Questões de Jornalismo

Limpar Busca
O Manual de Redação da Folha de São Paulo, atualizado em 2021, reforça algumas orientações clássicas e para a redação dos títulos noticiosos, que devem
  • A usar estratégias de caça-cliques, tais como omissões que possam iludir o leitor desavisado.
  • B dar preferência a construções frasais em voz passiva e usar pontos de exclamação para impactar o leitor;
  • C começar com artigos definidos e inseri-los sempre que possível ao longo da frase.
  • D redigir a frase em ordem indireta e usar tempos verbais no pretérito perfeito.
  • E evitar o uso de siglas pouco conhecidas e/ou mais de uma sigla no mesmo título.

Na história do Jornalismo, houve uma época em que os magazines não especializados por tema ou público utilizavam a ilustração fotográfica como elemento motivador de leitura, o que era decisivo na orientação e linha editorial das matérias. Bons exemplos desse tipo de publicação internacionalmente foram as revistas Life, Look e Paris Match.

Já no Brasil, destacam-se

  • A Veja e Senhor.
  • B Isto É e Visão.
  • C Caras e Carta Capital.
  • D Manchete e O Cruzeiro.
  • E Época e Piauí.

O professor Nilson Lage afirma que as diferenças entre a notícia e a reportagem começam na pauta de cada uma delas, pois

  • A as reportagens publicadas podem servir de gancho para as pautas de notícias.
  • B como a profundidade e autonomia do jornalista no processo de construção da notícia é maior do que na reportagem, a primeira é menos pressionada pelo imediatismo.
  • C pautas de reportagens são mais completas dos que as de notícias, pois tendem a trazer sugestões de tratamento editorial e prever custos e prazo de produção.
  • D as pautas de notícias destinam-se aos veículos eletrônicos e digitais e as de reportagem aos impressos.
  • E as pautas de notícias trazem obrigatoriamente sugestões de fotografias, imagens em vídeo e infográficos e as de reportagens não contemplam apoios visuais.

Leia o texto sobre os primeiros anos da televisão no Brasil.


Tudo ia ao vivo – da novela Sua vida me pertence, transmitida duas vezes por semana pela _____, em 1951, ao primeiro telejornal, _____, na Tupi Paulista, ainda em 1950. Externas poucas, colhidas em câmaras que rodavam a corda, sem som, e passavam em negativo; a conversão para positivo fazia-se no equipamento eletrônico quando o programa ia ao ar, cabendo ao locutor narrar os fatos. Em suma, rádio ilustrado. Assim foi com o _____, que migrou para a TV em 1953. A mobilização no estúdio lembrava operações militares de infiltração, silenciosamente processadas diante do praticável onde ficava o locutor ou _____ que comandava o espetáculo, trocando imagens conforme as deixas calculadas pelo número de linhas. Troca complicada porque, nos primeiros anos, não havia _____ para aproximação da imagem ou o deslocamento lento (que dá a ilusão de movimento de câmara).
(LAGE, Nilson, 2009.p.226 – versão digital)



Assinale a opção que completa corretamente as lacunas do texto acima.

  • A TV Tupi – Imagens do Dia – Repórter Esso – na switch – o zoom.
  • B TV Globo – Jornal da Globo – Jornal Nacional – no estúdio – a grua.
  • C TV Record – Telenotícias da Panair – Repórter Esso – na ilha de edição – o dolly.
  • D TV Tupi – Jornal de Vanguarda – Jornal Nacional – na unidade móvel – o tripé.
  • E TV Record – Reportagem Ducal – Jornal de Vanguarda – na pós-produção – o carrinho.

Em 5 de novembro de 2021, o avião no qual estava a cantora Marília Mendonça e mais quatro pessoas sofreu um acidente. Sua assessoria de imprensa chegou a informar que a cantora estava bem, mas logo depois os bombeiros comunicaram a morte de todos que estavam a bordo. A Globonews fez uma cobertura ao vivo do caso, pela qual foi muito criticada, pois mostrou nitidamente o momento em que Marília foi retirada sem vida do avião. Logo depois, os jornalistas entraram no avião para mostrar os pertences da cantora que lá permaneceram.

Entre os preceitos do Código de Ética do Jornalista Brasileiro que podem embasar essas críticas está o fato de que o jornalista

  • A está autorizado a invadir a intimidade e a privacidade do cidadão desde que ele seja uma figura pública.
  • B não deve divulgar imagens de caráter mórbido ou sensacionalista em cobertura de crimes e acidentes.
  • C deve respeitar o sigilo da fonte e não expor pessoas ameaçadas de morte.
  • D não pode divulgar imagens obtidas com o uso de identidades falsas, câmeras escondidas ou microfones ocultos.
  • E deve informar claramente quando suas matérias tiverem caráter publicitário, pois a artista era da Som Livre.