Resumo de Educação Física - Bungee Jumping

O bungee jumping, também chamado de bungee jump, é uma modalidade de esportes radicais que consiste em saltar para o vazio de uma grande altura, apenas amarrado pelos tornozelos ou cintura com uma corda elástica.

A história do bungee jumping é mitológica. De acordo uma das lendas, uma mulher da tribo Bunlap, em Vanuatu, estava fugindo do seu marido ciumento e então subiu em uma árvore muita alta e se jogou de lá. Então, seu marido desesperado jogou-se atrás dela.

Contudo, a mulher muito esperta tinha amarrado cipós em seu pé e alcançou o solo com segurança. Já o marido, não tinha conhecimento dessa tática e saltou da árvore sem auxílio de qualquer objeto que o segurasse. O resultado foi a sua morte.

O ato de coragem da mulher admirou todo a tribo. Com isso, os jovens dessa região passar a escalar torres de madeira e saltar amarrados em cipós como prova de bravura. Essa prática também era utilizada como rito de passagem da adolescência para fase adulta.

Esses saltos deram origem ao esporte chamado Naghol, considerado antecessor do bungee jumping.  E os jovens ficaram conhecidos como “Land Divers”, após a visita da equipe de televisão “National Geografics” na década de 90.

Em 1979, membros do clube de esportes perigosos da Universidade de Oxford, “Dangerous Sport Club”, saltaram da ponte de Clifton, de uma altura de 75m, amarrados a elásticos utilizados para amarrar bagagens.

Quase uma década depois, em 1987, o neozelandês Alan John Hackett saltou da torre Eiffel, em Paris, que possui 300m de altura. Desde então, o bungee jumping passou a ser considerado um esporte radical e acumula milhares de adeptos em todo o mundo.

Orientações da prática do bungee jumping

  • Não há limites de idade, porém o peso mínimo é de 40kg;
  • Evitar comidas pesadas, dar preferência por frutas e sucos;
  • Estar bem fisicamente e mentalmente, bem como livre do efeito de álcool ou outros tipos;
  •  Não possuir doenças de coração, epilepsia, entre outras;
  •  Não ter passado por nenhum tipo de cirurgia recente;
  • Utilizar os equipamentos de segurança;
  • Gestantes são proibidas de realizar saltos;
  • Não utilizar brincos, colares, piercings e outros adereços;
  • Preparar o corpo antes do salto, por meio de alongamento.

Modalidades de bungee jumping

Saltar para o vazio de uma grande altura é a modalidade básica desse que é um dos esportes mais radicais do mundo.

Catapulta: é similar à modalidade básica, nesse caso o ponto de origem é o chão. A corda é esticada enquanto o esportista está agarrado e quando chega ao ponto máximo ele é liberado no chão;

Bungee run: não é realizado um salto, essa modalidade consiste em correr na direção oposta à corda até que ela se estique ao máximo. Ao dar o seu máximo, o esportista “desiste” e volta ao ponto de inicial;

Torre gêmea: nessa modalidade existem duas torres, cada uma com um cabo levando o esportista entre elas, quando as cordas são esticadas o praticante é relançado;

Trampolim: como o próprio nome sugere, o participante começa em um trampolim e é encaixado em um arnês de corpo. Quando ele começam a pular, as cordas são apertadas, permitindo um salto mais alto do que feito em um trampolim sozinho;

Mergulho SCAD (suspended catch air device): essa modalidade, o praticante é largado de uma altura, mas não há corda para segura-lo, em vez disso ele cai em uma rede.

Rope jumping

Semelhante ao bungee jumping, o rope jumping (ou pêndulo humano) não utiliza cordas elásticas, mas sim um cabo de aço. Nesse esporte, o praticante amarrado pula de uma ponte ou outra plataforma e fica balançando de um lado para o outro até parar.

O salto no pêndulo oferece uma descarga de adrenalina até maior que a bungee jumping, já que a maioria dos pulos são em queda livre. A segurança também é redobrada, antes do salto são realizados cálculos a partir do peso e altura do praticante, com objetivo de manter a corda esticada.

Tipos de saltos

Existem vários tipos de salto no bungee jumping, os mais conhecidos são:

  • Arnês no corpo: é o tipo mais comum de salto, o qual é presa uma a corda na cintura;
  • Arnês nas pernas: consiste em prender a corda nas pernas e fazer um salto de cabeça para baixo, terminando-o nessa mesma posição;
  • Mergulho de andorinha: consiste em saltar para fora da plataforma como se realizasse um voo de andorinha; com braços abertos para abraçar o vazio no salto.

Há outros tipos de salto. São eles:

  • Arnês nos braços
  • Salto de corrimão
  • Top of cage
  • Gota de morcego
  • Elevador
  • Pogo
  • Water touchdown

Equipamentos utilizados

  • Fitas tubulares de nylon 2000KN (safety line)
  • Cabos (Bungee cords)
  • Mosquetões de aço
  • Cadeirinha de alpinismo (Seat harness)
  • Ankle harness
  • Cabos de aço ou cordas estáticas 16mm para ancoragem
  • Cordas estáticas 12mm para resgate
  • Freio “Rack” para resgate
  • Fitas tubulares de nylon para resgate
  • Faca
  • Kit de primeiros socorros
  • Rádios de comunicação

Locais para saltos

Esse esporte é baseado na adrenalina, mas antes de tudo deve-se prezar pela segurança. Por isso, existem várias empresas especializadas em esportes radicais. O bungee jumping geralmente é praticado em:

  • Guindastes
  • Pontes
  • Edifícios (com plataformas)
  • Torres
  • Balões de ar quente
  • Helicóptero
  • Teleférico

X Games: a Olimpíada dos esportes radicais

Os X Games são um eventos esportivo realizado todos os anos em edições de verão (Summer X Games ou X Games) e de inverno (Winter X Games). Esse evento Este é considerado os Jogos Olímpicos dos esportes radicais.

Os esportes participantes desse evento são:

  • Motocicleta
  • Rally
  • Skateboard
  • BMX ou bike cross
  • Esqui
  • Snowboard
  • Snowmobile
  • Climbing
  • Street Luge
  • Surfing
  • Downhill Skateboarding
  • Moto X Super X
  • Wakeboarding
  • Skysurfing
  • Bungee jumping
  • Skateboard Vert Doubles
  • Super Motorcross
  • Barefoot Waterski Jumping
  • Super modified shovel racing
Voltar