Resumo de Biologia - Camuflagem

A Camuflagem é uma maneira de defesa eficiente onde o animal fica praticamente invisível em seu habitat natural e com isso ele consegue evitar sua identificação e por consequência a ação dos predadores.

A camuflagem tem outra função, ela também funciona como uma estratégia para conseguir o alimento, pois quando o predador se esconde, funciona como um elemento surpresa para atingir o alvo, ou seja, assim facilita o ataque a presa.

A Camuflagem

Existem várias formas dos animais adequarem os seus corpos, como forma de auxílio na luta por sobrevivência. Essas adequações garantem a segurança e mantém os predadores longe, outras adaptações facilitam a caça e garantem a obtenção do alimento. Há ainda, adequações que garantem as duas possibilidades e a melhor forma de adaptação é a camuflagem.

Com a camuflagem é possível que o animal consiga alterar sua cor e sua forma, isso o torna invisível para aqueles distraídos. É possível exibir também: escamas, pelos, penas e outras estruturas, que no decorrer dos anos de evolução, subsistiram no organismo do animal, com intuito apenas de adaptação, ajudando a se disfarçar no meio ambiente.

Existem animais que têm cromatóforos, que são células específicas que promovem a alteração da pigmentação e permitem que os organismos se transformem e alcancem a cor do ambiente natural, a exemplo dos polvos. Já outros animais, têm pelos brancos que permitem a camuflagem na neve, promovendo uma significativa ação de seleção natural, a exemplo dos ursos polares.

As formas de pigmentação estão diretamente relacionadas à fisiologia do animal. Na maior parte dos mamíferos, a pigmentação da camuflagem se encontra nos pelos, porque é a camada mais externa do corpo. Nos anfíbios, répteis e peixes, a pigmentação está nas escamas; nos pássaros está nas penas e nos insetos, a pigmentação faz parte do exoesqueleto (cutícula resistente e flexível que cobre o corpo).

O sistema de proteção externo também pode se desenvolver e gerar uma melhor camuflagem, a exemplo dos esquilos que possuem os pelos muito ásperos e irregulares e isso se assemelha à textura de casca de uma árvore. Já os insetos possuem uma carapaça se parece com a textura macia que algumas folhas têm.

Tipos de Camuflagem

Homocromia

Na homocromia os organismos possuem padrões de pigmentação que são afixados geneticamente. Geralmente, os organismos têm a coloração parecida com areia, folhas, galhos, entre outras estruturas. Isso os tornam semelhante ao meio em que vivem.

O camaleão é um exemplar que possui cromatóforos que garantem a sua alteração de coloração, de acordo com o seu deslocamento no ambiente em que vive. O peixe linguado é um outro exemplar que possui o corpo com pigmentação que se assemelha ao fundo de seu habitat natural.

Homotipia

A homotipia é a denominação dada à camuflagem pelo que é conhecido como “comportamento de decoração”. Os organismos são parecidos com determinadas estruturas do ambiente natural onde vivem. Exemplos: o bicho folha, que se parece exatamente com uma folha e o bicho pau, que se parece muito com gravetos.

Camuflagem x Mimetismo

Na camuflagem, os seres vivos ficam parecidos com o ambiente natural onde vivem, com objetivo de se ocultarem dos predadores, ou então, para atacar de surpresa as suas presas. O importante não é a aparência física e comportamental entre as espécies, o que importa é se ocultar na natureza.

Já no mimetismo, os seres vivos ficam parecidos uns com os outros, para conseguir conquistar vantagens. As espécies possuem características parecidas com as particularidades de outras espécies mais perigosas, como é o caso da cobra coral falsa e da cobra coral verdadeira.

O mimetismo trata da natureza e capacidade que os animais ou as plantas têm de se adaptar e conseguir fazer uma imitação de outro organismo para ficar em posição de superioridade. O principal intuito do mimetismo é se proteger dos predadores, se fazendo parecer com o que não é.

Mimetismo de Defesa

  • Batesiano – os animais procuram ficar semelhantes com outros animais de espécies diferentes, cujo o gosto seja ruim ou que sejam venenosos. Existem abelhas que possuem desenhos em suas asas semelhantes com as corujas. A cobra coral falsa que dificilmente consegue utilizar o seu veneno, por causa da modesta abertura de boca, busca ficar parecida com a cobra coral verdadeira.
  • Mulleriano – os animais procuram ficar semelhantes com outros animais cujo o gosto seja ruim e por esse motivo, os predadores não costumam atacar.

Mimetismo de Ataque

  • Peckhaminano – os animais costumam se misturar com outros animais parecidos, para conseguir ensaiar uma aproximação da presa. A águia de asa redonda é um exemplo que costuma se aproximar de outras aves para tentar atacar sua presa.

Exemplos de Animais que se Camuflam

  • Bicho verde
  • Bicho pau
  • Borboleta folha
  • Camaleão
  • Cobra cigana
  • Corujas
  • Esperança
  • Esquilo
  • Folha ambulante
  • Gafanhoto da areia
  • Gafanhoto folha
  • Golfinhos
  • Inseto “assassino”
  • Inseto espinho
  • Lagarta verde
  • Louva a deus (folha seca)
  • Louva a deus orquídea
  • Mariposa salpicada
  • Pássaro urutau
  • Polvo
  • Raposa do ártico
  • Tubarões
  • Urso polar

Voltar

Questões