Questões de Fisiologia em Fisioterapia (Fisioterapia)

Limpar Busca
A micção é uma função bastante complexa do corpo humano e, para que o enchimento e o esvaziamento vesicais se deem coordenada e adequadamente, a mulher precisa perceber o volume vesical, além de avaliar a possibilidade e a urgência do esvaziamento e permiti-lo. Esse processo pode sofrer alterações nas diferentes fases de vida, como diante de mudanças hormonais, além disso por envolver o sistema límbico, a micção poderá reagir a alterações emocionais sofridas e trazer repercussão na vida social e profissional. São fatores capazes de manter a continência urinária, exceto:
  • A o mecanismo proximal refere-se ao adequado posicionamento do ângulo uretrovesical posterior, necessário para manter a oclusão uretral diante do aumento de pressão intra-abdominal, sendo que em mulheres incontinentes, uretra e trígono vesical ficam alinhados, perdendo essa disposição angular, o que está diretamente relacionado com a perda urinária.
  • B o mecanismo do terço médio uretral refere-se ao papel fundamental exercido pelo rabdoesfíncter, essa região contém fibras de contração rápida e lenta que, com recursos fisioterapêuticos, podem ser fortalecidas e hipertrofiadas, o que alivia os sintomas de perda urinária, isso justifica o alívio dos sintomas mesmo em pacientes que ainda não atingiram fortalecimento perceptível ao toque e, em alguns casos, a melhora da sintomatologia é obtida apenas com o fortalecimento da musculatura do terço uretral médio, imperceptível ao toque vaginal.
  • C o mecanismo miogênico refere-se ao aumento da excitabilidade vesical decorrente de alterações histológicas do detrusor e desnervação parcial da bexiga, essas alterações promovem hiperexcitabilidade entre os miócitos, propagação do estímulo elétrico e, finalmente, contração coordenada de todo o músculo.
  • D o mecanismo intrínseco refere-se à coaptação da mucosa uretral, oferecida pela vascularização local, que impede escapes de urina, sendo que no climatério, diante da diminuição na produção de estrogênio e menor vascularização uretral, os sintomas de incontinência são mais frequentes, pois o lúmen uretral fica maior, tornando a coaptação muscular menos eficiente.

Os músculos que geram o movimento articular são chamados de agonistas e aqueles que se opõem ao movimento articular ou que promovem o movimento oposto, são chamados antagonistas. Além disso, os músculos são utilizados também como estabilizadores, de modo a contribuir para um movimento específico em uma articulação adjacente, podendo atuar ainda como um neutralizador, momento este em que o músculo se contrai para eliminar um movimento indesejado de outro músculo. Informe se é verdadeiro (V) ou falso (F) para o que se afirma a respeito das características mecânicas das contrações musculares e assinale a alternativa que apresenta a sequência correta.


( ) As contrações isotônicas envolvem desenvolvimento de tensão por parte do músculo para originar ou controlar o movimento articular, proporcionando variação no grau de tensão dos músculos de modo que os ângulos articulares se modifiquem e, pode ser subdividida em concêntrica e excêntrica.

( ) A ação muscular isométrica é aquela em que o músculo gera tensão sem ocasionar mudança visível na posição da articulação.

( ) A contração excêntrica possui menor capacidade de geração de força, devido à redução do número de pontes cruzadas formadas com o aumento da velocidade de contração.

( ) A contração isocinética é a contração muscular dinâmica, na qual a velocidade de movimento é mantida constante e associada a uma sobrecarga muscular, proporcionada por meio do uso de um equipamento específico, são iniciados com um mínimo de resistência, a qual sofre um gradual aumento e, é um tipo de contração que favorece a resistência muscular.

( ) Na contração concêntrica, o músculo é submetido a um torque externo maior do que aquele gerado pelo próprio músculo, e assim ele se alonga durante o momento de contração.

  • A V – V – F – V – F.
  • B V – V – V – F – F.
  • C F – F – F – V – V.
  • D F – F – V – F – V.

Durante uma aula de fisiologia humana, o professor colocou em debate o caso clínico da paciente M.P.S, 72 anos de idade, sexo feminino, hipertensa de longa data, com controle medicamentoso. Ela procurou o médico do ESF do seu bairro para renovar a receita do seu remédio para o controle da pressão arterial (propranolol). Na consulta, comentou que iniciou atividade física, caminhada três vezes por semana, mas que não estava se sentindo bem. Relatou que parecia que seu coração não estava conseguindo “bater o suficiente” para suportar o exercício. Após minutos de suposições e discussões, o professor explicou que isso ocorreu devido ao uso do seu remédio, que bloqueia um receptor e provoca uma redução do débito cardíaco.

Após ler o caso clínico, ao qual o texto acima se refere, faça uma análise das alternativas abaixo e marque a que corresponde aos receptores bloqueados pelo medicamento propranolol.

  • A Receptores nicotínicos.
  • B Receptores muscarínicos.
  • C Receptores α1.
  • D Receptores β2.
  • E Receptores β1.
A fisiologia da contração muscular explica os fatores físicos e químicos responsáveis pela origem, desenvolvimento e continuação de qualquer tipo de vida. Na fisiologia humana, são explicados as características e os mecanismos específicos do corpo humano que o fazem ser um ser vivo. Sobre esse mecanismo, é INCORRETO afirmar.
  • A Um potencial de ação trafega ao longo de um nervo motor até suas terminações nas fibras musculares.
  • B Em cada terminação, o nervo secreta uma grande quantidade de substância neurotransmissora, a acetilcisteína.
  • C Essa acetilcolina atua sobre uma área localizada na membrana da fibra muscular, abrindo numerosos canais acetilcolina-dependentes dentro de moléculas proteicas na membrana da fibra muscular.
  • D A abertura destes canais permite que uma grande quantidade de íons sódio flua para dentro da membrana da fibra muscular no ponto terminal neural. Isso desencadeia potencial de ação na fibra muscular.
  • E O potencial de ação cursa ao longo da membrana da fibra muscular da mesma forma como o potencial de ação cursa pelas membranas neurais.

O Ca2+ e a energia, na forma de ATP, são necessários para a contração muscular. Quando a fibra muscular está relaxada (não contraída), há uma baixa concentração de Ca2+ no sarcoplasma, porque a membrana do retículo sarcoplasmático contém bombas de transporte ativo de Ca2+ que, continuamente, transportam Ca2+ do sarcoplasma para o retículo sarcoplasmático. Contudo, quando um potencial de ação muscular se propaga ao longo do sarcolema e no interior do sistema de túbulos transversos, os canais de liberação de Ca2+ se abrem, permitindo que o Ca2+ escape para o sarcoplasma. O Ca2+ se liga às moléculas de troponina, nos filamentos finos, provocando alteração na sua forma. Essa alteração na forma da troponina move a tropomiosina para longe dos sítios de ligação de miosina e actina. Em relação ao ciclo de contração, analise as afirmativas a seguir.


I. Hidrólise de ATP: as cabeças de miosina contêm ATPase, uma enzima que hidrolisa ATP em difosfato de adenosina (ADP) e em um fosfato (P).

II. Formação de pontes cruzadas: as cabeças de miosina energizadas se fixam aos sítios de ligação de miosina na actina e liberam grupos de fosfato.

III. Movimento de tensão: após a formação das pontes cruzadas, ocorre o movimento de tensão. Durante o movimento de tensão, as pontes cruzadas mudam sua conformação e liberam ADP. A força produzida pela mudança conformacional de centenas de pontes cruzadas desliza o filamento fino sobre o filamento espesso, em direção ao centro do sarcômero.

IV. Ligação e separação do ATP: ao final do movimento de tensão, as pontes cruzadas permanecem firmemente fixadas à actina. Quando se ligam a outra molécula de ATP, as cabeças de miosina se soltam da actina.


Estão corretas as afirmativas

  • A I, II, III e IV.
  • B I e IV, apenas.
  • C II e III, apenas.
  • D III e IV, apenas.