Resumo de Biologia - Amebas

As Amebas são os protozoários unicelulares que fazem parte do grupo dos rizópodes, também chamados  de sarcodíneos. É um gênero de protozoários que apresenta pseudópodes – atributos que contribuem na locomoção e aquisição de alimentos.

Amebas

As amebas ou amoebas são unicelulares, ou seja, cada protozoário é composto por apenas uma única célula. Por causa do tamanho, cerca de 0,2 milímetros, é possível observá-las somente através de microscópio.

A maior parte das amebas são de vida livre, não parasitas. Elas são dulcícolas – vivem em água doce e possuem vacúolo contrátil ou pulsátil que executa a osmorregulação. Esse processo corresponde a eliminação do excesso de água absorvido para liberação de células. 

O corpo da ameba não tem forma definida, sendo praticamente formado pelo protoplasma – substância gelatinosa. Podemos encontrar o núcleo no interior do protoplasma. Esses seres costumam viver no meio aquático, como em lagos, riachos, poças de água; na terra e também no organismo de outros seres vivos, como o ser humano.

No homem, elas podem causar uma série de doenças perigosas, a exemplo da amebíase. A maioria das doenças originadas pelas amebas é causada pela ingestão de água contaminada ou de alimentos preparados sem os devidos cuidados higiênicos.  

Classificação das Amebas

As amebas podem ser parasitas, comensais e de vida livre, no entanto, a maioria é de vida livre e podem ser encontradas em águas doces e salgadas.

Entre as amebas parasitas é possível destacar a Entamoeba Histolytica, encontrada nos intestinos dos humanos e que provoca a amebíase.

Entamoeba Histolytica

É uma ameba intestinal. Ela é o protozoário causador da amebíase – terceira maior causa de mortes por motivo de doença parasitária. Esse tipo é muito comum em países de clima tropical.

O protozoário habita o intestino grosso do ser humano, pertence ao sub-filo sarcodina, tem a forma de ameboide e se locomove por meio de pseudópodos. É caracterizado pela fase de vida comensal.

Cerca de 90% dos casos de amebíase são assintomáticos: não apresentam sintomas, no entanto, podem provocar quadros disentéricos com índice de gravidade variável. Os registos mais comuns de amebíase assintomática acorrem no centro-sul do Brasil, já os de amebíase sintomática na região amazônica. 

O ciclo evolutivo da Entamoeba Histolytica é monóxeno, ou seja, completa seu ciclo somente em um hospedeiro. O modo de infecção é fecal-oral – ingestão de cistos presentes na água ou em alimentos contaminados.

O desencistamento acontece na porção final do intestino delgado, liberando os trofozoítos que passam a viver como comensais e se reproduzem através da divisão binária. Nos casos de infecção crônica, pode atingir outros órgãos por meio da circulação sanguínea, principalmente o fígado.

O ciclo não-patogênico – na luz do intestino grosso e o ciclo patogênico que se efetua na parede intestinal, no fígado e em outros órgãos, podem acontecer de forma simultânea. Quando a mucosa intestinal inflama surgem alguns sintomas: febre; dor abdominal prolongada; diarreia seguida de disenteria – fezes com muco, pus e sangue; distensão abdominal e flatulência.

Nos casos mais graves podem surgir a presença de anemia, apendicite, colite ulcerativa, necroses externas da mucosa, perfuração intestinal e peritonite. Os trofozoítos podem atingir outros órgãos por meio da circulação, principalmente o fígado,  provocando o desenvolvimento de abcessos e criação de um quadro constantemente fatal.

A forma de prevenção da amebíase se dá através da higiene pessoal e alimentar, com a melhora das condições sanitárias, destinando as fezes adequadamente, tratamento adequado dos doentes e consumo de água fervida ou filtrada. A cloração da água não torna os cistos inativos.

Entamoeba Coli

É uma ameba comensal não patogênica que habita o intestino grosso dos seres humanos e se locomove através de pseudópodos. Ela não provoca doenças e, por isso, podem viver no corpo humano sem causar danos ou prejuízos.

Os cistos e os trofozoítos podem ser encontrados nas fezes. No caso dos primeiros, de acordo com o grau de desenvolvimento, têm de um a oito núcleos. Conforme a quantidade de núcleos vai aumentando, o diâmetro nuclear e a cromatina do cisto diminuem.

Por causa da semelhança que existe entre os cistos de E. coli e os cistos de E. histolitica, é necessário fazer um diagnóstico distinto, por meio da morfologia e também do número de núcleos do organismo, no entanto a identificação dos cistos não é 100% conclusivo.

Entamoeba Gengivalis

É uma ameba parasita que se instala na boca ou na cavidade bucal do ser humano e também dos cães e gatos. Nos humanos, os incidentes podem estar relacionados com a má higienização bucal.

Ela costuma estar presente nas gengivas, no escarro, também ao lado dos dentes e principalmente na placa bacteriana dentária, porque o protozoário não fica distribuído livremente na cavidade bucal, ele fica restrito aos acúmulos das placas dentais.

A substância nutritiva de E. gingivalis é composto por bactérias, células epiteliais, leucócitos e outros protozoários. Os trofozoítos podem sobreviver até 48 horas a 15° C, eles são anaeróbios e a reprodução se dá por divisão binária.

Voltar

Questões