Resumo de Biologia - Biodiversidade

O termo biodiversidade está relacionado com a variedade das formas de vida da Terra. Em outras palavras, as plantas, os animais e os microrganismos.

As espécies vivas atuam em diferentes frentes do ecossistema. Por isso, a biodiversidade garante a manutenção do equilíbrio e sustentabilidade do planeta.

Mas como é possível existir tantas formas de vida em diferentes ambientes? A resposta está na diversidade genética. Ela tornou viável a adaptação da vida em tantos espaços, alguns até com condições naturais extremas para o ser humano.

Na base de toda essa estrutura, as plantas. Com mais de 300 mil espécies catalogadas, esse é um dos maiores e mais biodiversos grupos de seres vivos na Terra. As plantas verdes fornecem boa parte do oxigênio molecular que é encontrado nos ecossistemas, principalmente no terrestre.

Com base nos estudos da botânica, elas são desenvolvidas de forma rápida em ambientes úmidos e quentes. Isso justifica a diversidade vegetal que é encontrada na Amazônia, fato que torna a sua preservação essencial para o mundo.

Principais conceitos

Para entender a biodiversidade é importante conhecer três conceitos fundamentais:

  • Espécie
  • População
  • Comunidade

A espécie é uma unidade aplicada na classificação científica dos seres vivos.  Ou seja, é uma subdivisão ou conjunto de indivíduos que têm características em comum. Como resultado dessa forma de determinação, as espécies são grupos de populações que partilham o mesmo fundo genético, a exemplo da morfologia.

No caso da população, em biologia, é o conjunto de indivíduos de uma mesma espécie que habita determinado espaço, considerando certo período de tempo. Em outros termos, é cada grupo de organismos de uma mesma espécie que faz parte de uma comunidade, formando assim populações.

E qual é a definição da referida comunidade? De forma simples, é o grupo de indivíduos que compartilham algo. É por isso que o termo serve para abordar a totalidade de organismos vivos que fazem parte do mesmo ecossistema e interagem entre si.

Níveis da biodiversidade

Feita a abordagem de conceitos básicos, vale destacar que a biodiversidade pode ser dividida em três níveis principais:

  • Diversidade genética: ligada com a diversidade dos genes numa espécie;
  • Diversidade específica: é onde está a diversidade das espécies animais e vegetais;
  • Diversidade ecossistêmica: relacionada com a diversidade dos ecossistemas que estão na Terra.

A diversidade genética é fundamental para que as populações de organismos vivos consigam se adaptar ao meio ambiente. Quanto maior a diversidade genética, maior a adaptação de uma espécie para resistir às mudanças ambientais.

Esse nível de diversidade é fruto de fatores como a seleção natural, os fenômenos de recombinação genética e as mutações de genes.

Bases da diversidade específica

A diversidade de espécies é constituída em dois elementos principais: riqueza específica e equitatividade. O primeiro termo é utilizado na ecologia para denominar o número de espécies de uma região, a partir da avaliação da homogeneidade de um ambiente.

Já a equitatividade, do ponto de vista da biodiversidade, é empregada para definir a uniformidade e homogeneidade das espécies pela questão da distribuição e abundância na comunidade.

Não existem dados concretos sobre quantas espécies de vegetais e animais existem no mundo. No entanto, as estimativas variam entre 10 e 50 milhões, com cerca de 1,5 milhões classificadas. Elas estão presentes nos mais diversos tipos de ecossistema.

Importância da biodiversidade

No equilíbrio da natureza, todos os animais possuem papéis importantes. Por isso, cabe destacar alguns exemplos que mostram a relevância da biodiversidade para a natureza.

As funções dos grupos biodiversos estão presentes em questões como:

  • A polinização – Feita pelas abelhas, contribuiu para a manutenção da diversidade de espécies da Terra, sendo o fator mais relevante para a existência das plantas;
  • A bioindicação – Os anfíbios são considerados bioindicadores, pois conseguem prever alterações ambientais. Isso acontece pelo ciclo de vida em ambiente aquático e terrestre;
  • A alimentação de outros seres. As fezes do peixe-boi servem de alimento para muitos animais aquáticos, a exemplo das larvas de peixes e dos fitoplânctons.

Ameaças

Os grupos biodiversos sofrem ameaças de fatores como poluição, uso excessivo de recursos naturais, expansão da fronteira agrícola em detrimento dos habitats naturais e expansão urbana.

Esses cenários colocam os animais em extinção, afetando de forma direta a biodiversidade.

Vale pontuar que a exploração excessiva de algumas espécies animais também pode causar a extinção. Um exemplo é o uso medicinal de chifres de rinocerontes das ilhas de Sumatra e Java. O fato colocou a espécie dos locais em perigo crítico.

Cabe mencionar que a introdução de espécies de animais e vegetais em diferentes ecossistemas pode ser prejudicial e impactar o cenário biodiverso. O problema ocorre pela mudança nas relações ecológicas.

O homem, enquanto principal agente interventor da natureza, deve buscar formas de preservação e manutenção das espécies animais e vegetais que existem no mundo.

Voltar

Questões