Resumo de Biologia - Célula Animal

A célula animal é a unidade básica dos seres vivos que pertencem ao Reino Animal, sendo encontrada nos humanos e nos animais. Essa célula é eucariótica, ou seja,  possui núcleo organizado e é composta por várias organelas membranosas.

Dentro do nível de organização da biologia, a célula ocupa a segunda posição:

Molécula --> Célula --> Tecido --> Órgão --> Sistema --> Organismo --> População --> Comunidade --> Ecossistema --> Biosfera

Dito isso, pode-se perceber que a célula – em conjunto com outras ou não- é capaz de formar partes dos seres vivos e desenvolver funções específicas no organismo. Por exemplo, várias células formam os tecidos do corpo humano, os grupos de tecidos semelhantes formam órgãos do corpo humano, como o coração, pulmão e o cérebro.

Características e estrutura das células animais

As células animais possuem uma estrutura organizada e, de modo geral, são constituídas por três partes básicas: membrana plasmática, citoplasma e núcleo celular.

Membrana Plasmática

A membrana plasmática é um envoltório fino que reveste a célula e regula a entrada e a saída de substâncias intra e extracelulares. Quanto a sua composição, ela é constituída por lipídios (glicolipídeos, colesterol e fosfolipídios) e proteína (enzimas, glicoproteínas, clatrina e antígenos).

A membrana também é responsável pelo transporte das substâncias, que pode acontecer de maneira ativa ou passiva. Na primeira, as substâncias se deslocam do meio menos concentrado para o mais concentrado, enquanto no segundo acontece o oposto.

Citoplasma

No citoplasma são encontradas as organelas celulares membranosas e o núcleo da célula. Essa estrutura complexa é responsável pelo armazenamento de substâncias químicas fundamentais para a manutenção da vida, além de auxiliar no processo de respiração celular.

As organelas funcionam como pequenos órgãos da célula, que realizam diferentes funções como a respiração, nutrição, secreção, etc. Confira as principais características de cada uma:

  • Mitocôndrias: são estruturas que possuem material genético próprio, responsáveis pela respiração e produção de energia nas células;
  • Ribossomos: responsáveis pela síntese proteica, ou seja, elas constroem proteínas dentro do citoplasma da célula;
  • Complexo de Golgi: estrutura encarregada pela modificação, armazenamento e exportação das proteínas sintetizadas no retículo endoplasmático liso e rugoso;  
  • Lisossomos: formados no complexo de Golgi, essas organelas realizam a digestão celular;
  • Retículo endoplasmático liso: é responsável pela produção de lipídios e de esteroides que irão compor a membrana plástica;
  • Retículo endoplasmático rugoso: composto por ribossomos em sua superfície, essa organela realiza a síntese proteica;
  • Peroxissomos: executam a oxidação de ácidos graxos, atuando no processo de desintoxicação das células;
  • Centríolos: auxiliam na divisão celular (mitose e meiose) e produzem cílios e flagelos (necessário para movimentação do espermatozoide);
  • Vacúolos: responsáveis pela reserva energética e o armazenamento de substâncias;
  • Citoesqueleto: auxilia na formação e sustentação das células. 

Núcleo

O núcleo celular geralmente possui um formato esférico, limitado por uma membrana dupla porosa e abriga o material genético do organismo: DNA e RNA. Algumas células podem ter mais de um núcleo (polinucleadas), enquanto outras não possuem núcleo (anucleadas).

Exemplos de células animais

Neurônios

Os neurônios são células que formam o sistema nervoso, responsáveis por guiar, receber e transmitir os impulsos nervosos por meio do corpo. Andar, memorizar, espirrar, entre outras ações, voluntárias ou não, são possíveis graças a eles.

Essa célula animal é composta pelas seguintes partes: pericárdio (corpo celular) de onde partem os prolongamentos e acolhe o núcleo; os dendritos, prolongamentos responsáveis por receberem os estímulos externos; e o axônio, prolongamento único condutor dos impulsos nervosos para outras células.  

Hepatócitos

Os hepatócitos são células localizadas no fígado, responsáveis pela síntese de proteínas (albumina, protrombina, fibrinogênio, etc.) que são utilizadas para exportação e própria manutenção. Por isso, essa é considerada uma célula animal versátil.

No microscópio ótico é possível visualizar seu citoplasma granular, devido a presença das mitocôndrias e do retículo endoplasmático rugoso. Como essa célula também possui  a função de desintoxicação, há um complexo de Golgi desenvolvido e bastantes lisossomos e peroxissomos.

Óvulo e espermatozoide

Os gametas são as células sexuais presentes em todos os seres vivos. Os gametas masculinos são chamados de espermatozoides e os gametas femininos são chamados de óvulos, quando unidos por fecundação é formado o zigoto, a primeira célula do embrião.

Células-tronco

As células tronco, também chamadas de células fonte, são capazes de se transformar em qualquer célula do corpo e multiplicar-se várias vezes.  Esse tipo de célula pode ser encontrada nas células embrionárias e em menor quantidade na medula óssea, no sangue, na placenta, entre outros locais.

Graças aos constantes avanços da ciência, em 2007, foram produzidas em laboratório as primeiras células-tronco, extraídas das células da pele. Esse fato é de extrema importância, pois representa a possibilidade de reconstruir tecidos e órgãos e, consequentemente, o tratamento de alguns tipos de doenças. 

Célula animal x célula vegetal

As diferenças entre a célula animal e a célula vegetal são poucas. A primeira geralmente é arredondada; sem parede celular e plastos; apresenta lisossomos e vacúolos (digestivos e pulsáteis) pequenos, mas em grande quantidade.

Já a célula vegetal possui um formato semelhante a um prisma; com parede celular e plastos; não possui lisossomos nem centríolo e os vacúolos (de suco celular) são grandes e em pouca quantidade.

Curiosidades sobre célula

  • Nem sempre uma célula animal ou vegetal é pequena. Existem células que podem passar o tamanho de um ser humano, como as plantas Caulerpa taxifolia, que uma única célula multinucleada, ou seja, possui vários núcleos;
  • Diferente do que se pensa, algumas células conseguem caminhar graças a um conjunto de cílios presentes na sua superfície;
  • Algumas células também são capazes de atacar outras células. Por exemplo: O Dileptus é um protista que possui uma morfologia com extremidade pontuda e utiliza para perfurar outras células e sugar seu citoplasma.
Voltar

Questões