Resumo de Biologia - Caule

O Caule é o órgão que conduz as seivas das plantas, tanto a seiva bruta quanto a seiva elaborada. Ele possui as gemas, também chamadas de apical e auxiliar, de onde brotam os nós, os ramos, as folhas e as flores. É o caule que sustenta a copa das árvores e o tecido responsável pelo seu crescimento é denominado de meristema.

O Caule e suas Funções

O caule executa a integração entre as raízes e as folhas, em se tratando tanto da ótica estrutural quanto da ótica funcional. Ele estabelece a estrutura física, onde se incluem as raízes e as folhas, também exerce as funções de conduzir a água e os sais minerais das raízes até as folhas e conduzir matéria orgânica das folhas para as raízes.

No caule jovem há células clorofiladas, esse tipo de caule é coberto por uma epiderme uniestratificada, ou seja, é constituído por somente uma camada ou estrato de células. As plantas que manifestam pouco desenvolvimento em espessura, possuem caules revestidos pela epiderme e ainda pode apresentar uma cutícula protetora.

Nas plantas que se desenvolvem muito em espessura e se transformam em arbustos ou árvores, a epiderme é substituída por um revestimento bastante complexo, que é formado por muitos tecidos, sendo que, o tecido mais externo é formado por células mortas, o que dá um aspecto áspero e opaco para os troncos das árvores.

A esse tipo de revestimento multitecidual, dá-se o nome de periderme, em se tratando da espessura, ele acompanha o crescimento dos troncos. Geralmente, os caules são estruturas aéreas que em relação ao solo, se desenvolvem na vertical. Mas existem também, caules que desenvolvem na horizontal.

Existem ainda, outros tipos de caules que se desenvolvem subterraneamente, eles são denominados de raízes, pois possuem as gemas ou os botões vegetativos e a partir deles, se desenvolvem os ramos e também as folhas.

A principal função do caule é possibilitar a integração entre raiz e folhas, isso ocorre através do sistema vascular. O caule pode designar até três funções, são elas:

I–   Condução: quando transporta as sustâncias que foram absorvidas pela raiz até as folhas, esse processo ocorre através do xilema. Transporta também, as substâncias que são produzidas nas folhas para as outras partes do vegetal, até mesmo a raiz, esse processo ocorre através do floema.

II–  Sustentação: quando apresenta a função de suporte também, sustenta as folhas e as outras estruturas aéreas do vegetal. Isso permite que as folhas tenham uma maior absorção, um contato entre as flores e os polinizadores, além dos frutos com agentes dispersores.

III– Armazenamento: quando os caules, sobretudo os subterrâneos, têm grandes reservatórios celulares, que armazenam substâncias como água e nutrientes.

Anatomia

O caule das plantas denominadas vasculares, que são desenvolvidos por completo, é um corpo subcilíndrico, formado por camadas subsequentes de tecidos diferentes, como:

  • Câmbio cortical – presente apenas nas plantas com crescimento secundário.
  • Câmbio vascular – presente somente nas plantas com crescimento secundário.
  • Córtex – formado pela epiderme, principalmente nas plantas jovens e pelo parênquima cortical.
  • Entrenó ou meritalo – é uma região caulinar que fica entre dois nós consecutivos.
  • Floema – possui formação primária.
  • Gema lateral – tem uma constituição parecida com a gema terminal e pode produzir o ramo folioso ou flor. Fica situada na axila das folhas e pode ser chamada também, de gema auxiliar. Geralmente permanece dormente, ou seja, não se desenvolve adequadamente.
  • Gema terminal ou gema apical – fica localizada no ápice, é constituída por escamas, possui um ponto vegetativo, que é a região meristemática, de forma cônica e tem os primórdios foliares que o recobrem. Podem produzir ramos foliosos, flores e promover o crescimento. Existem gemas nuas, ou seja, sem escamas.
  • Medula – possui uma camada parenquimatosa central.
  • – é uma região caulinar, delicada de onde partem as folhas.
  • Súber – presente nas plantas com crescimento secundário.
  • Xilema – forma o lenho nas plantas com crescimento secundário.

Classificação dos Caules

De acordo com a consistência da planta

  • Herbáceo – macio ou maleável, com presença de tecido colenquimático e por consequência tem acúmulo de celulose junto à parede celular.
  • Lenhoso – lignificado somente na parte mais velha, junto à raiz.
  • Sublenhoso – amplamente lignificado, rígido e, geralmente tem porte avantajado.

De acordo com a forma da planta

  • Achatado ou comprido
  • Anguloso
  • Bojudo ou barrigudo
  • Cilíndrico
  • Cônico
  • Estriado
  • Sulcado

De acordo com a ramificação da planta

  • Em dicásio
  • Monopodial
  • Simpodial

De acordo com o desenvolvimento da planta

  • Arbusto – resistente e lenhoso.
  • Árvore – geralmente tem o tronco nítido.
  • Arvoreta – possui a mesma arquitetura das árvores.
  • Erva – pouco desenvolvida.
  • Liana – cipó trepador sarmentoso.
  • Subarbusto – arbusto pequeno.
  • Tronco – estrutura vertical.

De acordo com o habitat da planta

Caules aquáticos

Caules aéreos:

Eretos

  • Colmo
  • Escapo
  • Estipe
  • Haste
  • Tronco

Rastejantes

Trepadores

  • Bulbo composto ou bulbilho
  • Bulbo tunicado
  • Não-volúveis
  • Volúveis – volúveis sinistros e volúveis dextros

Rizoma – subterrâneos, crescem na horizontal, são longos e delicados.

Tubérculo – tem função de armazenagem, na superfície tem pequenas depressões de onde surgem as gemas.

Voltar

Questões