Questão 4 do Concurso Tribunal de Justiça do Estado do Mato Grosso do Sul (TJ-MS) - Jornalismo (2017)

Leia o texto a seguir.

O terrorismo sempre fascinou Albert Camus, que, além de uma obra de teatro sobre o tema, dedicou bom número de páginas de seu ensaio sobre o absurdo, O Mito de Sísifo, a refletir sobre esse insensato costume dos seres humanos de achar que assassinando os adversários políticos ou religiosos se resolvem os problemas. A verdade é que salvo casos excepcionais, em que o extermínio de um sátrapa atenuou ou pôs fim a um regime despótico – os dedos de uma das mãos dão e sobram para contá-los – esses crimes costumam piorar as coisas que querem melhorar, multiplicando as repressões, perseguições e abusos. Mas é verdade que, em alguns raríssimos casos, como o dos narodniki russos citados por Camus, que pagavam com sua vida a morte dos que eles matavam pela “causa”, havia, em alguns dos terroristas que se sacrificavam atentando contra um verdugo ou um explorador, certa grandeza moral.

Disponível em: <https://brasil.elpais.com/brasil/2017/08/19/opinion/1503153835_678637.html>. Acesso em: 19/08/17. (Excerto)


O vocábulo que pode assumir diferentes funções, de acordo com o contexto de ocorrência. Assinale a alternativa que apresenta a análise adequada da ocorrência destacada do texto.

  • A Em “dos que eles matavam pela ‘causa’”, o vocábulo assume a função de um pronome relativo.
  • B No excerto “em alguns dos terroristas que se sacrificavam”, trata-se de uma partícula expletiva.
  • C Em “piorar as coisas que querem melhorar”, o vocábulo antecipa “repressões, perseguições e abusos”.
  • D No trecho “A verdade é que salvo casos excepcionais”, trata-se de pronome relativo reiterando “verdade”.
  • E A ocorrência “que pagavam com sua vida” revela-se como conjunção integrante retomando “casos”.