Resumo de Português - Análise morfológica

Análise morfológica é a parte da gramática que estuda a estrutura e classificação das palavras de acordo com sua classe gramatical, e pode ser substantivo, pronome, artigo, adjetivo, advérbio, conjunção, interjeição, preposição, numeral e verbo.

Cada palavra é estudada e classificada separadamente. Não deve-se confundir esse tipo de análise com a análise sintática, onde se estuda a palavra em relação às outras que estão na mesma oração.

Ex: Juliana comprou um vestido.

Juliana: substantivo próprio

Comprou: verbo

Um: artigo indefinido

Vestido: substantivo comum

Artigo

É a palavra que antecede o substantivo e pode ser empregado de forma definida ou indefinida. O artigo também indica na análise morfológica o número e o gênero dos substantivos.

  •  Artigos definidos determinam os substantivos de forma precisa: o, a, os, as.

Ex: Ele ganhou o sorteio.

  • Artigos indefinidos determinam os substantivos de forma vaga: um, uma, uns, umas.

Ex: Ele ganhou um sorteio.

Substantivo

É a classe gramatical de palavras que denominam os seres, objetos, fenômenos, pessoas, sentimentos, lugares e fenômenos, entre outros. Varia em gênero, número e grau. Analisando a sua formação na análise morfológica o substantivo pode ser:

  • Simples: formado por um radical que é o elemento base do significado das palavras. Ex: carro / sol.
  • Composto: é formado por mais de um radical. Ex: quarta-feira / vaivém / aguardente.
  • Primitivo: nome que não deriva de outra palavra. Ex: algodão / chuva / pedra.
  • Derivado: deriva de outra palavra. Ex: algodoeiro / chuveiro / pedreira.

Adjetivo

São as palavras que certificam uma qualidade, aspecto, característica ou estado a um substantivo. Passam por uma flexão em gênero, número e grau e são classificados em:

  • Adjetivos simples: Ex: azul / bonito/ pequeno.
  • Adjetivos compostos: Ex: rosa-choque / mal educado.
  • Adjetivo primitivos: Ex: grande / bom.
  • Adjetivos biformes: Ex: simpático / simpática
  • Adjetivos uniformes: Ex: feliz / banal.
  • Adjetivos pátrios: Ex: baiano / colombiano.

Numeral

São as palavras que apresentam quantidades de coisas ou seres. Uns são invariáveis e outros sofrem variação em gênero e número. São classificados em:

  • Numerais cardinais: Ex: um, dois, três.
  • Numerais ordinais: Ex: primeiro, segundo, terceiro.
  • Numerais multiplicativos: Ex: dobro, triplo.
  • Numerais fracionários: Ex: um terço, um quarto.
  • Numerais coletivos: Ex: dezena, dúzia.

Verbo

O verbo é uma palavra que aponta acontecimentos representados no tempo como ação, estado, processo ou fenômeno. Eles flexionam-se em número, pessoa, tempo, modo, aspecto e voz. As orações se desenvolvem em torno dele e assim podemos fazer uma análise morfológica.

  • Verbos regulares: se encaixam nos modelos fixos de conjugação verbal, pois não se alteram os radicais e as terminações após serem conjugados.

Ex: andar / falar / estudar.

  • Verbos irregulares: não se encaixam em modelos fixos de conjugação verbal, pois possuem alterações nos radicais e nas terminações.

Ex: medir / pedir / trazer.

  • Verbos anômalos: apresentam diferentes radicais quando são conjugados.

Ex: ser / ir.

  • Verbos principais: transmitem a ação sozinhos.

Ex: comer / dançar / escorregar.

  • Verbos auxiliares: são verbos que se unem às formas nominais de um verbo principal e indicam tempo, modo, número e a pessoa da ação verbal. São utilizados nos tempos compostos e locuções verbais.

Ex: estar / haver / ir.

  • Verbos de ligação: auxiliam ligando uma característica ao sujeito indicando um estado. Não são significativos e nem indicam uma ação realizada, não sendo então o núcleo do predicado.

Ex: permanecer / continuar / ser / andar.

  • Verbos defectivos: não apresentam conjugações completas, ou seja, não são conjugados em todas as pessoas verbais por fatores morfológicos, fonéticos ou semânticos.

Ex: banir / reaver / colorir / adequar.

  • Verbos impessoais: são verbos que não apresentam sujeito e são conjugados sempre na 3ª pessoa do singular. Ex: haver (com sentido de existir) / fazer (indicando tempo decorrido) e verbos que indicam fenômenos      atmosféricos e da natureza (chover, nevar, ventar, anoitecer, escurecer…).
  • Verbos unipessoais: apresentam sujeito mas não são conjugados apenas na 3ª pessoa do singular e na 3ª pessoa do plural. Ex: verbos relacionados aos animais (latir, miar, cacarejar, mugir…) /verbos que, na 3ª pessoa do singular se relacionam com o sujeito demonstrado por uma oração (convir, custar, acontecer…).
  • Verbos abundantes: são verbos que possuem duas formas semelhantes no particípio, ou seja, particípio duplo com uma forma regular e outra irregular.

Ex: Infinitivo – aceitar / ganhar / pagar / morrer.

Particípio regular – aceitado / ganhado / pagado / morrido.

Particípio irregular – aceito / ganho / pago / morto.

  • Verbos pronominais: são verbos conjugados com os pronomes oblíquos átonos me, te, se, nos, vos, se. Existem dois tipos, essenciais e acidentais.

 

  • Verbos pronominais essenciais – verbos que o radical já transmite a ideia de reflexibilidade havendo reforço dessa reflexibilidade através do uso dos pronomes oblíquos átonos. A ação reflexiva recai sobre o próprio.

Ex: arrepender-se / suicidar-se / zangar-se / abster-se.

  • Verbos pronominais acidentais – são os verbos no qual o radical não transmite ideia de reflexibilidade. A reflexibilidade dele é transmitida através do uso dos pronomes oblíquos átonos, em alguns contextos, podendo o verbo ser utilizado sem os pronomes oblíquos átonos. Além de que a ação reflexiva pode recai sobre o próprio ou sobre outra pessoa.

Ex: pentear / pentear-se, sentar / sentar-se.

Advérbio

São utilizados na análise morfológica por palavras invariáveis que modificam o verbo, o adjetivo ou o advérbio, indicando circunstância. São eles:

  • Advérbio de tempo: Ex: amanhã / cedo.
  • Advérbio de lugar: Ex: ali / perto.
  • Advérbio de modo: Ex: lentamente / mal.
  • Advérbio de afirmação: Ex: certamente / sim.
  • Advérbio de negação: Ex: jamais / nunca.
  • Advérbio de dúvida: Ex: possivelmente / talvez.
  • Advérbio de intensidade: Ex: pouco / muito.
  • Advérbio de exclusão: Ex: apenas / salvo.
  • Advérbio de inclusão: Ex: ainda / também.
  • Advérbio de ordem: Ex: depois / primeiramente.

Pronome

Os pronomes são palavras que substituem o substantivo em uma frase ou acompanham e modificam. Sofrem variação em gênero, número e pessoa. E são classificados em:

  • Pronomes pessoais retos: Ex: eu / tu/ ele.
  • Pronomes pessoais oblíquos: Ex: me / o / a / se.
  • Pronomes pessoais de tratamento: Ex: você / senhora.
  • Pronomes possessivos: Ex: meu / seu.
  • Pronomes demonstrativos: Ex: esse / aquele.
  • Pronomes interrogativos: Ex: quem / quando.
  • Pronomes relativos: Ex: cujo / onde.
  • Pronomes indefinidos: Ex: algum / nenhum.

Preposição

São palavras que não variam e estabelecem conexões com vários sentidos entre dois termos da oração. Na análise morfológica eles são classificados em:

  • Preposições essenciais: Ex: a / de / por / para.
  • Preposições acidentais: Ex: conforme / durante / segundo.

Conjunção

São palavras invariáveis e ligam duas orações ou termos de uma oração. Se classificam em:

  • Conjunções coordenativas: Ex: e / mas / ou / pois.
  • Conjunções subordinativas: Ex: que / como / quanto.

Interjeição

São as palavras invariáveis que exprimem estados de espírito, emoções, sensações. Podem expressar surpresa, impaciência, medo, alegria, entre outros. 

Ex: ui! / vixe! / oba!

Análise morfológica e análise sintática

Alguns estudantes confundem a análise sintática com a análise morfológica, porém as duas têm diferenças básicas. Na análise sintática a palavra não é estudada isoladamente, mas sim mantém relação com as outras palavras da oração. Por isso as palavras exercem uma função na oração.

Já na análise morfológica, como explicamos anteriormente, as palavras são estudadas pelas suas classes gramaticais, então não há interesse na sua função dentro da oração.

Voltar

Questões