Questões de História Econômica e Economia Contemporânea (Economia)

Limpar Busca

Na obra O neoliberalismo: história e implicações (2014), o geógrafo David Harvey analisa as diversas características desse “paradigma” econômico e como o Estado deve se comportar para a implantação desse paradigma.


Segundo esse autor, não é característica do neoliberalismo:

  • A Favorecimento de fortes direitos individuais à propriedade privada.
  • B Ampliação da intervenção do Estado na economia de forma direta e indireta.
  • C Diminuição da cobrança de impostos sobre as rendas mais elevadas.
  • D Apoio à participação de instituições financeiras internacionais no mercado interno.

Em sua obra intitulada A formação espacial brasileira (2014), o geógrafo Ruy Moreira faz uma análise sobre as quatro fases do que ele chama de industrialização de substituição, que ocorreram no Brasil durante o século XX.


Sobre essas fases, é incorreto afirmar:

  • A Entre os anos 1910 e 1930, ocorreu a industrialização substitutiva de bens não duráveis, derivada da dificuldade de exportação e importação, com a ocorrência da Primeira Guerra Mundial.
  • B Entre os anos 1940 e 1950, houve a industrialização para a substituição de importação de bens intermediários, derivada da demanda de infraestrutura, que resultou no implemento de ramos de produção como o aço, o cimento e a energia.
  • C Entre os anos 1960 e 1970, consolidou-se a industrialização para a substituição de importações de bens duráveis. Tal produção foi baseada em pressupostos da acumulação flexível e intenso incremento da robotização.
  • D A partir dos anos 1980, o país passou a conviver com a industrialização substitutiva de insumos industriais agrícolas, devido à rápida modernização do campo, que se integra à indústria e a outros setores econômicos.
A respeito do atual perfil demográfico brasileiro, assinale a alternativa correta.
  • A O efeito do aumento das taxas de natalidade é o envelhecimento da população, causando mudanças no ritmo de crescimento da população
  • B Estima-se que o número de brasileiros acima de 65 anos deve quadruplicar em 2060, segundo IBGE
  • C Conforme Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílios, em 1992 o número de pessoas com idade superior a 80 anos, passou de 1% para 2,4%, ou seja, 1,6 milhões de brasileiros acima de 80 anos
  • D A taxa de fecundidade está aumentando, por conta, principalmente, da urbanização
  • E O Brasil teve seu perfil demográfico completamente modificado com o decorrer dos anos, isto é, de uma sociedade majoritariamente urbana tradicional, para o aumento de uma sociedade mais rural

A partir da estabilização da economia brasileira, em julho de 1994, houve no Brasil melhorias expressivas em diversos indicadores sociais e de equidade, avanços que se intensificaram ao longo da década de 2000. Nesse processo,

  • A o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) evoluiu positivamente de 0,65 a 0,69, entre 2000 e 2010, indicando a quase eliminação da desigualdade regional, do déficit no acesso ao saneamento básico nas regiões mais pobres do país e da melhora decisiva da qualidade do ensino.
  • B a distância entre os mais ricos e os mais pobres aumentou expressivamente ao longo da década. Entre 2001 e 2009, a renda per capita dos 10% mais ricos da população brasileira aumentou 7% ao ano, enquanto a renda dos mais pobres cresceu à taxa de 2%.
  • C o Programa Bolsa Família (PBF), criado em 2004 e focado nas famílias de menor renda, foi uma inovação do Governo Lula que teve expressivo impacto na redução das desigualdades regionais do país. Um dos grandes problemas enfrentados em sua implementação foi o custo orçamentário relativamente alto, atingindo, em 2010, 5% do PIB.
  • D observou-se, entre 2001 e 2009, a ascensão da Nova Classe Média (Classe C), a qual chegou a representar mais de 50% da população total. Este fenômeno decorreu do aumento da massa salarial e do maior acesso aos instrumentos de crédito, facilitado pelo Crédito Consignado e pela aprovação do Cadastro Positivo. A ampliação do crédito popularizou o acesso aos bens duráveis, uma das formas de aferição da redução da desigualdade.
  • E a queda de 0,57 para 0,52 observada no Índice de Gini das pessoas ocupadas entre 2001 e 2009 se deveu mormente à política de valorização real do salário mínimo, ao aumento do emprego formal com carteira assinada, ao incremento da taxa de escolaridade e, por fim, à queda do trabalho infantil.
O Coeficiente de Gini mede a desigualdade de distribuição de renda, mas também pode ser utilizado para qualquer distribuição, como concentração de terra, riqueza entre outras.
Sobre isso, assinale a alternativa correta.
  • A O coeficiente de Gini consiste em um número entre 0 e 1, onde 0 corresponde à completa desigualdade de renda e 1 corresponde à completa igualdade de renda
  • B A construção do coeficiente de Gini é baseada na “Curva de Laffer”
  • C Uma desvantagem do coeficiente de Gini é que a curva de Laffer, utilizada para o cálculo, pode subestimar o valor real da desigualdade de renda
  • D A construção do coeficiente de Gini é baseada na “Curva de Lorenz”
  • E O Brasil apresentou um coeficiente de Gini, no ano de 2018, de 0,609