Resumo de Biologia - Alimentos Orgânicos

Alimentos orgânicos são produtos cujo processo de produção é 100% artesanal, livres de adubos químicos, drogas veterinárias, antibióticos e organismos geneticamente modificados (OGM) e transgênicos.

A produção orgânica inclui o uso de compostos orgânicos para adubação e manejo de culturas. Essa técnica faz com que uma planta ajude no desenvolvimento da outra ou qualifique o solo para a safra seguinte.

Em função da variedade do solo brasileiro, vários tipos de alimentos orgânicos podem ser cultivados. Os principais são: cana, soja, gengibre, tomate, manga,  pêssego, uva e cacau.

Um produto é classificado como orgânico a partir do reconhecimento e certificação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Com isso, o produtor recebe um selo que ajuda na identificação do alimento no momento da compra ou consumo.

Agricultura orgânica e pecuária orgânica

A produção de alimentos orgânicos se dá através da agricultura orgânica. Nesse sistema sustentável de agricultura não há o uso de produtos químicos sintéticos, que podem ser prejudiciais para a saúde humana e o meio ambiente.

Os objetivos da agricultura orgânica estão dispostos na Lei Nº 10.831 de 23 de dezembro de 2003, que regulamenta esse modelo de produção:

§ 1º A finalidade de um sistema de produção orgânico é:

I – a oferta de produtos saudáveis isentos de contaminantes intencionais;

II – a preservação da diversidade biológica dos ecossistemas naturais e a recomposição ou incremento da diversidade biológica dos ecossistemas modificados em que se insere o sistema de produção;

III – incrementar a atividade biológica do solo;

IV – promover um uso saudável do solo, da água e do ar, e reduzir ao mínimo todas as formas de contaminação desses elementos que possam resultar das práticas agrícolas;

V – manter ou incrementar a fertilidade do solo a longo prazo;

VI – a reciclagem de resíduos de origem orgânica, reduzindo ao mínimo o emprego de recursos não-renováveis;

VII – basear-se em recursos renováveis e em sistemas agrícolas organizados localmente;

VIII – incentivar a integração entre os diferentes segmentos da cadeia produtiva e de consumo de produtos orgânicos e a regionalização da produção e comércio desses produtos;

IX – manipular os produtos agrícolas com base no uso de métodos de elaboração cuidadosos, com o propósito de manter a integridade orgânica e as qualidades vitais do produto em todas as etapas.

O conceito de alimentos orgânicos também estende-se à pecuária. Nesse modelo sustentável, o gado é criado em espaços abertos e sem o uso de remédios alopáticos ou hormônios, o que garante uma melhor qualidade de vida do animal.

A pecuária orgânica baseia-se em três elos: o meio ambiente, o econômico e o social. Tal sistema busca uma produção mais natural possível, sendo economicamente viável e exercendo uma participação socialmente ativa na região que se encontra.

Alimentos orgânicos

O conceito mais amplo de alimentos orgânicos (origem animal e vegetal) inclui os vegetais, os sucos, os óleos, as carnes, as frutas, os lácteos, os vinhos, os cereais, entre outros produtos que adotam técnicas sustentáveis.

Entre as técnicas de produção vegetal destacam-se:

  • Rotação de culturas
  • Plantas companheiras
  • Consórcio
  • Inoculação

 Já entre as técnicas de fertilização do solo e nutrição das plantas destacam-se:

  • Adubação verde
  • Biofertilizantes
  • Compostos orgânicos
  • Minhocário

Diferenças entre alimentos orgânicos e convencionais

 Estudos comprovam que o veneno (agrotóxicos) pulverizado nas plantas e os hormônios consumidos pelos animais permanecem retidos nos alimentos que serão processados pelo corpo humano.

Essas pesquisas também mostram que, de modo geral, há uma grande diferença nutricional entre os alimentos de origem orgânica e os alimentos produzidos de forma convencional. Veja na tabela comparativa abaixo:

Nutrientes Diferenças
Proteínas Acréscimo de 25-30% de lisina em grão de trigo orgânico.
Lipídios Menos gordura saturada e mais ácidos graxos poliinsaturados no gado bovino.
Maior nível de ômega-3 em frangos.
Minerais  Maiores níveis de ferro e magnésio em legumes.
Acréscimo de 21% de ferro e 29% de magnésio em cultivos vegetais.
Vitaminas e derivados Maiores níveis de vitamina C em batatas, tomates, aipo e couve.
Maiores níveis de vitamina E em vegetais e maiores níveis de b-caroteno em tomates.
Fitoquímicos Maiores níveis de polifenóis em maçãs, pêssegos, peras,cebolas, pimentas, laranjas e azeites de oliva.
Aumento de resveratrol em vinhos orgânicos.

Vantagens e desvantagens

Nas últimas décadas, o consumo de alimentos orgânicos cresceu. Isso porque a sociedade tem buscado uma  alimentação saudável, mais ricas em nutrientes, a fim de alcançar  melhor qualidade de vida e bem-estar.

Entre as vantagens do consumo de alimentos orgânicos, podemos mencionar:

  • Ausência de agrotóxicos, uma vez que nenhum pesticida sintético é colocado na produção dos orgânicos;
  • Melhoria da vida no campo, pois a agricultura orgânica contribui socioeconomicamente nas comunidades rurais;
  • Conservação do solo, pois a produção orgânica visa esse feito;
  • Redução de poluição ambiental a partir da extinção de agrotóxicos e outros aditivos químicos tóxicos; 
  • Manutenção do bem-estar animal, uma vez que o gado é alimentado com produtos orgânicos e mantidos em locais mais espaçosos;

Por outro lado, a maior desvantagem dos alimentos orgânicos é o preço alto. Como são produzidos em menor escala e os custos são mais elevados, o valor é repassado para o consumidor final.  

Voltar

Questões