Resumo de Português - Carta aberta

A carta aberta é uma modalidade de texto que faz parte dos dissertativos-argumentativos. Baseada em fatos concretos e informações consistentes, é usada para relatar um problema que envolve algum grupo social.

Além de contribuir com a participação do cidadão nas esferas políticas, também serve para concursos e vestibulares. Usualmente, a carta aberta é dirigida a autoridades para reivindicar algo, mas pode ser adequada para informar e expor opiniões sobre algum assunto.

A carta aberta ou texto epistolar, como também é conhecido, pode ser o mecanismo de resposta diante de alguma acusação no caso de empresas ou pessoas importantes como políticos e artistas. Essas informações podem ser publicadas em sites ou jornais respeitados.

Outro exemplo acontece nos momentos em que um grupo de pessoas precisa resolver problemas na comunidade e destina carta aberta a um gestor do governo, instigando o resto da população a entender o ponto de vista exposto e provocar a reflexão do gestor para que ele tome uma atitude.

Estrutura da carta aberta

A carta aberta tem a mesma estrutura de uma carta normal, começando com local e data, o vocativo, o conteúdo da carta, assinatura e despedida. Geralmente o nível de intimidade é menor do que as cartas pessoais enviadas a algum amigo. Por isso, precisa ter um tom mais formal. 

Em virtude da formalidade, a carta aberta deve ser escrita obedecendo algumas regras. Em caso de provas de vestibulares e concursos, o não cumprimento das regras pode anular a redação do candidato e prejudicar a nota, podendo desclassificá-lo.

Título

O emissor identifica logo no título o destinatário. Antes de falar do assunto é indispensável a revelação do receptor a quem o conteúdo é enviado. Logo no começo da carta há essa ordem:

  • Inicia-se com a data e o local;
  • O destinatário é apresentado;
  • Síntese do assunto: expõe o problema de interesse coletivo ou tema da carta com objetividade e clareza.

Introdução

O emissor inicia o discurso colocando a principal questão em evidência na introdução da carta aberta. De maneira atraente e explicativa, descreve e explicita o problema que o motivou a escrever a carta. Segue algumas dicas que auxiliam na hora de argumentar.

  • Discorrer sobre a problemática;
  • Argumentar com coerência;
  • Usar verbos na primeira pessoa do singular ou na primeira pessoa do plural se for um conjunto de pessoas.

Desenvolvimento

Nessa parte do texto o problema é analisado pelo emissor, que se utiliza de argumentos consistentes sobre o seu ponto de vista. No desenvolvimento quem escreve tem a possibilidade de detalhar suas alegações de forma que quem lê seja persuadido e apoie o discurso.

  • Esclarecer seu ponto de vista em relação ao tema;
  • Organizar o discursos com informações pertinentes;
  • Justificar a autoridade que tem para falar e indicar a fonte dessa justificativa;
  • Dialogar com os destinatários;
  • Utilizar perguntas que suscitam a reflexão do destinatário;
  • Dar sentido aos argumentos utilizando elementos de coesão.

Conclusão

Ao final do desenvolvimento do texto, o remetente sugere uma solução para a reclamação feita ou apenas algo que poderia ser melhorado e até mesmo uma explicação do motivo que lhe fez escrever a carta, dependendo do conteúdo e da intenção.

A carta aberta não é restrita apenas a reclamações, mas pode ser usada também para elogios, instruções, descrições, entre outros. Ela também pode ter em sua composição tanto argumentação quanto descrição, por exemplo. Para cada objetivo deve-se finalizar com a conclusão das ideias com os seguintes preceitos:

  • Enfatizar novamente o assunto;
  • Prever refutação ao que foi apresentado;
  • Sugerir solução para o problema, se necessário;
  • Agradecer;
  • Se despedir
  • Assinar.

Outros tipos de cartas

A carta é uma forma de comunicação entre as pessoas. Com o advento dos meios tecnológicos, passou a assumir um formato digital, não sendo excluída totalmente do formato de papel.

No geral, as cartas possuem um gênero textual bem comum: a presença de um remetente (emissor) e um destinatário (receptor).

Além da carta aberta, existem ainda outros tipos que podem ser usadas em diversos segmentos, como no âmbito pessoal, acadêmico e até profissional.

Carta ao leitor

A carta ao leitor é aquela em que leitores de determinados sites, jornais ou revistas enviam para os veículos com alguma reclamação, elogio ou sugestão. Dessa forma, os meios de comunicação podem utilizar essas informações para melhorar o seu conteúdo, pois é também uma forma de mensuração do gosto popular.

Esse tipo de carta não tem regra para ser escrita, mas o bom senso ajuda na hora de produzi-la. Comumente é utilizada uma linguagem formal simples, coesa e objetiva, ou seja, indo direto ao ponto.

Na carta do leitor são colocados a data e o local, um vocativo, a quem o emissor se dirige e as considerações. O remetente pode ser identificado no início ou no final com a assinatura.

Carta pessoal

A carta pessoal é utilizada por pessoas que se conhecem e mantêm grau de intimidade que não demanda de uma linguagem tão formal. No entanto, para entendimento do assunto é necessário coerência textual.

Foi muito usada antes do surgimento e popularização da internet para diálogos entre pessoas distantes e transmissão de assuntos que diziam respeito às partes envolvidas.

Contém endereço e data, saudações, conteúdo e despedida. Ela pode ser escrita por qualquer pessoa e enviada pelo correio a um destinatário específico, o que não é mais tão comum nos dias de hoje. O e-mail acabou substituindo essa modalidade de carta.

Carta argumentativa

A carta argumentativa é enviada a um receptor específico e geralmente é usada para solicitar ou reclamar. Sua estrutura é parecida com a da carta aberta, pois as duas possuem caráter argumentativo e tom persuasivo. O assunto tratado também deve ser desenvolvido com objetividade, coesão e coerência.

Introdução, desenvolvimento e conclusão fazem parte da estrutura dessa carta. Além de tentar convencer o leitor de um ponto de vista referente a uma temática, apresenta argumentos que defendem o seu posicionamento.

Provas de universidades e concursos podem conter questões referentes à carta argumentativa, como no caso da redação, por isso é fundamental saber as regras de escrita dessa modalidade de texto. 

Voltar

Questões