Resumo de Português - Conjunções Subordinativas

São definidas como integrantes ou adverbiais


As conjunções subordinativas servem como meio de ligação das orações, estabelecendo uma relação de dependência sintática entre elas. São termos invariáveis cuja principal função é unir uma oração principal (independente) a uma outra de nível sintático inferior para que exista um sentido completo. 
Esse tipo de conjunção é dividido em dois grupos: integrantes – introduzem as orações que desempenham o papel de sujeito, objeto direto ou indireto, complemento nominal, predicado ou aposto – e adverbiais, aquelas que atuam como adjunto adverbial da oração principal, pois apontam circunstâncias de tempo, modo, fim, causa, consequência, condição, etc. 

O que são conjunções? 


A conjunção é uma classe de palavras invariável, ou seja, não sofrem alterações quanto ao número (singular/plural), gênero (feminino/masculino) ou grau (aumentativo/diminutivo), que conecta termos e orações com a mesma função sintática. Assim como a preposição, atua apenas como conectivo, pois não exerce nenhuma função sintática. Contudo, são essências para coesão e coerência dos textos. 
A depender da relação que determinam, classificam-se em conjunções coordenativas – aquelas que ligam dois termos ou orações que já possuem sentido completo quando aparecem sozinhas – e conjunções subordinativas, que unem uma oração principal a uma outra chamada de dependente. Isso significa que uma serve de base para a construção do sentido total da outra. 

Tipos de conjunções subordinativas

Como vimos acima, as conjunções subordinativas são categorizadas em integrantes e adverbiais. No primeiro caso, indicam que a oração dependente completa ou integra o sentido da principal. Elas também introduzem as orações subordinadas substantivas – as que exercem o papel de substantivo e podem ser encontradas nas frases como sujeito, complemento, objeto, predicado e aposto. 
Exemplos: 
Não sei informar se a prova ocorrerá amanhã. 
Espero que um dia você volte atrás na sua decisão. 
Já as conjunções subordinativas adverbiais introduzem as orações que exercem a função de adjunto adverbial da principal. E, conforme a ideia que expressam, classificam-se em:
Causais 
Iniciam as orações que exprimem as causas e/ou motivações de determinado acontecimento exposto na parte principal. Os mais conhecidos são: porque, pois, por isso que, uma vez que, visto que, já que, porquanto, como, desde que, etc. 
Exemplos:
Carlos deixou o emprego porque conseguiu uma bolsa de estudos na Europa.
Como estava atrasada para a aula, decidi pegar um táxi. 
Não irei viajar de carro no final de semana, pois está na oficina. 
Concessivas 

São as conjunções subordinativas que iniciam as frases com uma ideia/ação contrária da principal, mas que não impedem a sua realização. Entre elas, encontram-se: embora, ainda que, apesar de que, se bem que, mesmo que, por mais que, posto que, conquanto, etc. 
Exemplos: 
Embora o número de casos de Covid-19 tenha crescido no Brasil, muitas pessoas deixaram a quarentena. 
Quando fui visitá-la estava claro, ainda que já passasse das seis da noite. 
Apesar da aprovação no concurso público, Maria não foi convocada. 
Condicionais 

Introduzem as orações que apontam uma hipótese ou condição para que a ação da principal possa ser efetuada. As principais são: se, caso, salvo se, desde que, contanto que, dado que, a menos que, a não ser que, exceto se, etc.
Exemplos: 
Se eu conseguir passar no vestibular, vou estudar Oceanografia. 
Ligue para o veterinário, caso o seu gato ainda precise de cuidados. 
Juliana não irá ao trabalho hoje, a não ser que apareça demandas de urgência. 



Conformativas 
São aquelas que começam uma oração que transmite a ideia de concordância, aprovação diante do que está sendo dito pela principal. Fazem parte desta categoria: conforme, segundo, como, consoante. 
Exemplos:
Segundo dados da pesquisa divulgada pelo IBGE, a taxa de desemprego chegou a 13,8% no Brasil. 
Conforme especialistas, crianças que não dormem bem estão mais expostas a riscos de obesidade e depressão. 
Parece que a aula ocorreu como a professora havia planejado. 
Comparativas
As conjunções subordinativas adverbiais comparativas estabelecem uma correspondência, um paralelo em relação a oração independente. São elas: como, assim como, como se, bem como, que nem, que e do que (precedido de mais, menos, maior, menor, melhor, pior), tal qual, etc.
 
Exemplos: 
Estou mais animada hoje do que semana passada.
Pedro caiu da bicicleta como se tivesse levado um empurrão. 
Ela chorou tal qual uma criança quando perdeu seu relógio. 
Consecutivas 
Conjunções que apresentam uma consequência, o resultado de algo que foi declarado na oração principal. Entre as principais estão: que (precedido de tão, tal, tanto), de modo que, de maneira que, tamanho, de forma que, de sorte que, de tal forma, etc. 
Exemplos: 
A surpresa foi tamanha que a levou ao desmaio. 
A festa estava tão barulhenta que chegou a incomodar os vizinhos. 
As aulas presenciais foram suspensas, de modo que os alunos tiveram que estudar de casa. 
Finais 
Presentes em frases que expõem uma finalidade, ou seja, o propósito pela qual a ação contida na oração independente está sendo feita. São elas: para, para que, a fim de que, porque (no sentido de que), que.
Exemplos:
Todos reviram os textos para que não houvesse erros.
Caminho e pedalo todos os dias a fim de manter minha saúde.
Tirei uma semana de folga para ter um descanso no final do ano. 
Proporcionais 
Introduzem as orações subordinadas cujos acontecimentos são simultâneos, quando uma ação acontece no mesmo momento que uma outra, também ressaltando a sua intensidade. Neste grupo incluem-se: à proporção que, ao passo que, à medida que, quanto mais, quanto menos, enquanto, etc. 
Exemplos:
Quanto mais você estuda, maiores são as chances de conseguir um bom emprego. 
Os alimentos ficam mais caros à medida que o tempo passa. 
Não gostava de cenoura, quanto menos de quiabo. 
Temporais 
Como o nome já sugere, são as conjunções subordinativas que expressam a ideia de tempo: quando, depois que, desde que, logo que, assim que, sempre que, antes/depois que, até que, cada vez que, todas as vezes que, etc. 
Exemplos:
Desde que você foi morar longe, sua mãe não para de chorar.
Gostei daquela roupa assim que a vi na vitrine. 
Sempre que ele vem, chega repleto de presentes. 
Voltar

Questões