Questões de Funções morfossintáticas da palavra QUE (Português)

Limpar Busca

Em todas as ocorrências abaixo, o vocábulo “que” assume um papel de conjunção, MENOS na alternativa:

  • A “Uma festa alegre não significa que você esteja plenamente feliz.” (1º parágrafo)
  • B “(...) mesmo que esteja superfeliz, não é felicidade.” (3º parágrafo)
  • C “(...) não conheço nenhum caso de alguém que a tenha tido por perto a vida inteira.” (4º parágrafo)
  • D “Ou porque ela seja muito mais esperta do que eu.” (5º parágrafo)
  • E “(...) é bom que a lista seja cronológica.” (7º parágrafo)

O vocábulo “que” está empregado abaixo com função de conjunção em todas as suas ocorrências, MENOS na alternativa:

  • A “(...) e, logo de cara, avisar que aqui você não vai encontrar uma receita pronta para copiar e colar.” (1º parágrafo)
  • B “(...) abre caminho para que o agricultor aprenda a buscar suas respostas usando outro raciocínio, (...)” (1º parágrafo)
  • C “(...) bem diferente do que estamos acostumados.” (1º parágrafo)
  • D “(...) uma vez que o estabelecimento de áreas agrícolas altamente produtivas, (...)” (2º parágrafo)
  • E “(...) há um conjunto de conceitos e técnicas que viabilizam o acesso (...)”(3º parágrafo)

Leia o trecho a seguir e assinale a alternativa INCORRETA:


Após uma tentativa de criminalizar Amarildo e sua família, em agosto a Delegacia de Homicídios (DH) assumiu o caso, assim como o Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (GAECO) do Ministério Público Estadual (MPE), que apontaram para uma “versão fantasiosa” sobre os fatos montada pela PM e indicaram a denúncia contra 25 PMs no total, todos da UPP Rocinha, incluindo o Major Edson Santos, ex-comandante da UPP Rocinha, e o tenente Luiz Felipe de Medeiros, subcomandante da unidade, pelos crimes de tortura seguida de morte, por ação direta ou omissão, ocultação de cadáver e fraude processual. (FRANCO, Marielle. UPP – A REDUÇÃO DA FAVELA A TRÊS LETRAS: UMA ANÁLISE DA POLÍTICA DE SEGURANÇA PÚBLICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Disponível em <https://app.uff.br/riuff/bitstream/1/2166/1/Marielle%20 Franco.pdf>)

  • A A palavra que, no trecho, é conjunção integrante, introduzindo oração subordinada substantiva apositiva.
  • B A palavra que é pronome relativo e funciona como sujeito de apontaram.
  • C A palavra que é pronome relativo e funciona como objeto direto de apontaram.
  • D A palavra que, no texto, é uma partícula expletiva.
  • E A palavra que, no trecho, é conjunção integrante, introduzindo oração subordinada substantiva subjetiva.

Considere o trecho retirado do texto.


“Não foi a única contrariedade. Logo descobriu que, como vereador, era péssimo: não sabia falar, não convencia ninguém, sequer era procurado por lobistas. Bom mesmo, concluiu com amargura, era o Outro, aquele que o marqueteiro tinha inventado”.


Avalie as afirmativas abaixo:


1. A palavra “não” em todos os seus usos tem a mesma classificação morfológica e desempenha a mesma função sintática.

2. A palavra sublinhada exerce a mesma função sintática desta sublinhada na frase: “Não foi recebido, ninguém o atendeu”.

3. A frase “Logo descobriu” denota tempo; é, pois, subordinada substantiva temporal.

4. A expressão “com amargura” é composta – morfologicamente – por uma preposição e um substantivo e exerce a função de adjunto adverbial.

5. Nas duas vezes em que aparece, a palavra “que” tem funções sintáticas diferentes, já que em uma delas é pronome relativo.


Assinale a alternativa que indica todas as afirmativas corretas.

  • A São corretas apenas as afirmativas 3 e 5.
  • B São corretas apenas as afirmativas 1, 2 e 3.
  • C São corretas apenas as afirmativas 1, 2 e 5.
  • D São corretas apenas as afirmativas 1, 4 e 5.
  • E São corretas apenas as afirmativas 2, 3 e 4.

A partícula “que” destacada foi emprega como partícula expletiva ou de realce na seguinte alternativa:

  • A “O padre atirou, mas parece que desta vez que errou o tiro.” (Mário Barreto)
  • B Quê! Já são dez horas da noite!
  • C Ainda há muito que fazer para levantar a casa.
  • D Que felicidade tremenda sentia no peito o nosso personagem