Questões da Prova do Tribunal Regional do Trabalho - Técnico - Área Administrativa (2015)

Limpar Busca
Entre as causas que concorrem para o surgimento do tédio, considerado o contexto, está:
  • A a velocidade incessante da vida moderna, que faz com que tentemos alcançar nossos objetivos com exagerada obstinação.
  • B a falta de competência para nos mantermos continuamente ocupados, em especial quando nos encontramos em período de férias.
  • C a dificuldade em lidar com o ócio, muito embora este tenha sido considerado elemento importante para o surgimento da criatividade.
  • D o fato de, em determinados momentos, criarmos expectativas pouco condizentes com a possibilidade de realizarmos nossos projetos.
  • E a falta de uma necessária e considerável maturidade emocional, sem a qual tendemos a nos comparar com os outros.

Ao afirmar que a virtude está naquilo que Aristóteles chamava de temperança, o autor:

  • A considera que, embora incentivado nos dias atuais, o ritmo acelerado do empreendedor moderno o afasta dos pequenos prazeres da vida.
  • B incentiva a busca do aprendizado moral, sem o qual nossos projetos de vida ficam destituídos de significado.
  • C delega aos detentores da sabedoria encerrada na sobriedade a tarefa de ensinar aos demais o ritmo certo de agir.
  • D sugere que é essencial encontrar a velocidade perfeita em que cada um deve se manter para não se deprimir ou se tornar ansioso.
  • E aponta para a falta de comedimento no modo como desfrutamos de determinados prazeres, o que ocasiona uma prejudicial perda de limites em relação aos nossos desejos.
Infere-se do texto que perdemos a serenidade quando:
  • A estamos propensos a enfrentar com resignação as situações mais adversas.
  • B rejeitamos o fato de estarmos limitados por nossa condição de humanos falíveis e mortais.
  • C perdemos de vista o fato de que o momento presente é sempre uma ficção.
  • D deixamos de nos comparar com os outros, por estarmos deprimidos e incapazes de usufruir das potencialidades que temos.
  • E buscamos incessantemente o reconhecimento das nossas virtudes morais, tornando-nos, assim, angustiados pela pressa.

O verbo que pode ser flexionado em uma forma do plural, sem prejuízo da correção e sem que nenhuma outra modificação seja feita no segmento, encontra-se sublinhado em:

  • A É claro que isso depende de termos atingido...
  • B ... cada um de nós parece ter uma velocidade ideal...
  • C A serenidade corresponde a um estado de espírito no qual...
  • D O termo serenidade costuma estar associado a mais de um significado...
  • E A maior parte das pessoas sente-se mal quando..

Considere o trecho:
Assim, perdemos a serenidade quando andamos muito devagar, perto da condição do ócio − que traz o tédio e a depressão −, e também quando nos tornamos angustiados pela pressa de atingirmos nossas metas.
Afirma-se corretamente:

  • A e também quando nos angustiam a pressa é uma redação alternativa para o segmento e também quando nos tornamos angustiados pela pressa.
  • B os verbos “perder" e “andar" possuem o mesmo tipo de complemento.
  • C mantendo-se a correção e o sentido, o segmento perto da condição do ócio pode ser substituído por: apoiado à condição do ócio.
  • D devido à pressa de termos nossas metas atingidas é uma redação alternativa para o segmento pela pressa de atingirmos nossas metas.
  • E os elementos sublinhados em Assim, perdemos a serenidade quando... podem ser corretamente substituídos, na ordem dada, por: "Por conseguinte" e "ainda que".