Questões de Estudos Culturais (Jornalismo)

Limpar Busca
A respeito dos Estudos Culturais, uma das vertentes de pesquisa ligadas à Comunicação, é correto afirmar que:
  • A Nasceu na Universidade de Frankfurt, com a fundação do Centro Contemporâneo de Estudos Culturais.
  • B No período de sua formação, viu o nascimento e consolidação do rádio como força cultural sem precedentes.
  • C Elegeu temas negligenciados pelas práticas acadêmicas de sua época, da cultura dominante à cultura helênica.
  • D Aproveitou ideias de Marx, do estruturalismo francês, de pensadores pós-modernos como Foucault e da semiótica.

Em Dialética do Esclarecimento, Theodor Adorno e Max Horkheimer propõem o conceito de “indústria cultural” na crítica à ideia sociológica de que no século XX havia se formado uma cultura típica da sociedade massificada. No conceito dos autores frankfurtianos, o motivo das pessoas pensarem e consumirem de forma semelhante é porque

  • A quando um emissor envia uma mensagem a um receptor por qualquer meio, sendo ainda codificada e decodificada, há a possibilidade de geração de ruídos, o que só se pode verificar quando o receptor recebe o feedback.
  • B as mensagens emitidas pelos meios de comunicação, principalmente na linguagem publicitária, são assimiladas pelos receptores, aceitas e espalhadas aos seus semelhantes, criando um poderoso efeito de formação da opinião pública.
  • C a racionalidade técnica do capitalismo, incluindo a indústria cultural, produz e justifica a dominação dos proprietários de todos os setores da economia sobre a massa, tendo efeitos ideológicos sobre posições políticas e necessidades de consumo.
  • D no processo de globalização se formaram centros de ponta em termos econômicos e tecnológicos, concentrados em cidades globais como São Paulo, Nova York, Tóquio, Berlim etc., que formam uma rede de trocas financeiras e comunicacionais.
  • E cada instituição possui uma função específica na sociedade e seu mau funcionamento pode desregrar ou degenerar esta mesma sociedade. Nesse caso, a comunicação tem algumas finalidades democráticas e civilizatórias que impulsionam pensamentos e necessidades similares de consumo.

Segundo Barbara Freitag (1994), a indústria cultural é a forma como a cultura e a arte se organizam no sistema capitalista e como são avaliadas pela sua lucratividade e aceitação no mercado, não importando seu valor estético, filosófico, literário etc. Nesse cenário, é fundamental a participação dos meios de comunicação nos processos de produção e divulgação da arte e da cultura. Sobre o conceito de Indústria Cultural, cunhado pela Escola de Frankfurt, marque a opção CORRETA.

  • A É um fenômeno analisado sob a ótica marxista por filósofos alemães a partir da década de 1970.
  • B Segundo as análises dos teóricos que criaram esse termo, a articulação mercadológica entre cultura, arte e diversão criticava e contestava o modo de produção capitalista nos momentos de lazer da classe trabalhadora.
  • C Para Theodor Adorno e Max Horkheimer, responsáveis pela criação do conceito, uma das características da indústria cultural é a neutralidade ideológica.
  • D Segundo os filósofos que criaram o termo indústria cultural, ao desenvolver produtos culturais com a finalidade do lucro, submetendo os consumidores à lógica industrial, a classe dominante promove a alienação das classes dominadas.
  • E No livro Cultura da Mídia (2001), Douglas Kellner lança a expressão “indústria cultural”.

Convenção da UNESCO de 2003 estabeleceu parâmetros para a proteção e o reconhecimento (dito “registro”) do patrimônio imaterial, ao lado da proteção e do reconhecimento do patrimônio material (dito “tombamento”).
NÃO se configura como um típico exemplo de patrimônio imaterial brasileiro o(a)

  • A Jongo da Serrinha
  • B Samba de Roda
  • C Círio de Nazaré
  • D Futebol
  • E Capoeiragem

“Arte é o que eu e você chamamos arte”.


Tal formulação, feita pelo crítico de arte e escritor Frederico Morais, reflete uma postura que

  • A defende a rigidez da crítica de arte.
  • B refuta a crise do academicismo.
  • C estimula o dirigismo na cultura.
  • D propõe a contrapartida social.
  • E espelha a impossibilidade de confinamento conceitual da arte.