Resumo de Geografia - Agronegócio

Agronegócio significa toda produção e venda de produtos gerados pela agricultura e pecuária.

Roupas sapatos, carne, leite, queijo, uva, cenoura e por aí vai. Tudo que pode ser gerado em grandes terras de fazenda.

A logística do trabalho agropecuário não é vista nas grandes cidades, muitas vezes quando o produto chega à cidade, mas se ele parar o país entra em colapso por falta de alimentos e produtos gerais de uso diário.

Entenda um pouco mais sobre o assunto no vídeo:

O ciclo do agronegócio

Você já deve ter visto na TV falando sobre “agro é tudo”. O agronegócio é o responsável por produzir e entregar roupas, comidas, e até materiais do dia a dia como uma cadeira.

Para entender esse ciclo é importante conhecer conceitos como insumos, produção, distribuição e consumo.

E de fato a ordem do sistema desse negócio é essa: insumos estabelecidos – colheita e processamentos para a produção – produtos prontos são levados aos seus compradores – consumidores consomem e começa tudo novamente, com o dinheiro de quem comprou/consumiu.

Conceitos básicos

Os insumos são os agentes facilitadores do trabalho. Adubos, mão de obra, maquinário, transportes e etc. Eles ajudam que a produção comece, evolua e termine.

A produção é o processo de colheita ou fabricação dos produtos.Quando se trata do negócio de frutas e verduras, por exemplo, elas são apenas colhidas e selecionadas. Quando é um suco ou farinha eles são processados.

Quando os produtos estão prontos, selecionados e /ou processados, já estão disponíveis para distribuição.  Feiras, mercados, restaurantes etc., eles que receberão. 

E o consumo é feito pelas pessoas em geral, ou de forma comercial, quem tem pequenos mercados ou vende marmita, por exemplo, ou pelos consumidores individualmente, que compram para suas casas e famílias.

Produtos gerados com o agronegócio

O agronegócio gera alimentos em geral, madeiras, produtos têxtis e biocombustíveis.

Existem muitas maneiras de se consumir um coco, por exemplo. Como fruto in natura, o seu leite, o óleo que dá para extrair e até açúcar.

A produção alimentícia pode ser passada por vários processos e o agronegócio gerencia isso.

Um exemplo: o coco produzido no litoral da Bahia tem uma parte destinada ao consumo natural, e outra para serem retiradas seus subprodutos.

Os móveis, materiais de construção também são passados pelo modo de trabalho do agronegócio.

Tecidos podem ser produzidos a partir do algodão, por exemplo. O algodão é plantado, colhido, processado até virar determinado tecido. Dali é mandado para uma loja de tecidos, ou para uma confecção que vai produzir novas roupas.

A indústria têxtil produz roupas, sapatos, toalhas de banho, toalhas de mesa etc.

E os biocombustíveis são os combustíveis conhecidos como energia verde. Não são retirados de fósseis como a gasolina, mas de grãos como soja.

Combustíveis verdes são mais baratos, totalmente renováveis e não agridem o ar como gasolina e óleo diesel.

Minifundiários e latifundiários

Pequenas terras são chamadas de minifúndios e grandes terras de latifúndios.

Pequenas terras são equivalentes aos sítios e chácaras, e fazendas menores. Nelas são feitas agricultura familiar, apenas.

Nos minifúndios, no Brasil, não existe a cultura do cultivo diversificado de produtos para o comércio.

O agronegócio retira a matéria-prima dos latifúndios, que fazem monocultura. Grandes terras, para cultivar apenas soja, ou algodão e etc.

Impactos do agronegócio (além do capital)

A produção agropecuária é importante para a movimentação do país, tem muitos pontos favoráveis.

O consumidor hoje recebe os produtos prontos, mesmo as frutas e verduras, os produtos naturais, ele não precisa plantar e esperar a colheita. Basta ir ao mercado e na feira e pronto.

Mas, existem pontos negativos também. O agronegócio exige rapidez para tudo. Não existe um ciclo de espera para colher feijão.

Existem questões sociais também, que implicam no dia a dia no campo e na cidade. 

Meio Ambiente

Algumas ações do agronegócio podem, e vem, causando desequilíbrio ecológico. A necessidade de ter todos os produtos todo dia, leva os produtores a não respeitarem o percurso natural da agricultura.

Preparar terra, fortificar o solo, após a colheita dar o descanso ao solo, são práticas importantes que levam muito tempo, comercialmente falando. Por isso existe o uso, por vezes abusivo, de adubagem química: agrotóxicos.

Outras tantas ações industriais para a produção leva a queimadas, contaminação de lençóis freáticos e proliferação de pragas.

Social

O êxodo rural é um fenômeno conhecido, aconteceu na Europa durante a Revolução Industrial.

No Brasil pode-se notar uma grande mudança do campo para a cidade quando os minifúndios não davam mais conta sustentar uma família. A densidade demográfica do Brasil mudou. Essa saída da zona rural para a zona urbana levou as cidades incharem.

As pessoas não podem mais viver de sua pequena agricultura. A chamada agricultura de subsistência, no Brasil, não participa do agronegócio. Com as cidades cheias, os problemas de falta de emprego e falta de moradia aumentam.

O agronegócio conta com insumos de grande valor. A agronomia de subsistência não tem maquinário para produção, é apenas o dono da terra demandando sua própria mão de obra.

Voltar

Questões