Resumo de Biologia - Bomba de sódio e potássio

Bomba de sódio e potássio é um tipo de transporte ativo que é feito pela membrana plasmática de maneira que mantenha o equilíbrio osmótico tanto dentro quanto fora das células. Fora da célula há concentração de sódio (Na+) e dentro da célula há concentração de potássio (K+).

Bomba de sódio e potássio

As células são formadas, em sua maioria, por água que representa cerca de 50% do peso corporal humano, dessa forma é necessário haver equilíbrio em seu funcionamento. Esse processo se dá entre a concentração de íons e proteínas nos meios extracelulares e intracelulares.

Essas concentrações se mantém pelas trocas iônicas e proteicas feitas na célula para que se garantam concentrações ideais de íons e proteínas de cada meio.

A bomba de sódio e potássio é uma proteína transmembrana que possui atividade enzimática e que utiliza ATP, depois ADP e fosfato que são as responsáveis por doar energia para o transporte dos íons de potássio (K+) e sódio (Na+) em direção aos gradientes de concentração.

A bomba de sódio e potássio pertence ao sistema do controle hidroeletrolítico da célula, sendo a responsável pela manutenção das concentrações de íons de sódio e potássio dentro e fora das células.

Está localizada na membrana plasmática e depende de ATP. Seu funcionamento está embasado no transporte dos íons e qualquer problema nesse funcionamento da bomba de sódio e potássio pode ocorrer devido às alterações no meio.

Etapas da função da bomba de sódio e potássio

  • Primeiramente a bomba se liga ao ATP que também se liga a três íons de sódio (Na+) intracelulares;
  • O ATP é hidrolisado, ou seja, sofre uma quebra pela água, o que acarreta no desprendimento de fosfato e liberação de ADP;
  • Esse desprendimento do fosfato acarreta uma mudança na bomba expondo os íons de sódio para o exterior da membrana. Essa mudança na bomba já fosforilada, tem afinidade com os íons de sódio e então libera-os para fora da célula;
  • Depois dois íons de potássio extracelulares se ligam à bomba, levando novamente à desfosforilação;
  • O ATP se liga à bomba para liberar os íons de potássio para o interior da célula ficando pronta para mais um ciclo.

Transporte ativo

O processo de transporte ativo gasta energia que pode ocorrer em local de menor concentração contra o gradiente de concentração, ou seja, aonde estão mais concentradas.

Esse processo só é possível graças à presença de proteínas específicas na membrana plasmática da célula que através do seu gasto energético se combinam aos íons transportando-os para a região mais concentrada.

Isso só acontece porque a proteína passa por uma transformação na sua forma. Essa energia é proveniente da quebra das moléculas ATP – Adenosina trifosfato em ADP – Adenosina difosfato e fosfato.

Membrana plasmática

A membrana plasmática é uma camada finíssima que delimita a célula isolando a parte interna da externa. Essa camada se constitui de moléculas de lipídios e proteínas que são organizadas por duas camadas lipoproteicas.

A formação dessa dupla camada de lipídios permite que o conteúdo da célula se isole parcialmente, de maneira que seja semipermeável, podendo então permitir que a água, o oxigênio, o gás carbônico e os íons passem pela membrana. Essa característica é chamada de permeabilidade seletiva.

Células musculares e células dos neurônios

As bombas de sódio e potássio são importantíssimas para as células excitáveis como as células musculares e as células dos neurônios.

  • Células musculares: têm a capacidade de se contrair e alongar. Possuem o formato alongado promovendo a contração muscular e permitindo diversos movimentos ao corpo.
  • Células dos neurônios: ou células nervosas possuem a função de conduzir impulsos nervosos e essas células têm em média um metro de comprimento com as suas ramificações que são responsáveis pela integração de informações.
Voltar

Questões