Questões de Provas da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) Página 1

Com relação ao fragmento do conto de Machado de Assis, é correto afirmar que:

  • A o conto trata da dualidade da alma, da alma externa e da alma interna, do homem como um ser controvertido.
  • B no início do texto, revela-se um tom de incerteza e volubilidade das coisas e, no desenvolvimento, percebe-se segurança sobre a crítica feita à sociedade cristã e capitalista da época.
  • C na caracterização do ambiente, assim como da progressão, cria-se uma atmosfera clara na descrição da casa do morro de Santa Tereza e no temperamento casmurro do protagonista.
  • D para esclarecer sobre a alma exterior das pessoas, o autor utiliza expressões cotidianas típicas do texto argumentativo, a fim de atribuir validade a seus argumentos.
  • E Jacobina estabelece o tipo de diálogo que irá usar para discursar sobre a imutável e metafísica alma exterior.
Os heróis são “predestinados" a cumprir uma determinada missão. O trecho em que o herói explicita sua missão individual está localizado no parágrafo:
  • A 6.
  • B 3.
  • C 2.
  • D 4.
  • E 5.

O subtítulo, “esboço de uma nova teoria da alma humana”, a afirmação do narrador no primeiro parágrafo de que os personagens “debatiam questões de alta transcendência” e eram “investigadores de coisas metafísicas [...] resolvendo amigavelmente os mais árduos problemas do universo” colocam diante do leitora:

  • A verdadeira universalidade que se fortalece em uma perspectiva teológica, subjetiva e prática do homem.
  • B astúcia dos ouvintes, reafirmada toda uma visão de homem arraigada na cultura ocidental no microcosmo da sociedade humana.
  • C universalidade da temática do conto: não abordará as mazelas de uma cidade ou classe social, mas sim a questão posta pela seguinte pergunta: o que é o homem?
  • D interioridade que confere à figura humana um  papel na estruturação das particularidades deflagradas de cada indivíduo.
  • E individualidade do assunto tão intricado como o da natureza da alma humana que aponta a importância de se dar menos atenção às exigências do mundo social.
O fato de Dantès desistir de cometer suicídio revela sua dimensão tanto heroica quanto humana. Sobre isso leia as afirmativas.

I. A desistência delineia que ao herói só cabe uma atitude: recusar a tal saída e enfrentar as adversidades, superando todos os obstáculos que se apresentarem no seu caminho.
II. A decisão apenas mostra um ser fraco que se distancia de sua dimensão heroica, que deveria ser protagonista de cenas espetaculares em defesa da honra e da justiça.
III. A decisão simboliza, no contexto da história, que o maior desafio enfrentado pelo herói não estava nos obstáculos a serem enfrentados, mas na luta que travaria consigo mesmo.
IV. Na narrativa em análise, o que qualifica o protagonista como herói é a força de seu caráter, elemento que determina sua nobreza interior.

Está correto apenas o que se afirma em:
  • A I e II.
  • B II, III e IV.
  • C I, II e III.
  • D I, II e IV.
  • E I, III e IV.

O desenvolvimento do tema do conto pode ser atravessado pela experiência particular do protagonista, em que o eu-narrado passa a ser o eu-narrante. Essa característica, no texto em análise, é inquestionável em:

  • A "Esse homem tinha a mesma idade dos companheiros, entre quarenta e cinquenta anos, era provinciano, capitalista, inteligente, não sem instrução, e, ao que parece, astuto e cáustico.”
  • B "Mas, se querem ouvir-me calados, posso contar-lhes um caso de minha vida, em que ressalta a mais clara demonstração acerca da matéria de que se trata.”
  • C "A conversa, em seus meandros, veio a cair na natureza da alma, ponto que dividiu radicalmente os quatro amigos.”
  • D "Quatro ou cinco cavalheiros debatiam, uma noite, várias questões de alta transcendência.”
  • E "Não discutia nunca; e defendia-se da abstenção com um paradoxo."