Questões de Fundamentos da Saúde (Fisioterapia)

Limpar Busca

A ação muscular que desencadeia o ciclo da marcha exige a participação integrada de vários músculos, cada um executando sua ação, ora como agonistas ora como antagonistas dos movimentos necessários para que o aparelho locomotor trabalhe fisiologicamente. Para uma adequada reabilitação da marcha, devemos analisar a função (principal ação) de cada músculo dos membros inferiores. Após analisar as alternativas abaixo e identificar a relação das informações contidas em cada uma delas, marque a que apresenta as informações corretas.

  • A O músculo glúteo máximo aduz e roda medialmente a coxa, mantém o nível da pelve, quando o membro ipsilateral está sustentando o peso, e o lado oposto avança durante a fase de balanço da marcha.
  • B O músculo extensor longo do Hálux trabalha em ação conjunta com o fibular longo na realização da extensão do Hálux, dorsiflexão e fraca eversão do tornozelo, no momento de impulso na marcha.
  • C O músculo gastrocnêmio realiza a flexão plantar do tornozelo independentemente da posição do joelho e estabiliza a perna sobre o pé na fase de apoio.
  • D O músculo tibial posterior flete os quatro dedos laterais, faz a flexão plantar do tornozelo e sustenta os arcos longitudinais do pé.
  • E O músculo bíceps femoral flete a perna e roda-a lateralmente quando o joelho está fletido; estende a coxa ao iniciar a marcha.

Os músculos hioideos são um conjunto de músculos que se fixam no osso hioide, acima ou abaixo dele, denominados músculos supra-hioideos e infrahioideos, respectivamente. Têm a função de estabilizar ou movimentar essa região, principalmente a laringe e o próprio osso hioide. Informe se é verdadeiro (V) ou falso (F) para o que se afirma sobre os músculos supra-hioideos e assinale a alternativa que apresenta a sequência correta.


( ) Os músculos supra-hioideos são compostos pelos músculos milo-hioideo, gênio-hioideo, estilo-hioideo e digástrico. Esses músculos formam também o assoalho da boca, permitindo que a língua tenha uma base de ação no osso hioide, além disso, durante a deglutição e a entonação da voz, os músculos suprahioideos elevam o osso hioide e a laringe.

( ) O músculo digástrico recebe essa nomenclatura por ter dois ventres em série, sendo que entre eles o tendão passa por uma alça fibrosa no corpo do hioide e que permite a livre-movimentação do músculo. Seu ventre anterior tem origem na fossa digástrica da mandíbula é inervado pelo nervo trigêmeo e o ventre posterior com origem na incisura mastoidea do osso temporal é inervado pelo nervo facial, além disso, a inserção de ambos os ventres é considerada no tendão intermédio que passa pela alça fibrosa no corpo e corno maior do osso hioide.

( ) O músculo milo-hioideo divide a cavidade oral do pescoço e além de abaixar o osso hioide, deprime o assoalho da boca e a língua, principalmente, durante a deglutição e a fala. Sua origem é na linha milohioidea da mandíbula e a inserção na rafe milohioidea e corpo do osso hioide, sua inervação é pelo ramo do nervo alveolar inferior (ramo do nervo mandibular do trigêmeo) denominado nervo para o músculo milo-hioideo.

( ) O músculo gênio-hioideo tem origem na espinha geniana da mandíbula e se insere na metade superior do corpo do osso hioide, é inervado pelo nervo hipoglosso e sua contração puxa o osso hioide em sentido anterossuperior, encurta o assoalho da boca e alarga a faringe.

( ) O músculo estilo-hioideo corre paralelo e inferiormente ao ventre posterior do músculo digástrico, sua origem é no processo estiloide do osso parietal e a inserção é no corno menor do osso hioide e é inervado pelo ramo estilo-hioideo do nervo facial.

  • A V – V – F – V – F.
  • B V – F – V – F – V.
  • C F – F – V– F – F.
  • D F – V – F – V – V.

Os músculos dos membros inferiores são maiores e mais potentes quando comparados com os músculos dos membros superiores. O conjunto de músculos do membro inferior pode ser dividido em três grupos: músculos que movimentam a coxa, músculos que movimentam a perna e músculos que movimentam o pé e os dedos. Relacione as colunas dos músculos dos membros inferiores indicados abaixo com suas principais funções e assinale a alternativa que apresenta a sequência correta.


1. Promove a dorsiflexão do tornozelo e a eversão do pé.

2. Promove a flexão plantar do tornozelo.

3. Estende a coxa, auxilia em sua rotação lateral, estabiliza a coxa e auxilia no “levantar” a partir da posição sentada.

4. Realiza adução da coxa e flexão da perna, além de auxiliar a rotação medial da perna.

5. Promove a flexão plantar do tornozelo e a inversão do pé.


A. Glúteo máximo.

B. Tibial posterior.

C. Fibular terceiro.

D. Sóleo.

E. Grácil.

  • A 1B - 2E - 3D - 4A - 5C.
  • B 1C - 2D - 3A - 4E - 5B.
  • C 1E - 2A - 3B - 4C - 5D.
  • D 1A - 2B - 3C - 4D - 5E.
O músculo diafragma separa as cavidades torácica e abdominal, tem formato de dupla cúpula, sendo que a face superior convexa forma o assoalho da cavidade torácica e a face inferior, côncava, forma o teto da cavidade abdominal. É o principal músculo da inspiração, pois sua contração promove o aumento do diâmetro craniocaudal da cavidade torácica e, além de sua ação respiratória, atua em conjunto com a musculatura abdominal na manobra de Valsalva. Assinale a alternativa que apresenta o nome do nervo responsável pela inervação do músculo diafragma.
  • A Nervo subclávio.
  • B Nervo toracodorsal.
  • C Nervo hipoglosso.
  • D Nervo frênico.
A micção é uma função bastante complexa do corpo humano e, para que o enchimento e o esvaziamento vesicais se deem coordenada e adequadamente, a mulher precisa perceber o volume vesical, além de avaliar a possibilidade e a urgência do esvaziamento e permiti-lo. Esse processo pode sofrer alterações nas diferentes fases de vida, como diante de mudanças hormonais, além disso por envolver o sistema límbico, a micção poderá reagir a alterações emocionais sofridas e trazer repercussão na vida social e profissional. São fatores capazes de manter a continência urinária, exceto:
  • A o mecanismo proximal refere-se ao adequado posicionamento do ângulo uretrovesical posterior, necessário para manter a oclusão uretral diante do aumento de pressão intra-abdominal, sendo que em mulheres incontinentes, uretra e trígono vesical ficam alinhados, perdendo essa disposição angular, o que está diretamente relacionado com a perda urinária.
  • B o mecanismo do terço médio uretral refere-se ao papel fundamental exercido pelo rabdoesfíncter, essa região contém fibras de contração rápida e lenta que, com recursos fisioterapêuticos, podem ser fortalecidas e hipertrofiadas, o que alivia os sintomas de perda urinária, isso justifica o alívio dos sintomas mesmo em pacientes que ainda não atingiram fortalecimento perceptível ao toque e, em alguns casos, a melhora da sintomatologia é obtida apenas com o fortalecimento da musculatura do terço uretral médio, imperceptível ao toque vaginal.
  • C o mecanismo miogênico refere-se ao aumento da excitabilidade vesical decorrente de alterações histológicas do detrusor e desnervação parcial da bexiga, essas alterações promovem hiperexcitabilidade entre os miócitos, propagação do estímulo elétrico e, finalmente, contração coordenada de todo o músculo.
  • D o mecanismo intrínseco refere-se à coaptação da mucosa uretral, oferecida pela vascularização local, que impede escapes de urina, sendo que no climatério, diante da diminuição na produção de estrogênio e menor vascularização uretral, os sintomas de incontinência são mais frequentes, pois o lúmen uretral fica maior, tornando a coaptação muscular menos eficiente.