Resumo de Biologia - Cerebelo

Conheça o órgão responsável pelo controle dos movimentos


O cerebelo é um constituinte do sistema nervoso. Esse órgão está localizado em uma região próxima ao cérebro e suas funções estão intimamente ligadas aos movimentos musculares voluntários. É ele quem atua para garantir que o indivíduo tenha equilíbrio corporal, coordenação motora, controle dos movimentos musculares, postura e tônus muscular. 
Desse modo, o cerebelo está envolvido nas atividades básicas, como o simples ato de caminhar, movimentar os braços e ficar de pé, e nas mais complexas, como executar uma coreografia. Com isso, podemos concluir que o bom funcionamento desse órgão é fundamental para a realização de atividades motoras por parte do indivíduo. 
Neste artigo, vamos estudar um pouco mais acerca da anatomia, funções e importância do cerebelo dentro do sistema nervoso. Continue a leitura e obtenha os conhecimentos necessários para se dar bem nas questões de prova que envolvam esse órgão. 

Aspectos gerais sobre o cerebelo 


O cerebelo está localizado na região do crânio denominada de fossa craniana, mais especificamente, entre o cérebro e o tronco encefálico. Esse órgão é constituído pelo equivalente a 10% do volume do encéfalo. Mas, embora seja muito pequeno – cerca de 150 gramas – o cerebelo possui metade do número de neurônios existentes no cérebro. Esse órgão é protegido pelas meninges, uma espécie de membrana presente em todo o sistema nervoso central. Elas recobrem o cerebelo na porção que não fica presa no cérebro. 
Estruturalmente, o cerebelo é formado por tecidos nervosos dispostos em forma de folhas com substâncias branca e cinzenta. Em cada folha, a substância cinzenta é encontrada nas regiões periféricas, formando o chamado córtex cerebelar, enquanto que a substância branca ocupa a porção central, bem como suas ramificações. Na porção central do cerebelo, temos as fibras próprias, as fibras de projeção e os axônios mielínicos das células de Purkinje. 
O córtex cerebelar, por sua vez, é constituído por três camadas: camada molecular, camada de células de Purkinje e camada granular. A primeira é a porção mais superficial do órgão, onde há abundância de fibras nervosas amielínicas. Nessa camada, é observada uma baixa concentração de neurônios e de glóbulos brancos, que são células importantes na defesa contra doenças. 
A camada de células de Purkinje recebe esse nome por conta do tipo de célula pela qual é constituída. As células de Purkinje são neurônios de grandes dimensões. Eles são grandes o suficiente para que parte de seus prolongamentos cheguem à camada molecular, onde estabelece sinapses com os neurônios ali existentes. Por fim, na porção mais interna do cerebelo, temos a camada granular, que é constituída pelos menores neurônios existentes no corpo humano. 
Anatomicamente, o cerebelo ainda pode ser dividido em vérmis e hemisférios cerebelares. Nessa divisão, o vérmis é a região mediana, uma faixa estreita que estabelece a ligação entre os hemisférios esquerdo e direito. Esses últimos são massas de tecido nervoso que, como o próprio nome diz, estão situados nas laterais direita e esquerda do órgão. 



O funcionamento do cerebelo 


Como já dissemos, esse órgão é o principal responsável pelas atividades e aprendizagens motoras dos indivíduos. Para executar sua função dentro do sistema nervoso, ele capta não somente as informações sobre os músculos, tendões e articulações, mas também os estímulos auditivos e visuais que interferem na realização dos movimentos e percepção de equilíbrio. 
Desse modo, após receber informações como posição das articulações e comprimento dos músculos, por exemplo, o cerebelo dá início à coordenação das atividades musculares. Para isso, é preciso comparar os dados recebidos dos músculos e estruturas interligadas com as informações do córtex cerebral. Assim ele consegue ter controle dos movimentos voluntários realizados pelo corpo, da postura, do equilíbrio e do tônus muscular. 
E, sendo o cerebelo um órgão tão central para realização dessas funções, eventuais lesões das quais ele venha a ser vítima podem comprometer seu funcionamento e, por conseguinte, as atividades musculares às quais está interligado. Em geral, as lesões cerebelares são caracterizadas pela dificuldade de tratamento e reversão. Além disso, elas são caracterizadas por manifestarem sintomas em regiões do corpo associadas à porção do cerebelo afetado: lesões no vérmis manifestam sinais no tronco e lesões nos hemisférios nos membros. 
Dentre as disfunções ocasionadas por lesões no cerebelo, as principais são: Síndrome do arquicerebelo, Síndrome do paleocerebelo e Síndrome do neocerebelo. 
Síndrome do arquicerebelo: esse distúrbio acontece quando um tumor causa a compressão de partes do cerebelo. A síndrome se caracteriza pela perda de equilíbrio, com isso o acometido por ela não consegue ficar de pé, embora seja plenamente capaz de coordenar os movimentos quando está deitado. Em geral, esse problema acomete crianças com idade inferior a 10 anos. 
Síndrome do palocerebelo: esse é um distúrbio intimamente associado ao alcoolismo crônico. A pessoa acometida por essa síndrome sofre com a falta de equilíbrio e de coordenação dos músculos das pernas. 
Síndrome do neocerebelo: essa patologia é caracterizada por lesões no lobo posterior do órgão. As pessoas que sofrem desse distúrbio apresentam perda da coordenação muscular. 
Voltar

Questões