Questões de Novas Abordagens da Administração (Administração Geral)

Limpar Busca

Acerca de organização, julgue o item.


Organizações horizontalizadas tendem a desencorajar as pessoas a desenvolver mais habilidades e maior iniciativa.
  • Certo
  • Errado

A evolução do pensamento administrativo, normalmente apresentado ou reunido em escolas ou abordagens da Administração surgidas no decorrer do tempo, apresentou diferentes concepções acerca do trabalho, do Homem, das organizações. Acerca desse tema, analise as afirmações abaixo.
1) A abordagem sistêmica trouxe importantes avanços à concepção da relação da organização com o ambiente, ratificando a importância do “one best way” na gestão. 2) Na Escola de Relações Humanas, o Homem é um ser passivo. Mudaram os tipos de estímulo, mas há pouca mudança quanto à estrutura organizacional e do trabalho. 3) Segundo McGregor, as causas das disfunções organizacionais não deveriam ser buscadas na natureza humana, mas no próprio estilo de gerência autoritário. 4) Estudos de Burns e Stalker, Chandler, Woodward, Lawrence e Lorsch, entre outros, relacionaram a questão ambiental com a estrutura e o funcionamento da organização. 5) Nos EUA dos anos 70/80, o Fordismo implantou a gerência participativa, evitando a divisão entre concepção e execução do trabalho e implantando os programas de qualidade através dos círculos de qualidade.
Está(ão) correta(s), apenas:

  • A 1, 3 e 4
  • B 2 e 3.
  • C 5.
  • D 2, 3 e 4.
  • E 2.

O desenvolvimento e treinamento da inteligência emocional nas organizações têm crescido muito. Um funcionário que tem uma inteligência emocional pouco desenvolvida geralmente:

  • A mantém a calma em situações de estresse.
  • B percebe facilmente o que os colegas estão sentindo.
  • C é capaz de interpretar a reação dos demais.
  • D ignora os próprios gatilhos emocionais.
  • E tem consciência das emoções que sente.

Em Administração, centralização “significa que a autoridade para tomar decisões está concentrada no topo da organização, enfatizando assim a cadeia de comando” (Sobral e Peci, 2013, p.265).

Embora a centralização das decisões possa ser questionada frente à maior complexidade do processo decisório gerada pelo ambiente externo mais turbulento e incerto que as organizações contemporâneas enfrentam, a centralização apresenta vantagens em relação à descentralização, tais como:

  • A eliminar esforços duplicados de vários tomadores de decisão;
  • B decisões mais próximas dos fatos e das circunstâncias locais;
  • C favorecer a formação de gerentes mais motivados e autônomos;
  • D maior rapidez e flexibilidade na tomada de decisões;
  • E maior interesse e motivação por parte dos subordinados.

Um importante marco na evolução do pensamento administrativo deu-se com o enfoque contingencial, cuja perspectiva pode ser resumida na frase “não existe uma única maneira indicada de administrar e organizar” (Sobral e Peci, 2013, p. 81). Fortemente baseados em pesquisas empíricas, autores desse enfoque - como Woodward, Lawrence e Lorsch, Burns e Stalker e outros - identificaram fatores de contingência que influenciam a estrutura organizacional e que devem ser considerados pelos administradores, na busca por eficácia organizacional.
São fatores de contingência que influenciam a estrutura:

  • A grau de centralização e tipo de processo produtivo;
  • B ambiente e fatia do mercado (market share);
  • C concentração do mercado e cultura organizacional;
  • D composição da mão de obra e estratégia;
  • E tecnologia e tamanho da organização.