Questões de Pediatria (Fisioterapia)

Limpar Busca

A avaliação da criança com paralisia cerebral e o estabelecimento do diagnóstico funcional conduzem o processo de tomada de decisão clínica do fisioterapeuta. Com base no modelo de Classificação Internacional de Funcionalidade, analise as afirmativas a seguir:


I. Atividade e participação podem ser avaliadas por meio dos testes GMFM (Gross Motor Function Measure) e PEDI (Pediatric Evaluation of Disability Inventory).

II. Deficiências das estruturas e funções neuromusculoesqueléticas do paciente podem ser avaliadas diretamente por meio da Escala de Ashworth, de goniometria e de testes de função muscular.

III. Utilização de órteses e de dispositivos de marcha podem ser considerados fatores ambientais facilitadores.


É CORRETO o que se afirma em

  • A I e II, apenas.
  • B I e III, apenas.
  • C II, apenas.
  • D II e III, apenas.
  • E I, II e III.

Criança de 10 anos de idade, há 7 semanas caiu numa rampa de skate e sofreu fratura proximal da tíbia Salter-Harris tipo II (fratura fisária que se estende à metáfise). Como não havia desvio significativo, o tratamento médico foi feito com imobilização gessada cruropodálica por 6 semanas. Após esse período, a imobilização foi convertida para bota suropodálica, permitiu-se marcha com muletas e descarga de peso parcial, e a criança foi encaminhada para a Fisioterapia. Hoje, a criança relata dor na região anterior do joelho quando descarrega peso, mas não há sinais flogísticos no local, apenas edema residual no tornozelo e no pé. A criança está frequentando a escola e quer voltar a brincar na praça com os amigos. A mãe relata que a criança tem andado sem as muletas em casa, a despeito da recomendação médica e apesar do desconforto. Em relação às condutas fisioterapêuticas aplicáveis a esse caso, é CORRETO afirmar:

  • A O fisioterapeuta pode orientar a retirada das muletas, já que a marcha sem muletas está sendo bem tolerada pela criança, para que a marcha livre interrompa a progressão da fraqueza muscular, da perda proprioceptiva, da perda de equilíbrio e do descondicionamento físico causados pelo excesso de imobilização.
  • B Durante as sessões, o fisioterapeuta pode retirar a bota suropodálica e fazer o fortalecimento excêntrico do tríceps sural, com faixa elástica, para promover a produção de sarcômeros em série e o consequente alongamento muscular.
  • C Devido aos seus efeitos osteogênicos, o laser terapêutico de baixa potência e o ultrassom de baixa intensidade podem ser usados para acelerar a consolidação óssea da tíbia.
  • D Os treinos proprioceptivo e de equilíbrio devem ser iniciados o quanto antes e, preferencialmente, de forma lúdica e atrativa para a criança, como andar de skate, por exemplo.
  • E A hidroterapia em piscina aquecida não é indicada neste momento, uma vez que o paciente apresenta edema residual.

Criança com 24 meses de idade, diagnóstico de fibrose cística, colonização crônica por Staphylococcus aureus, história de rinossinusite de repetição e duas internações nos últimos doze meses por infecção respiratória, sendo a última internação há dois meses, foi avaliada pelo fisioterapeuta para atendimento ambulatorial apresentando-se afebril, eupneica, com saturação de O2 igual a 96% em ar ambiente, tosse produtiva eficaz, roncos esparsos à ausculta pulmonar e presença de rinorreia. Considerando esse caso clínico, analise as afirmativas a seguir:


I. A desobstrução rinofaríngea retrógrada (DRR) pode ser empregada no tratamento desse paciente, desde que esse não apresente contraindicações para a aplicação dessa técnica.

II. A expiração lenta prolongada (ELPr) e a expiração lenta total com a glote aberta em infralateral (ELTGOL) são técnicas expiratórias lentas que podem ser utilizadas pelo fisioterapeuta nesse paciente com o objetivo de melhorar a depuração mucociliar e contribuir para a expectoração das secreções.

III. Ainda que essa criança fosse assintomática, a fisioterapia deveria ser instaurada de forma preventiva, a partir do momento em que o diagnóstico fosse estabelecido.


É CORRETO o que se afirma em

  • A I e II, apenas.
  • B II e III, apenas.
  • C I e III, apenas.
  • D I, II e III.
  • E I, apenas.

Sobre educação postural em crianças, é correto afirmar:

  • A Preconiza-se a utilização de estratégias que promovem experiências práticas em programas de educação postural, uma vez que estes facilitam o aprendizado e memorização dos hábitos posturais corretos, quando comparados a outras estratégias de ensino.
  • B A utilização de estratégias que aplicam histórias em quadrinhos em programas de educação postural facilitam o aprendizado e memorização dos hábitos posturais corretos, quando comparados a outras estratégias de ensino.
  • C A estratégia de experiências práticas e histórias em quadrinhos mostram-se ineficientes para o aprendizado e memorização dos hábitos posturais corretos.
  • D A estratégia de experiências práticas e histórias em quadrinhos mostram-se eficientes para o aprendizado e memorização dos hábitos posturais corretos.
  • E Programas de back school mostram-se mais eficientes que experiências práticas e histórias em quadrinhos para o aprendizado e memorização dos hábitos posturais corretos.

A cronologia exata entre os movimentos da mão (preensão) e o objeto é essencial para o manuseio eficiente, e isso depende do controle visual. A faixa etária em que os componentes não visuais, ou seja, cinestésicos do controle do manuseio de objetos estão amplamente desenvolvidos, é

  • A 5 a 6 anos.
  • B 2 a 3 anos.
  • C 3 a 4 anos.
  • D 4 a 5 anos.
  • E 1 a 2 anos.