Resumo de Português - Crônica argumentativa

A crônica argumentativa é um texto que tem como característica principal a argumentação. A crônica argumentativa é muito usada nos meios de comunicação, principalmente em veículos impressos.

A palavra crônica é derivada do latim Chronica e do grego Khrónos (tempo). Exatamente por esse motivo é que se deve o seu aparecimento, baseado em relatos de acontecimentos históricos e mencionados em ordem cronológica.

Somente a partir do século XIX, apresentada com um texto mais crítico, foi publicada em jornais e revistas, marcada por um texto que abordava de forma generalizada os assuntos do cotidiano, entrando posteriormente no campo da Literatura.

Como escrever uma crônica argumentativa?

Para escrever uma crônica argumentativa é necessário escolher um tema contemporâneo que queira tratar, seja sobre a adolescência, sobre a juventude, sobre a violência, sobre a política brasileira, sobre uma briga de vizinhos, sobre o corte de recursos para redução, sobre o despreparo das autoridades, dentre outros.

Após escolher o tema da crônica argumentativa, leia sobre o assunto, arrume as ideias e escolha os argumentos.

Uma crônica argumentativa deve trazer argumentos, caso não traga o que era para ser uma crônica argumentativa acaba se tornando um texto informativo.

Uma particularidade importante das crônicas é o alto teor crítico, com uma pitada de humor, sarcasmo e ironia. Então, seja bastante criativo!

Em uma crônica narrativa argumentativa é narrada uma pequena história, com personagens, tempo e espaço. Esse tipo de crônica pode ter discurso direto, indireto e indireto livre.

O discurso direto marca a fala dos personagens, por exemplo, o uso de travessão; no discurso indireto as palavras dos personagens são proferidas pelo narrador, ao invés de usar as marcas pessoais; e no discurso indireto livre ocorre a junção dos dois tipos de discursos: direto e indireto.

Características da crônica argumentativa

São características de uma crônica argumentativa:

  • Argumentação e persuasão;
  • Linguagem coloquial, simples e direta;
  • Textos relativamente pequenos;
  • Temas do dia a dia e polêmicos;
  • Crítica, humor e ironia;
  • Induz a reflexão;
  • Subjetividade e criatividade;
  • Fusão do estilo jornalístico e literário;
  • Poucos personagens, se houver;
  • Tempo e o espaço limitados;
  • Caráter contemporâneo.

Exemplo

Veja a seguir um exemplo de crônica argumentativa:

Tema: Crônica argumentativa sobre a juventude.

Autor: Martha Medeiros

A nova juventude

O que não falta é frase satirizando a primeira etapa da vida. Exemplo: A juventude é um defeito facilmente superável com a idade. Outro: A juventude é uma coisa maravilhosa, pena desperdiçá-la em jovens. Quem ultrapassou essa fase dourada hoje olha para ela com certo desprezo. Não de todo equivocado: a maturidade, de fato, se não é nosso período mais fértil, certamente é o mais sabido. Algum benefício tinha que trazer essa tal passagem do tempo.

No entanto, em vez de fazer coro com a soberba habitual dos maduros, vale dar uma espiada mais generosa para a garotada. Afora os neorretardados que proliferam nas redes esbanjando pobreza de espírito, a geração atual tem uma postura mais humanizada em relação a questões importantes da vida. Vale a pena escutá-los.

O tema da homossexualidade, ainda debatido à exaustão na mídia, já saiu de pauta entre os adolescentes. Nada mais natural do que meninos e meninas namorarem parceiros do mesmo sexo. Ser favorável ou desfavorável à causa gay? Concordo com eles: chega a ser constrangedor a gente se declarar a favor ou contra o que não nos diz respeito. É muita arrogância.

Quanto à busca por uma profissão, mudanças visíveis também. O dinheiro continua sendo uma preocupação, mas já não ocupa o topo das paradas. O que se deseja é fazer diferença para a sociedade, trabalhar no que se gosta, personalizar sua atuação, deixar marcada uma ideia, uma consciência, um caminho diferente, um novo olhar. Nem que para isso se invente uma profissão que nunca existiu, que se formalizem atividades que antes não eram consideradas. Estudar segue fundamental, mas a sequência colégio-vestibular-faculdade vem ganhando bifurcações. Se a felicidade não estiver na vida sólida e estável que os pais sonharam, paciência. Os sonhos dos velhos terão que se adaptar a uma realidade menos regrada.

Sim, ainda existem os adolescentes convencionais, que sonham com casamentos convencionais e empregos convencionais e que querem enriquecer, consumir e ser “alguém”. A diferença é que esse “alguém” padrão, que se amparava em hierarquias para estabelecer juízos de valor, não representa o jovem moderno que quer construir uma sociedade mais horizontalizada. A noção de riqueza está mudando de foco: ir para o trabalho de bicicleta pode dar mais status a um profissional do que conquistar uma vaga no estacionamento reservado aos patrões.

Outro dia falava sobre tatuagens com duas garotas e me peguei aplicando o velho discurso a respeito do cuidado que elas deveriam ter antes de tomar decisões definitivas. Foi quando me dei conta de que até o definitivo mudou de configuração. Elas não veneram o “pra sempre” – o que acho ótimo, mas então por que fazer uma tatuagem? Simplesmente para homenagear uma etapa da vida. Não haverá arrependimento se o assunto não for levado com tanto drama. Tatuagem deixou de ser uma condecoração vitalícia. Nada mais é vitalício.

Outros tipos de crônica

Além da crônica argumentativa, uma crônica pode ser escrita de outras formas e abordar um assunto de maneiras distintas. Dentre as principais crônicas, podemos destacar:

Crônica descritiva

Esse tipo de crônica descreve uma determinada situação do cotidiano, em algum lugar, contendo personagens ou não.

Crônica narrativa

A crônica narrativa é um texto que conta uma história, seja em 1° ou 3° pessoa do singular, referente a fatos cotidianos.

Crônica humorística

Como o próprio nome já diz, se trata de um tipo de texto que usa uma linguagem humorística para contar a história.

Crônica jornalística

É um tipo de texto muito usado pela imprensa brasileira, para contar fatos do dia a dia com uma linguagem mais leve.

Crônica histórica

Esse tipo de crônica aborda assuntos reais, contemporâneos, com uma linguagem leve e coloquial.

Cronistas do Brasil

No Brasil, vários autores fizeram história na crônica. Dentre os principais autores podemos destacar:

  • Antônio Prata;
  • Machado de Assis;
  • Luís Fernando Veríssimo;
  • Carlos Heitor Cony;
  • Rubem Braga.
Voltar

Questões