Resumo de Biologia - Citoesqueleto

A estrutura de sustentação celular


Citoesqueleto é a denominação atribuída ao conjunto de fibras presente no citoplasma das células. Esse nome é formado pela junção dos termos cito + esqueleto. O primeiro é derivado da palavra grega , cujo significado é célula, o segundo, como é sabido, diz respeito à estrutura que sustenta o corpo dos seres vivos.
A união desses termos para nomear a estrutura celular não é por acaso, pois uma das principais funções desempenhadas pelo citoesqueleto é dar forma e sustentação às células. É por conta dessa rede de filamentos que as células eucariontes - células com estrutura nuclear definida – possuem diferentes formatos.
Nas células procariontes também existe uma rede de fibras. No entanto, apesar de apresentar semelhança com a estrutura presente nas células eucariontes, não se pode dizer que esse tipo celular possua um citoesqueleto.
E então? Ficou interessado em conhecer um pouco mais acerca da complexidade que marca o funcionamento das células? Continue a leitura deste artigo para descobrir quais são as outras funções desempenhadas pelo citoesqueleto e quais os tipos de estrutura molecular existentes na sua composição.




Qual a composição do citoesqueleto?


Nesta seção, vamos nos ater em detalhar quais são as estruturas moleculares que compõem o citoesqueleto. É importante que tenhamos, ao menos, um conhecimento básico acerca de cada uma delas, pois assim também nos aproximamos das funções desempenhadas pelo “esqueleto celular”. Mas não se preocupe, pois são apenas três tipos de fibras, a saber: microtúbulos, microfilamentos ou filamentos de actina e filamentos intermediários.
Microtúbulos
Essa estrutura é formada pelas proteínas a e ß tubulina; e é caracterizada pelo fato de serem fibras espessas que se apresentam como filamentos compridos e ocos. Traçando um paralelo com edificações, podemos dizer que os microtúbulos são as vigas-mestras do citoesqueleto, já que são bastante resistes à compressão. Eles medem, aproximadamente, 25 nm de diâmetro. Mas o comprimento é bastante variável.
Isso acontece porque os microtúbulos são estruturas que possuem muita dinamicidade. Eles estão em processo constante de montagem e desmontagem, devido ao ganho ou perda de subunidades de tubulina. Com isso, aumentam e diminuem de tamanho, de acordo com a ação sofrida. Os microtúbulos também são constitutivos dos cílios e flagelos, por isso estão envolvidos na movimentação celular.
Filamentos de Actina ou Microfilamentos
Como o próprio nome já nos informa, a composição dos filamentos de actina é, justamente, actina. Essa proteína forma duas fitas que aparecem intercruzadas no citoesqueleto e medem, aproximadamente, 7nm de diâmetro. Os microfilamentos estão presentes em toda a célula, mas estão em maior concentrado na região abaixo da membrana.
Eles são importantes porque garantem a manutenção do formato celular, assim como sua alteração. Além disso, estão relacionados com a movimentação da célula e, especificamente na célula vegetal, com a contração e divisão celular.
Filamentos intermediários
O nome filamento intermediário diz respeito ao tamanho dessa estrutura. Ele é maior que os filamentos de actina e menor que os microtúbulos. Em geral, possuem diâmetro que varia entre 8nm e 12nm. Em sua constituição, estão presentes uma grande variedade de tipos de proteínas (são mais de 50), entre os quais estão a queratina e a desmina. Outra característica dos filamentos intermediários é que eles possuem uma dinamicidade menor que os demais.
Além disso, eles não são encontrados em todas as células eucariontes. E, naquelas em que estão presentes, os filamentos intermediários atuam na manutenção do formato celular, na sustentação de algumas organelas no citoplasma e, na membrana nuclear, na formação da lâmina nuclear.

Quais as funções desempenhadas pelo citoesqueleto?


Quando tratamos das estruturas moleculares que formam o citoesqueleto, pudemos identificar algumas das funções nas quais o “esqueleto celular” está envolvido. Mas, como forma de sistematização do conhecimento, apresentamos nesta secção alguns dos pontos já mencionados anteriormente e as outras atividades em que o citoesqueleto está envolvido. São elas:
  • Garantir o formato celular, especialmente da célula animal, pois ela não possui parede celular;
  • Oferecer sustentação mecânica para as células;
  • Garantir que os cílios e flagelos sejam formados;
  • Promover a movimentação de organelas e vesículas citoplasmáticas;
  • Garantir a contração da célula;
  • Possibilitar a movimentação da célula por meio de movimentos ameboides;
  • Garantir que o fuso mitótico seja formado;
  • Possibilitar a realização dos processos de endocitose - entrada de substâncias na célula - e exocitose - liberação de substâncias para o meio extracelular.

As especificidades da célula vegetal


Nas células vegetais, o citoesqueleto, geralmente, é constituído pelos microtúbulos e filamentos de actina. Ainda que o filamento intermediário possa estar presente em algumas células, sua função e estrutura ainda são pouco estudadas. Uma vez que a célula vegetal é dotada da parede celular, que lhe reveste, garantindo rigidez e flexibilidade, o citoesqueleto apresenta algumas especificidades no que diz respeito à atuação nesse tipo de célula. Dentre elas, destacamos:
  • Atuação nos processos de movimentação de organelas no citoplasma;
  • Participação no processo de divisão celular;
  • Está relacionado com o crescimento da célula;
  • Possibilita que haja a diferenciação celular.
Voltar

Questões