Resumo de Educação Física - Brincadeiras

É por meio das brincadeiras que as crianças socializam e interagem, além de manifestarem sua criatividade, inteligência, habilidade e imaginação. 

As brincadeiras são experiências que possibilitam às crianças revelarem suas personalidades. Com elas, os pequenos se distraem e despertam sobre seus objetivos. O ato de brincar estimula nas crianças o autoconhecimento, além da socialização.

Significado de Brincadeiras

Segundo o dicionário, brincadeira é a ação de brincar, entreter, distrair, divertir. São jogos livres que têm o objetivo de encenar, substituir e utilizar objetos lúdicos. A diferença entre a brincadeira e outras atividades diárias é o seu caráter divertido e criativo.

As crianças brincam por muitas razões e é por meio das brincadeiras que muitas vezes elas expõem medos, desejos e emoções, por exemplo. Para que a atividade seja referida como brincadeira, o indivíduo deve estar se desviando intencionalmente da realidade.

Benefícios das Brincadeiras

O ato de brincar em família, por exemplo, além de ser um momento de lazer  para as crianças, favorece o vínculo afetivo e contribui para sua segurança emocional.

A brincadeira, conforme dito acima, colabora e potencializa o desenvolvimento das crianças. Por meio dela que elas constroem sua autonomia. Quando as crianças estão no período Pré-Operatório (de dois a sete anos), segundo o biólogo, psicólogo e epistemólogo, Jean Piaget, elas assumem um comportamento bastante egocêntrico e para todas as coisas são necessárias explicações.

Por isso, nessa etapa, as atividades educacionais que proporcionem divertimento são fundamentais. As crianças precisam lidar com os diferentes pontos de vista apresentados por seus colegas, além de estarem expostos a pequenos problemas que terão que ser resolvidos por eles, mas sempre com a ajuda da professora e respeitando as possíveis regras e acordos.

A importância de brincar na educação infantil é essencial e necessária, pois ajuda na construção da identidade, na formação de indivíduos, na capacidade de se comunicar com o outro, reproduzindo seu cotidiano e caracterizando o processo de aprendizagem.

Além disso, o ato de brincar apresenta um teor simbólico que colabora para impulsionar o desenvolvimento infantil, uma vez que nas brincadeiras as crianças passam a tentar entender seu mundo ao reproduzir situações da vida. Em jogos de imitação, por exemplo, elas tentam compreender o mundo ao seu redor.

A necessidade de brincar das crianças é algo inquestionável. Elas estabelecem um mundo próprio a partir de suas visões. Através de objetos de cultura, por exemplo, elas capturam e transmitem valores, ideologias, expectativas no campo social, além de se desenvolverem fisicamente.

Hoje em dia as brincadeiras ganharam novos formatos. Os brinquedos mais simples e produzidos até com resíduos recicláveis, como eram feitos antigamente, foram substituídos por brinquedos caros e, muitas vezes, tecnológicos. A variedade de brinquedos expostos nas prateleiras das lojas facilita o consumo e oferece às crianças a sensação de estar sempre insaciada, querendo sempre mais de um.

Que tal voltar à memória e rever algumas brincadeiras populares?

Brincadeiras Populares

Jogo da Velha

O jogo da velha é um jogo popular muito conhecido. As regras são muito simples. O objetivo é completar uma linha na diagonal, vertical ou horizontal com três círculos ou três ‘x’ em sequência. Quem formar primeiro essa linha com três símbolos iguais vence.

Cabra-cega

Cabra-cega é também umas das brincadeiras populares. Muito engraçada e empolgante, essa brincadeira é bem fácil de brincar. Ela pode ser feita em uma roda ou em um local fechado e seguro.

Uma criança é escolhida para ser a Cabra-Cega da vez. Para isso, ela tem que ficar com os olhos cobertos por um lenço e tentar pegar nas outras crianças. Ao conseguir pegar alguém, a cabra-cega tem que descobrir quem é a pessoa. Se acertar, a criança capturada será a próxima Cabra-Cega e se errar, tem que tentar pegar outra criança até acertar o nome.

Passa Anel

As crianças ficam em círculo a e uma delas segura um anel com as mãos. Nessa brincadeira, o intuito é que ela passe o anel por toda a roda. De forma que ninguém perceba, ela deixa o anel para outra criança. Ganha quem descobrir com quem está o objeto.

Gostou de lembrar de algumas brincadeiras antigas? Confira mais no vídeo abaixo:

Escravos de Jó

As crianças ficam sentadas no chão em círculo ou ao redor de uma mesa. Elas devem passar de uma para outra um objeto específico. A medida que passam o objeto, cantam a música que dá nome à brincadeira. O objetivo é passar o objeto de uma para outra. No trecho da música que diz “zigue – zá”, muda-se a direção do objeto. Quem estiver desatento e errar a direção, é eliminado. A música é: “Escravos de Jó Jogavam Caximbó. Tira, bota. Deixa o Zé Pereira Que se vá. Guerreiros com guerreiros Fazem zigue – zigue zá”.

Cabaninha

Na cama, na mesa da sala, entre a cadeira ou um canto no jardim fica coberto por um lençol. Nessa brincadeira mágica, a ideia é ficar escondido em uma espécie de “cabana”, como se fosse um acampamento. Ela também é conhecida como festa do pijama.

Mímica

As crianças se dividem em dois grupos e cada equipe fica com um tema. Cada time escolhe um elemento (conforme o tema que vai ser interpretado na mímica) do que vai ser imitado. O objetivo é acertar o que a mímica representa em um determinado tempo. Quando um grupo acerta ou o tempo se esgota, é a vez do outro grupo receber um tema para fazer a mímica.

Bolha de sabão gigante

Na brincadeira bolha de sabão gigante a criança cria um suporte para fazer grandes bolhas de sabão usando barbante e varetas. É bem simples: faz um círculo com o barbante e amarra as varinhas em lados contrários. A criança consegue fazer a bolha colocando a varinha em cada mão, molhar o barbante em uma bacia com água e detergente.

Voltar