Questões de Jornalismo

Limpar Busca

Leia o trecho a seguir:
O jornal não serve só para relatar de forma isenta factos e acontecimentos, pode e deve pronunciar-se sobre esses factos, tentando extrair deles o seu real significado, as relações que estabelecem com outros acontecimentos, e as consequências que poderão vir a ter na vida das pessoas — e isto é atribuir-lhes uma dimensão radicalmente nova em relação ao tratamento noticioso: a dimensão de profundidade. (GRADIM, A. Manual de Jornalismo. Covilhã: Universidade da Beira Interior, 2000. Adaptado.)
Considerando a diversidade de gêneros jornalísticos, aquele por meio do qual o veículo expressa sua posição a respeito dos fatos do dia é:

  • A Coluna.
  • B Artigo de opinião.
  • C Editorial.
  • D Nota.

Surgido nos Estados Unidos em meados do século XX, o movimento do New Journalism apostou em novas formas de reportar a realidade, investindo em um estilo de escrita que mantinha ligação com o realismo literário. Gay Talese, um dos ícones do movimento, ganhou fama global com trabalhos de reportagem que

  • A desconsideravam a factualidade do relato jornalístico em nome de uma abordagem romantizada e menos comprometida com a verdade.
  • B investiam na revelação de tipos anônimos, retratados em textos longos, com espaço para grandes digressões, reprodução de diálogos e exploração do detalhe.
  • C davam prioridade ao relato das fontes oficiais de forma a conferir maior credibilidade ao texto jornalístico e diminuir as chances de crítica.
  • D levavam ao limite a noção de objetividade jornalística, priorizando relatos noticiosos com forte influência das correntes positivistas de pensamento.

Entre as teorias do jornalismo, o Newsmaking estuda os processos de produção da notícia. Para essa perspectiva teórica, o relato noticioso deve ser entendido como

  • A espelho dos acontecimentos retratados, puramente objetivo, dado que a função social do jornalismo é dizer a verdade com vistas ao atendimento do interesse púbico.
  • B forma de construção da realidade, submetido a uma série de constrangimentos organizacionais próprios das rotinas produtivas de uma organização jornalística.
  • C mecanismo de construção da realidade, haja vista que cabe ao jornalista agir para acomodar os acontecimentos aos interesses das fontes jornalísticas.
  • D fonte de propagação da visão de mundo de certos grupos sociais, que agem de forma a constranger o livre exercício da imprensa.

Leia o trecho a seguir:


A convergência não ocorre por meio de aparelhos, por mais sofisticados que venham a ser. A convergência ocorre dentro dos cérebros de consumidores individuais e em suas interações sociais com outros. Cada um de nós constrói a própria mitologia pessoal, a partir de pedaços de fragmentos de informações extraídos do fluxo midiático e transformados em recursos através dos quais compreendemos nossa vida cotidiana.

(JENKINS, H. Cultura da Convergência. São Paulo: Aleph, 2009.)


O trecho apresentado alude a características da cultura da convergência, processo sociocultural muito presente na vida contemporânea. Sobre o assunto, marque V para as afirmativas verdadeiras e F para as falsas.


( ) A convergência é um processo integralmente tecnológico, já que afeta apenas os indivíduos que interagem com as tecnologias móveis.

( ) No ambiente da convergência, os usuários podem atuar como coprodutores dos conteúdos em circulação, impactando a reconfiguração e redistribuição das mensagens.

( ) Própria da convergência, transmídia é um tipo de narrativa que se desdobra em diversas plataformas, reproduzindo o mesmo conteúdo em diferentes linguagens.

( ) No processo de convergência, diferentes formatos de mídia interagem entre si, reconfigurando os processos de produção, distribuição e consumo dos conteúdos.

( ) Cultura participativa, inteligência coletiva e anulação das mídias eletrônicas são três pilares fundamentais da convergência midiática apresentada por Henry Jenkins.


Assinale a sequência correta.

  • A F, V, F, V, F
  • B V, F, V, V, F
  • C V, F, F, F, V
  • D F, V, V, V, V

A ideia básica da hipótese do agendamento, formulada pelos teóricos da comunicação Maxwell McCombs e Donald Shaw, pode ser resumida como a influência

  • A das assessorias de imprensa na construção da imagem dos assessorados.
  • B da mídia na determinação da agenda dos ministros de Estado.
  • C dos veículos de comunicação na definição da pauta de veículos concorrentes.
  • D da mídia na definição dos assuntos que compõem a agenda pública.