Resumo de Geografia - Canal de Suez

O Canal de Suez é uma via navegável, artificial e a nível do mar. Fica localizado no Egito, país que é oficialmente chamado de República Árabe do Egito e fica entre o nordeste da África e o sudoeste da Ásia, por meio da Península do Sinai.

O canal está entre o Mar Mediterrâneo e o Mar Vermelho e foi inaugurado no dia 17 de novembro de 1869, depois de ter passado cerca de dez anos em construção. Ele possibilita a viagem de navios entre países da Europa e a Ásia Meridional, sem que seja necessário navegar em torno da África. Esse fato permite que a distância da viagem marítima entre a Europa e a Índia diminua cerca de sete mil quilômetros.

A História do Canal de Suez

Quando o Canal de Suez foi construído, tinha aproximadamente 164 km de comprimento e 8 metros de profundidade. Após diversos alargamentos, passou medir cerca de 193,30 km de comprimento, 24 metros de profundidade e 205 metros de largura. A passagem é constituída do canal de acesso norte com 22 km, do canal de acesso sul com 9 km e do próprio canal com 162,25 km.

Na extremidade norte do canal, está o Porto Said, uma cidade do Egito que fica na costa do Mar Mediterrâneo, onde há duas saídas para o mar; na parte sul fica a cidade de Suez, uma cidade portuária que fica no nordeste do Egito, onde há uma saída para o mar. A cidade de Ismaília, capital da província egípcia, fica na margem oeste do canal.

O Canal de Suez possui pontos de paradas na passagem de Ballah e também no Grande Lago Amargo (lago salgado). A via não tem eclusas, uma obra de engenharia hidráulica que possibilita que as embarcações subam ou desçam os rios ou mares onde tenha desníveis, por isso, a água do mar flui livremente por meio dela.

Geralmente, o canal que fica ao norte dos lagos amargos flui para o norte na estação do inverno e para o sul na estação do verão. No sul dos lagos, as águas costumam seguir a maré em Suez. O canal pertence e é mantido pela Autoridade do Canal de Suez (SCA), entidade do governo do Egito.

De acordo com os termos da Convenção de Constantinopla, o Canal de Suez pode ser utilizado tanto em tempo de guerra quanto em tempo de paz, por todo e qualquer navio que seja de comércio ou de guerra, sem haver a distinção de bandeiras.

Em agosto de 2014, teve início a expansão da passagem de Ballah em cerca de 35 km, com o custo de aproximadamente 8,4 bilhões de dólares, para ampliar a capacidade do canal. Esse valor financiado foi disponibilizado por meio da emissão de certificados de investimento exclusivo para entidades e indivíduos egípcios.

Após a expansão, o canal recebeu o apelido de “Novo Canal de Suez” e foi inaugurado em uma cerimônia, no dia 06 de agosto de 2015. Essa expansão praticamente dobrou a capacidade de navegação do canal, diariamente.

Convenção de Constantinopla

A Convenção de Constantinopla é um tratado internacional, que foi assinado no dia 29 de outubro de 1888, por Grã-Bretanha, França, Alemanha, Rússia, Turquia, Áustria-Hungria, Espanha, Holanda e Itália.

O tratado foi assinado na cidade de Constantinopla, onde ficou determinado o uso livre da passagem do Canal de Suez, tanto em tempo de paz quanto em tempo de guerra, além de todos os tipos de navios. Foi proibido o bloqueio do canal ou da região no entorno dele, ou que estivesse sujeito a ele.

Para alcançar o objetivo desejado, ficou determinado que o Canal de Suez não poderia ser zona de guerra, nem zona de segurança, definida em três milhas ao seu redor. O canal se tornou desmilitarizado e as suas fortalezas deveriam ser eliminadas e em situação nenhuma poderia dar a permissão para a construção de novas edificações militares.

Cronologia do Canal

  • 25 de abril de 1859 – início da construção.
  • 16 de novembro de 1869 – o canal foi aberto, sendo operado e pertencendo à Companhia do Canal de Suez.
  • 25 de novembro de 1875 – o Reino Unido se tornou acionista majoritário do canal.
  • 25 de agosto de 1882 – os britânicos tomaram o controle do canal.
  • 14 de novembro de 1936 – a Zona do Canal de Suez é estabelecida, sob o controle britânico.
  • 13 de junho de 1956 – a Zona do Canal de Suez é devolvida para o Egito.
  • 26 de julho de 1956 – o Egito nacionaliza o canal.
  • 05 a 22 de novembro de 1956 – as forças britânicas, francesas e israelitas ocuparam a Zona do Canal de Suez.
  • 22 de dezembro de 1956 – o canal foi devolvido novamente para o Egito.
  • 10 de abril de 1957 – o canal foi reaberto.
  • 05 de junho de 1967 a 05 de junho de 1975 – o canal foi fechado e bloqueado pelo Egito.

Voltar

Questões