode apresentar sintomas associados a determinadas épocas do ano, como datas comemorativas ou durante as festas de fim de ano, momentos em que os níveis de estresse aumentam;
  • Depressão atípica: nesse caso a pessoa apresenta intensa melancolia relacionada a problemas familiares ou de relacionamento, havendo predomínio de falta de energia, cansaço, aumento excessivo de sono e o humor apático;
  • Depressão pós-parto: acontece logo após o parto, caracterizada pela falta de interesse no bebê ou pelo sentimento de incapacidade de achar que não vai conseguir cuidar dele. Os sintomas incluem tristeza e desesperança. Com isso, as mães apresentam crises de choro e alterações no humor.

Tratamento

Antes de tudo, é importante ressaltar que a depressão tem cura. O diagnóstico da doença é feito com base nos sintomas apresentados pela maneira como a pessoa reage fisicamente ou se comporta emocionalmente.

Além disso, os especialistas podem pedir ao paciente um breve relato do seu histórico de vida e familiar. Para diagnosticar o estágio da doença, os médicos solicitam exames físicos, de sangue e neurológicos, a fim de que seja descoberta a causa exata da depressão.

Feito isso, existem vários métodos que ajudam no tratamento e cura da doença. São eles:

  • Medicamentos antidepressivos: diferente do que muitas pessoas imaginam, as medicações não deixam a pessoa eufórica ou causam vícios. A terapia é bem simples e não incapacita ou entorpece o paciente;
  • Psicoterapia: além dos medicamentos, a terapia com um psicólogo pode ajudar o paciente a entender os fatores do dia a dia que causaram a doença, reduzir seus sintomas e trabalhar os motivos até chegar a cura;
  • Hábitos saudáveis: aliados ao uso de medicamentos e acompanhamento psicológico, uma ótima alternativa para aliviar o sentimento de tristeza e devolver a confiança da pessoa depressiva é a prática de um exercício físico, desde que seja prazeroso para o paciente, bem como uma alimentação equilibrada e atividades de lazer .

Por fim, o apoio de amigos e familiares durante o tratamento é fundamental para o que o paciente se sinta mais confiável.

Voltar

Questões